quarta-feira, dezembro 31, 2014

NOVIDADES TITANICFANS DEZEMBRO

NOVIDADES DO TITANICFANS 
EM DEZEMBRO FOI ASSIM 
Três Documentos Em LeilãoUm menu de primeira classe do dia 12 de Abril de 1912, um plano de convés e um cartão foram encontrados no bolso de um casaco antigo de Eugénie Elise Lurette, uma empregada pessoal no Titanic que o vestia quando embarcava no salva-vidas 6.
Futility Passados 116 anos da sua publicação original, eis que chega ao Brasil o livro Futility, 'Futilidade ou O Naufrágio do Titan'.
Titanic Lego - Um cidadão-modelo angariou milhares de libras para a caridade, através do seu amor de longa data pelo Lego. 
O Natal e o TitanicAqui ficam algumas histórias "titanicas" de Natal, e aproveitamos este post para desejar a todos um Santo Natal com muito amor e alegria...
Petição Queen MaryExiste agora uma petição muito importante que visa preservar e restaurar o navio, dado que, ao longo de todos estes anos, os actuais proprietários têm feito inúmeras alterações, demolido muitas áreas históricas, e deixando outras num estado de abandono e negligência.
Tudo isto e muito mais!
"TO MAKING IT COUNT!" 

sexta-feira, dezembro 26, 2014

PETIÇÃO QUEEN MARY

PETIÇÃO QUEEN MARY 
O RMS Queen Mary, famoso transatlântico do século XX, é desde 1967 um hotel da cidade de Long Beach. Existe agora uma petição muito importante que visa preservar e restaurar o navio, dado que, ao longo de todos estes anos, os actuais proprietários têm feito inúmeras alterações, demolido muitas áreas históricas, e deixando outras num estado de abandono e negligência. Como tal, todos os admiradores dos grandes navios do século XX devem mostrar que estão preocupados com o futuro do Queen Mary e querem vê-lo devidamente protegido, restaurado e preservado, algo que os seus donos não estão a fazer. Por favor, assine a petição para dizer ao governador da cidade de Long Beach e aos seus habitantes que precisam fazer algo por este navio que marcou a história do século XX no mundo. Assine a petição aqui. Veja as fotos do estado deplorável em que se encontra o navio aqui.

quarta-feira, dezembro 24, 2014

O NATAL E O TITANIC

O NATAL E O TITANIC
O Titanic está associado ao Natal de forma inevitável, seja pelo consumismo que se assiste por estes tempos, quer por histórias que se contam sobre aqueles que de alguma forma ficaram marcados com aquele navio. Mas se Titanic no Natal de hoje é consumismo, em tempos foi uma época especial para as pessoas que a ele ficaram ligadas, como é o caso de alguns sobreviventes do Titanic. Aqui ficam algumas histórias "titanicas" de Natal, e aproveitamos este post para desejar a todos um Santo Natal com muito amor e alegria...
A passageira de primeira-classe Margaretta Spedden em 1913, escreveu uma história para oferecer no Natal ao seu filho Robert Douglas. "My Story" (Minha História) era contada através dos olhos do seu urso polar de brinquedo, e descrevia o seu fabrico, a loja onde passou até ser comprado pela família Spedden, a sua viagem pela Europa, a viagem no Titanic em que Douglas Spedden ficava no cimo da entrada para a grande escadaria, e simplesmente largava o seu pequeno urso pelo fosso das escadas, vendo-o cair os cinco conveses abaixo até ao deque E, depois descia rapidamente os cinco andares para ir buscar o seu urso, voltava a subir até ao convés A e repetia a façanha de novo,  o afundamento do Titanic e o resgate das águas (saiba mais em Polar o Urso do Titanic). 
Margaret Brown, a conhecida Molly, teve como último ato de caridade, dar de presente de Natal às crianças pobres de Leadville, Colorado, botas e roupas de lã, mas não sobreviveu para ver o seu sobrinho distribuir os presentes pelas crianças nesse Natal de 1932. Outra história de Natal é a do sobrevivente Jones que era marinheiro de convés no Titanic. Jones tinha 32 anos, o capitão ordenou que ele ficasse com o bote 8, ele presenciou as mulheres se recusando a embarcar, inclusive a Sra e o Sr Strauss. O bote 8 foi descido com ele, três criados de bordo e cerca de 35 mulheres, entre essas mulheres estava a Condessa de Rothes e a sua prima Gladys Cherry. 
Após o afundamento, ambos queriam voltar atrás para resgatar alguém com vida, mas as restantes mulheres se recusaram a fazê-lo. Jones sentiu grande admiração pelo pulso firme com que a Condessa reagiu à situação, incentivando as outras mulheres a remar. De tal forma que um tempo depois ele retirou o número 8 do bote e ofereceu-o à Condessa numa moldura, ela e sua prima por sua vez todos os natais lhe escreveram uma carta (pode saber mais em pormenor em Jones e a Condessa de Rothes). Não era por acaso que esta troca de correspondência acontecia, a Condessa fazia anos no dia de Natal, por isso o seu segundo nome Noël.
Para ela e mais cerca de 15 passageiros do Titanic esta época foi marcante por nascimentos, casamentos e falecimentos.
No dia 24 de Dezembro:
1868 - Nasce Samuel Emest Hemming, estivador do Titanic e sobrevivente.
1870 - Nasce Iisakki Antino Äijö Nirva, passageiro de 3ª classe, falecido no Titanic.
1892 - Nasce John Borland Jr. Thayer passageiro e sobrevivente de primeira classe, filho de John Borland Thayer e Marian Longstreth Thayer em Philadelphia, Pennsylvania, Estados Unidos da América.
1902 - Casam-se os passageiros de terceira-classe Andrew Emslie Johnston e Eliza Watson, na Igreja Persbiteriana Liberdade Unida em Alexandria perto de Glasgow, Escócia, Reino Unido.
1932 - Peter Dennis Daly passageiro de primeira-classe falece de causa natural em Lima, Peru aos 72 anos.
1934 - Martha Stephenson passageira de primeira-classe morre de ataque de coração / doença em Haverford, Pennsylvania,  Estados Unidos da América aos 74 anos de idade. 
No dia 25 de Dezembro: 
1864 - Nasce o passageiro de segunda-classe Benjamin Hart, falecido no Titanic. 
1869 - Nasce Christopher Head passageiro de primeira-classe, falecido no Titanic. 
1872 - Nasce a passageira de terceira-classe Alfrida Konstantia Brogren Andersson filha de Anna Lovisa Brogren em Kisa, Östergötland, Suécia, faleceu no Titanic. 
1878 - Nasce Lucy Noël Martha, Countess de Rothes filha de Thomas Dyer-Edwardes e Clementina Georgina Lucy Dyer-Edwardes em Kensington, Londres, Inglaterra, Reino Unido. 
1882 - Casa-se Frederick William Blainey Shellard passageiro de terceira-classe com Mary Harriet Greenham, que não estava a bordo do Titanic. Shellard não sobreviveu ao naufrágio. 
1883 - Nasce Albert Harry Copperthwait, fogueiro do Titanic, filho de Arthur Flint Copperthwait e Clara Carter, em Southampton, Hampshire, Inglaterra, Reino Unido. 
1891 - Nasce Christopher William Light, fogueiro do Titanic, filho de James John Light e Annie Emma Nicholas em Southampton, Hampshire, Inglaterra, Reino Unido. 
1895 - Nasce Thamine "Thelma" Thomas passageira de terceira-classe no Libano, faleceu no Titanic. 
1955 - Annie Moore Ward passageira de primeira-classe faleceu com 81 anos. 
1957 - William Loch "Willie" Coutts passageiro de terceira-classe falece em Steubenville, Ohio, Estados Unidos com 55 anos de idade.

sexta-feira, dezembro 19, 2014

TITANIC LEGO

FÃ DE LEGO CONSTRÓI MODELO TITANIC 
Um cidadão-modelo angariou milhares de libras para a caridade, através do seu amor de longa data pelo Lego. 
Este jovem de 33 anos, pegou na primeira peça quando criança, há 19 anos, mas redescobriu este hobby quando o seu filho Brandon nasceu. A sua maior construção até agora é um modelo do Titanic, que já foi com ele para 10 eventos da sua comunidade este ano, elevando a fasquia para £3.500 em donativos para as boas causas. Concebido em torno de fotos do navio, levou dois meses para o fazer a partir de mais de 4.000 peças que tinha espalhadas pela casa. Paul, que se descreve como um escultor de Lego independente, apresentou o modelo no início deste ano, na intenção de vendê-lo e comprar um carro novo. Quando inesperadamente percebeu que as ofertas superavam em muito o valor que ele precisava, ele decidiu levar o Titanic em turnê. Ele disse: "Eu postei algumas fotos no Twitter e tive elogios de Legolands ao redor do mundo. A Legoland Discovery Centre Manchester queria colocá-lo em exposição. O navio estava a ser considerado obviamente um modelo respeitado, então decidi usá-lo para arrecadar dinheiro para caridade." Com ambições para o futuro, Paul, que trabalha em seguros médicos, agora está a pedir doações de peças para que ele possa começar a fazer a próxima grande construção. Ele criou um grupo de entusiastas de Lego e espera um dia dar à região a sua própria exposição, como a exposição londrina 'Art of the Brick'. Paul, que vive em Ashton com a esposa Lisa, disse: "A ideia é fazer com que os eventos de Lego sejam para ajudar as famílias do noroeste. Será sempre para a caridade, que foi como ele começou e é assim que ele irá ficar." Ainda acrescentou: "Eu contactei o governo de Ashton, mas saí de lá sem ajuda. Eu simplesmente não tenho mais peças. O meu website dá às pessoas a opção de doar peças de lego. As pessoas provavelmente têm Lego no sótão, debaixo da cama, mas eu poderia usar isso para ajudar mais pessoas, mais instituições de caridade e construir algo maior e melhor." O dinheiro arrecadado em 2015 será distribuído entre a Sociedade de Alzheimer, ajudar os sem-abrigo da localidade de Barnabé em Manchester e o Hospital of Royal Manchester Children. Para saber mais sobre o trabalho de Paul e fazer uma contribuição, visite o seu website: lhunter2014.co.uk 

sexta-feira, dezembro 12, 2014

FUTILITY

FUTILIDADE OU O NAUFRÁGIO DO TITAN 
Passados 116 anos da sua publicação original, eis que chega ao Brasil o livro Futility, 'Futilidade ou O Naufrágio do Titan'. Morgan Robertson escreveu-o em 1898 pela editora M. F. Mansfield, e relata o naufrágio de um navio, o maior do mundo, de nome Titan que choca com um icebergue na viagem inaugural, numa noite fria de Abril ao largo do Atlântico Norte levando consigo algumas das pessoas mais ricas e famosas a bordo. Leia mais aqui: 
Sinopse 
'Futilidade ou O Naufrágio do Titan' conta como o maior navio do mundo naufragou, em sua primeira viagem, após bater em um iceberg, exatamente como viria a acontecer com o malfadado Titanic. Quem poderia imaginar que uma novela do final do século XIX se tornaria célebre por ter praticamente previsto o maior acidente náutico de todos os tempos? Mais do que o livro que profeticamente previu o naufrágio do Titanic, 'Futilidade' é a história de John Rowland, um ateu convicto que embarca como marinheiro no navio, e Myra Selfridge, uma jovem cristã que foi o grande amor de sua vida. Os problemas só aumentam quando um capitão trapaceiro tenta colocar tudo a perder. Myra e Rowland encarnam, assim, os conflitos científicos e religiosos da virada do século, quando a ciência, mais do que nunca, se sobrepôs à religião. Ao leitor, resta a dúvida - teria sido coincidência ou providência?
Detalhes: 
Origem: NACIONAL
Editora: VERMELHO MARINHO
Coleção: O MELHOR DE CADA TEMPO
Idioma: PORTUGUÊS
Edição: 1
Ano: 2014
País de Produção: BRASIL
Código de Barras: 9788582650288
ISBN: 8582650280
Encadernação: BROCHURA
Altura: 18,00 cm
Largura: 12,50 cm
Comprimento: 0,70 cm
Peso: 00,10 kg
Complemento: NENHUM
Nº de Páginas: 112

sexta-feira, dezembro 05, 2014

TRÊS DOCUMENTOS EM LEILÃO

UM MENU, UMA PLANTA DO NAVIO E UM POSTAL 
Um menu de primeira classe do dia 12 de Abril de 1912, um plano de convés e um cartão foram encontrados no bolso de um casaco antigo de Eugénie Elise Lurette, uma empregada pessoal no Titanic que o vestia quando embarcava no salva-vidas 6.
Eugénie embarcou no Titanic em Cherbourg e viajava com os seus patrões William e Marie Spencer.
Um membro da tripulação acordou-a depois que o navio bateu no iceberg. Elise pegou no plano do convés do Titanic, dado apenas a funcionários e passageiros de primeira classe, tal acto ajudou-a a chegar aos botes salva-vidas quando o navio atingiu o iceberg e salvou-se.
O menu mostra que os passageiros ricos se banqueteavam com costeletas de carneiro, carne assada, torta Melton Mowbray, cordeiro e molho de hortelã, língua de boi, pudim de tapioca e tarte de ameixas para o lanche de sexta-feira. Tostas e ovos cozidos foram riscados do menu para esse dia.
Lurette enviou também um cartão postal que tinha uma foto do Titanic de um lado, para o seu sobrinho a partir do navio quando este chegou a Queenstown. Apesar de ser o símbolo da supremacia e opulência para os seus construtores, Elise escreveu que os níveis de luxo e conforto no Titanic eram ainda "desconhecidos para ela até agora." Os três documentos foram a leilão em Outubro no mesmo dia da carta de Joseph Bell.
O plano do navio e o menu arrecadaram £ 60000 e £ 23000 respectivamente, e o cartão postal foi vendido por £ 62000.

domingo, novembro 30, 2014

NOVIDADES TITANICFANS NOVEMBRO

NOVIDADES DO TITANICFANS 
EM NOVEMBRO FOI ASSIM 
As Novas Imagens Do Titanic Esta foi a maior descoberta sobre o Titanic dos últimos anos. Anunciada pela BBC em Outubro a descoberta de um álbum de fotografias com imagens inéditas do lançamento do Titanic ao mar, bem como outras imagens do navio praticamente pronto ainda em Belfast e também do seu irmão Olympic. 
A Premonição CiganaDias antes da partida do maior navio do mundo, Thomas Andrews, o designer-chefe do Titanic e seus irmãos, foi abordado por uma cigana que o advertiu que, caso embarcasse, a calamidade cairia sobre ele. 
Carta A Bordo Do TitanicUma carta escrita a bordo do Titanic descreve que por pouco não colidiram com outro navio no porto de Southampton e que quase poderia ter parado a sua travessia pelo Atlântico. 
O Naufrágio do BritannicTerça-feira, 21 de Novembro de 1916. O Britannic estava navegando pelo Canal de Kea no mar Egeu, em plena Primeira Guerra Mundial. Perto das 8:00 da manhã, uma tremenda explosão golpeou o Britannic, adornou e começou afundar muito depressa pela proa. Em 55 minutos, o maior transatlântico da Inglaterra, com apenas 351 dias de vida, afundou. 
Titanic LiveTitanic Live terá James Horner a conduzir uma orquestra de 90 membros, coro e músicos celtas, enquanto o filme é projectado numa impressionante tela gigante em alta definição. 
"TO MAKING IT COUNT!" 

sexta-feira, novembro 28, 2014

TITANIC LIVE

TITANIC LIVE JÁ TEM SITE 
Titanic Live terá James Horner a conduzir uma orquestra de 90 membros, coro e músicos celtas, enquanto o filme é projectado numa impressionante tela gigante em alta definição. 
Este evento tem estreia mundial marcada para dia 27 de Abril de 2015 no Royal Albert Hall em Londres e promete ser o evento cinematográfico ao vivo do ano, recriando a trilha sonora que fará para sempre parte da história do cinema. As cidades europeias que receberão este evento são Londres, Praga, Munique, Berlim, Hamburgo, Viena, Luxemburgo, Colónia, Roterdão e Paris. Saiba mais directamente no site: http://www.titanic-live.com

sexta-feira, novembro 21, 2014

O NAUFRÁGIO DO BRITANNIC

video
O NAUFRÁGIO DO BRITANNIC 
O Britannic partiu de Southampton num domingo, dia 12 de Novembro de 1916. Ele não levava nenhum "passageiro". No dia 17 de novembro de 1916, chegou a Nápoles, para abastecer e partir no sábado, mas uma tempestade feroz atrasou a sua partida.
Terça-feira, 21 de Novembro de 1916. O Britannic estava navegando pelo Canal de Kea no mar Egeu, em plena Primeira Guerra Mundial. Perto das 8:00 da manhã, uma tremenda explosão golpeou o Britannic, adornou e começou afundar muito depressa pela proa. O Capitão Bartlett experimentou encalhar o Britannic na Ilha de Kea, mas não teve sucesso. Em 55 minutos, o maior transatlântico da Inglaterra, com apenas 351 dias de vida, afundou. A explosão ocorreu aparentemente entre a 2ª e a 3ª antepara a prova de água e a antepara 2 e 1 também foram danificadas. Ao mesmo tempo, começou a fazer água na sala de caldeiras 5 e 6. Este era asperamente o mesmo dano que levou seu irmão, o Titanic, a afundar.
Infelizmente 30 pessoas morreram na ocasião. A maioria destas mortes ocorreu quando os hélices emergiram das águas e sugou alguns barcos salva-vidas. Os motores ainda estavam em funcionamento, pois na correria de tentar encalhar o navio, esqueceram de parar os motores.
O Britannic está tombado de lado a apenas 350 pés (107m) de profundidade. Tão raso que a proa bateu no fundo antes dele afundar totalmente, e devido ao imenso peso do navio a proa se retorceu toda. Ele foi descoberto em 1976 em uma Exploração dirigida pelo oceanógrafo Jacques Cousteau.
É fácil distinguir o Britannic de seus irmãos, devido aos gigantescos turcos de barco salva-vidas, e também porque a maioria das fotografias suas mostram ele todo pintado de branco com uma faixa verde pintada no casco de proa a popa, separada apenas por 3 grandes cruzes vermelhas de cada lado, designando-o como um navio hospital. O HMHS Britannic nunca chegou a receber um centavo para transportar um passageiro.
O Britannic é hoje o maior transatlântico naufragado.
Mortos no naufrágio do HMHS Britannic: Arthur Binks / Arthur Dennis / Charles C. S. Garland / Charles J. D. Phillips / Frank Joseph Earley / G. Philps / George De Lara Honeycott / George James Bostock / George Sherrin / George William Godwin / George William King / Henry Freebury / Henry James Toogood / James Patrick Rice / John Cropper / John George McFeat / Joseph Brown / Leonard George / Leonard Smith / Percival W. E. White / Pownall Gillespie / Robert Charles Babey / Thomas A. Crawford / Thomas Francis Tully / Thomas Jones / Thomas Taylor McDonald / Walter Jenkins / William Sharpe / William Smith / William Stone.

sexta-feira, novembro 14, 2014

CARTA A BORDO DO TITANIC

CARTA REVELA ACIDENTE NA PARTIDA 
Uma carta escrita a bordo do Titanic descreve que por pouco não colidiram com outro navio no porto de Southampton e que quase poderia ter parado a sua travessia pelo Atlântico.
A carta de 102 anos, foi escrita pelo engenheiro-chefe do Titanic Joseph Bell, para o seu filho Frank e foi encontrada no sótão de um casal. A carta foi vendida por £24000 o dobro do seu valor estimado, num leilão em Outubro, e revela que a grande sucção causada pelo Titanic ao deixar Southampton rebentou as cordas de amarração de dois navios, New York e Oceanic.
Foi por segundos que o Titanic não bateu no New York, mas mudou de direcção na hora certa.
Se o acidente tivesse acontecido, teria, sem dúvida, mudado o curso da história, disseram os leiloeiros.
"Fizemos uma boa travessia desde Southampton, tudo está a funcionar em pleno. Quase tivemos uma colisão com o New York e o Oceanic quando deixavamos Southampton. A sucção das nossas hélices fez os dois navios se mexerem quando estávamos a passar por eles, isso fez com que as suas cordas de amarração quebrassem e o New York partiu através do rio até que os rebocadores o puxaram de novo. Nenhum dano foi causado, mas parecia um problema no momento. Fica bem e sê um bom rapaz.
Abraço a Sra Johnston. Seu pai amoroso, J. Bell."
Joseph Bell enviou a carta de Queenstown (actualmente Cobh) na Irlanda no dia 11 de Abril de 1912.
Três dias depois, o Titanic, descrito como "praticamente inafundável", bateu no iceberg e afundou.
Morreram mais de 1.500 pessoas, incluindo o Bell, que deixou para trás a sua esposa Maud e quatro filhos.
Andrew Aldridge, dos leiloeiros Henry Aldridge & Son, disse: "Tivemos um telefonema há seis meses de um casal no Reino Unido, que são parentes distantes de Joseph Bell. Eles tinham acabado de descobrir esta carta, que tinha estado no seu sótão por décadas. Tivemos um grande interesse por parte de coleccionadores de todo o mundo, incluindo do Reino Unido, Estados Unidos, China e Rússia. A carta é particularmente interessante por causa de quem a escreveu e ao facto de que ele descreve cada detalhe do evento. Bell também descreve ironicamente tudo como "correndo bem" a bordo do navio quando ele saiu de Southampton. O acidente não teria sido um desastre, mas teria sido mau o suficiente para atrasar o Titanic por um dia ou dois e a integridade estrutural do casco teria sido verificada. Sem dúvida isto teria mudado o curso da história."
Joseph Bell nasceu em Março de 1861 em Farlam, Cumbria. Deixou Cumbria e foi para Newcastle para trabalhar como aprendiz na montagem de motores da Robert Stephenson and Company, uma empresa de fabrico de locomotivas.
Em 1885, Bell juntou-se à companhia de navegação White Star Line. Viajou para a Nova Zelândia e New York e serviu em 18 navios.
Casou-se com Maud Bates em 1893 e teve quatro filhos: Frances, Marjorie Clare, Eileen Maud e Ralph Douglas.
Uma década depois, a família mudou-se para Belfast e Bell tornou-se no engenheiro-chefe no RMS Olympic. Foi por fim transferido para o Titanic e supervisionou a construção do navio.
Tinha 51 anos de idade quando o Titanic afundou. Na sua lápide está gravado "não tem maior amor do que este, o de dar alguém a sua vida pelos seus amigos".

sábado, novembro 08, 2014

A PREMONIÇÃO CIGANA

CIGANA AVISOU ANDREWS DA TRAGÉDIA 
No inicio do filme Titanic de 1996, vemos uma mulher já idosa, com um pequeno sino alertando os demais à sua volta para a calamidade que se abateria sobre o Titanic caso embarcassem. Este é o único filme que relata tal facto, e acredito ter o seu fundamento num livro que me foi dado a conhecer recentemente. Dias antes da partida do maior navio do mundo, Thomas Andrews, o designer-chefe do Titanic e seus irmãos, foi abordado por uma cigana que o advertiu que, caso embarcasse, a calamidade cairia sobre ele. Andrews não lhe deu ouvidos e partiu para o seu destino fatal. Este incidente vem no livro do conhecido historiador do Titanic, George Behe, publicado há uns anos com o título, "Titanic: Psychic Forewarnings Of A Tragedy." 
Andrews era uma figura muito respeitada nos estaleiros que construíram o Titanic, Harland & Wolff, se tivesse dado atenção a este aviso, talvez o rumo da História tivesse mudado. Behe pesquisou dezenas de avisos semelhantes dados aos passageiros e tripulantes do Titanic, mas não se pode garantir que todos sejam verdadeiros. De qualquer forma este é um livro do Titanic que traz um novo olhar sobre esta tragédia que jamais será esquecida.

sábado, novembro 01, 2014

AS NOVAS IMAGENS DO TITANIC

AS FOTOS QUE DESCONHECIAMOS 
Esta foi a maior descoberta sobre o Titanic dos últimos anos. 
Anunciada pela BBC em Outubro a descoberta de um álbum de fotografias com imagens inéditas do lançamento do Titanic ao mar, bem como outras imagens do navio praticamente pronto ainda em Belfast e também do seu irmão Olympic.
O álbum que contém 116 imagens pertencia a John W Kempster, diretor da Harland & Wolff na época. Entre estas fotografias, 13 retratam o exacto momento do Titanic quando foi lançado ao mar em 31 de Maio de 1911. Lord Pirrie, dono do estaleiro, também pode ser visto de regresso da inspecção aos cilindros hidráulicos que empurrariam o Titanic da sua rampa de construção. As imagens inéditas estão expostas pela primeira vez ao público no Ulster Folk and Transport Museum, e para já, apenas algumas imagens foram divulgadas na internet.







sexta-feira, outubro 31, 2014

NOVIDADES TITANICFANS OUTUBRO

NOVIDADES DO TITANICFANS 
EM OUTUBRO FOI ASSIM 
O Titanic realmente quebrou?
Se o Titanic realmente partiu-se em dois como encontrado em 1985, porque permaneceu a teoria que se afundou intacto? Analisámos os testemunhos dados no Inquérito Americano e Britânico, e os resultados foram surpreendentes! 
Parte I
Parte II
Parte III
Parte IV
Tudo isto e muito mais!
"TO MAKING IT COUNT!" 

sexta-feira, outubro 24, 2014

O TITANIC REALMENTE QUEBROU?

O QUE VIRAM OS SOBREVIVENTES 
PARTE IV
Conclusões dos testemunhos do Inquérito Americano:
Parece claro que muitas poucas pessoas afirmaram que o navio afundou intacto. Também é muito óbvio que os Assessores realmente não se esforçaram muito para clarificar esta questão nos muitos relatos dos sobreviventes. 8 pessoas viram ou tiveram a percepção que o Titanic se partiu: Alfred Olliver, Frank Osman, George Moore, Edward John Buley, George Frederick Crowe, Frank Oliver Evans, Arthur John Bright, Mrs. J. Stuart White. 3 pessoas afirmaram que o navio afundou intacto: Charles Herbert Lightoller, Herbert John Pitman, Hugh Woolner. As outras 36 pessoas não viram ou não deram qualquer informação se o Titanic se partiu ou não.

Conclusões dos testemunhos do Inquérito Britânico
Semelhante ao Inquérito Americano, também muitas poucas pessoas disseram ter visto o navio afundar intacto. Lendo atentamente testemunho atrás de testemunho, realmente sente-se que os Assessores "evitaram" a questão de saber se o navio se partiu. Muitas testemunhas foram questionadas se viram o navio afundar, e em seguida, o Assessor mudava abruptamente de assunto. Perto do final no relato de Lightoller, o comissário (Lord Mersey) ainda afirma que não entende como a popa se poderia endireitar. Ele já tinha como certo na sua mente que o navio tinha afundado intacto! 5 pessoas viram ou tiveram a percepção que o Titanic se partiuJohn Poingdestre, Thomas Ranger, Frederick Scott, Edward Brown, George Symons. 3 pessoas afirmaram que o navio afundou intacto: Charles Herbert Lightoller, Herbert John Pitman, Thomas Patrick Dillon. As outras 40 pessoas não viram ou não deram qualquer informação se o Titanic se partiu ou não.

Temos assim uns totais de: 13 pessoas que viram ou tiveram a percepção que o navio se partiu, 76 não viram ou não deram qualquer informação se o Titanic se partiu ou não, e apenas 4 afirmaram que se afundou intacto. 
É importante notar que duas pessoas alteraram os seus testemunhos: Edward John Buley que afirmou a quebra no Inquérito Americano, não foi questionado sobre o naufrágio no Inquérito Britânico. George Symons, que não comentou sobre o naufrágio no Inquérito Americano, afirmou-o no Britânico quando teve oportunidade.
Acho que os Assessores em ambos os inquéritos, de forma intencional ou não, realmente não tentaram descobrir se o Titanic se partiu. Então, muitas testemunhas simplesmente não foram questionados sobre isso, daí o número tão elevado de relatos sem informação sobre o momento da quebra. E, como mencionado acima, os assessores britânicos quase pareciam estar a evitar a questão, perguntando se a testemunha viu o navio afundar, e depois mudarem de assunto. Ainda assim, três vezes mais foi o número de pessoas que descreveram o navio partir-se em relação ás que disseram que se partiu intacto, e muitas delas descreveram mesmo onde se partiu: entre/ou na terceira e quarta chaminé. 
Das quatro testemunhas que afirmaram que o navio afundou intacto, duas delas eram oficiais da White Star Line. Devemos questionar, como é que a própria White Star Line veria os seus testemunhos, se eles dissessem que o navio se tinha despedaçado? Poderia a White Star acabar com as suas carreiras, tanto na White Star como nas outras companhias de navegação? Não há realmente nenhuma maneira de saber, mas tenho a certeza de que os oficiais sobreviventes do Titanic estavam bem cientes do problema do seu emprego se manter na White Star, e em outros lugares. 
Sabe-se que os números acima podem ser alterados por outros testemunhos na primeira pessoa. Lawrence Beesley, no seu livro "The lost of the SS Titanic", afirma no capítulo 4 que não achava que o navio se partiu em dois. 
O Coronel Gracie, em "The truth about the Titanic", diz no capítulo 3 que não achava que Titanic se partiu, na verdade, ele dedica vários parágrafos a este assunto. No entanto, deve-se admitir que, durante o momento da quebra, Gracie estava debaixo de água, lutando pela sua vida, devido à sucção, ou tentando subir no bote virado B com muitas outras pessoas à sua volta na água. 
Os jornais do naufrágio aumentaram consideravelmente o número de testemunhas que disseram que o navio se partiu. No entanto, uma vez que um testemunho deste tipo poderia ter sido alterado pelo próprio jornalista, e não temos nenhuma maneira de verificar se o sobrevivente realmente disse o que foi impresso, a maioria desses relatos são de uma confiabilidade duvidosa. Um jornalista que quisesse dramatizar uma história por si só fascinante, poderia facilmente publicar uma história mais sensacionalista dizendo que o Titanic se partiu ao meio, tal se encaixa perfeitamente neste cenário! 
Torna-se claro que, durante 73 anos acreditou-se que o Titanic afundou intacto, até que Ballard descobriu os destroços em 1985 e fez dela uma crença distorcida feita com base nos assessores dos inquéritos norte-americano e britânico que escolheram acreditar nas declarações de um número muito pequeno de pessoas, que incluem dois oficiais da White Star Line. A empresa estava prestes a perder muito mais que o Titanic, se fosse espalhado que os seus navios não foram construídos de forma sólida como queriam mostraram. Estas testemunhas que descreveram a quebra, uma situação que agora sabemos ser uma realidade, foram ignoradas. Mesmo hoje em dia, estes preciosos testemunhos dos inquéritos e até outros prestados ao longo dos anos por sobreviventes continuam a ser ignorados. O Titanic já teve várias teorias, começou por afundar num ângulo de quase 90 graus até 1985 quando foi descoberto partido em dois, depois passou a incluir-se a quebra nos 45 graus. Esses 45 graus foram rapidamente descidos para 33, depois para 11 numa nova teoria, e, finalmente em 2012, James Cameron abre uma nova e derradeira teoria tida como a correcta em que o ângulo sobe para os 23 graus (mesmo assim discutidos entre os 19 e os 23 até ao momento final do documentário), a quebra ocorre entre a terceira e segunda chaminé, a popa cai e afunda-se quase de lado. 
A noite estava escura, as ilusões de óptica, percepção e visão nocturnas variam de pessoa para pessoa. Devemos pensar um pouco nos testemunhos dos sobreviventes, acreditar que não é só o fantástico e o assustador que está em jogo, é também a palavra de cada um que ali esteve e viveu e sentiu a tragédia como nenhum de nós poderá sentir, nenhum computador poderá viver, nenhum cientista poderá afirmar. Como disse Walter Lord o autor do livro A Night To Remember: «Com uma certeza - só um louco seria capaz de se considerar detentor da verdade absoluta acerca do que aconteceu na noite incrível em que o Titanic se afundou.»

sexta-feira, outubro 17, 2014

O TITANIC REALMENTE QUEBROU?

O QUE VIRAM OS SOBREVIVENTES 
PARTE III
Os testemunhos do Inquérito Britânico. Aqui, o Inquérito foi realizado por questões numeradas.
As seguintes testemunhas no inquérito britânico não fizeram nenhuma declaração sobre o naufrágio do navio: 

George Cavell, estivador, bote 15 
Frank Herbert Morris, empregado, bote 14 
John Edward Hart, empregado, bote 15 
Joseph Thomas Wheat, empregado, bote 11 
James Taylor, fogueiro, bote 1 
Lady Duff-Gordon, passageira de primeira classe, bote 1
Frederick Sheath, estivador, bote 1 
Elizabeth Leather, camareira, bote16 
Annie Robinson, camareira, bote 11 
Walter Wynn, contramestre, bote 9 
Frederick Fleet, vigia, bote 6 
George Alfred Hogg, vigia, 7 
Samuel Hemming, estivador, bote 4 
Wilfred Seward, despenseiro, bote 3 
Alfred Crawford, empregado, bote 8 
Edward John Buley, marinheiro, bote 10 
Ernest Archer, marinheiro, bote16 
Joseph Bruce Ismay, Passageiro de primeira classe, bote C 
Paul Mauge, chef assistente, bote 13 

Archie Jewell, vigia, bote 7, não disse se o navio afundou intacto ou não. 
Apenas diga-nos de forma resumida o que viu então. O que viu acontecer com o Titanic antes dele afundar e como ele afundou? - Parámos e assistimos de longe a ele afundar-se gradualmente. Podíamos ver as pessoas sobre o convés antes das luzes se apagarem. À medida que se afundou pela proa então as luzes se apagaram, e ouvimos algumas explosões, enquanto ele se afundava. Todas as luzes se apagaram e só podíamos ver um objecto negro na nossa frente. 
Era claro o suficiente para se ver a popa no ar? - Sim. Eu vi a popa no ar. 
Nesse momento, as luzes ainda estavam acesas ou já se tinham apagado? - Não. Há medida que a popa se elevou, as luzes foram-se apagando. 

Joseph Scarrott, marinheiro, bote 14, também não disse como o Titanic afundou. 
426 (O Comissário) Depois de ter visto a água ao nível da ponte, a que velocidade o navio se afundou? - Bem, em questão de tempo, não lhe sei responder, mas enquanto lá estivemos o navio afundou-se rapidamente, e podia-se ouvir as coisas partirem-se no navio, e depois seguiram-se quatro explosões. 

George William Beauchamp, fogueiro, bote 13, também não disse nada. 
757a (Raymond Asquith) Quando ele afundou, estava perto o suficiente para ver o que aconteceu, viu como afundou? - Sim, afundou-se pela proa. Pude ver a popa e a proa afundada. 
758 Ouviu alguma explosão? - Pude ouvir um ruído como um trovão. 

Robert Hichens, contramestre, bote 6, alegou que não viu o Titanic ir para o fundo. 
1209 Você viu o Titanic ir para o fundo? - Não, senhor. 
1210 Viu as suas luzes? - A última vez que olhei, vi as suas luzes. 
1211 Voltou-se para o ver, então? - Sim. Eu estava dirigindo o bote para longe dele. 
1212 Você estava dirigindo? - Sim. 
1213 A última vez que olhou, você viu as luzes, e então não as viu mais? - Não, senhor. 

William Lucas, marinheiro bote D, transferido para o 12 foi questionado se viu o navio afundar, mas não deu detalhes. 
1561 Você viu o Titanic afundar? - Sim. 
1562 A que distância estava quando afundou? - Acho que a cerca de 150 jardas. 
1563 Então não demorou muito tempo a afundar-se depois que deixou o navio? - Não. 
1564 Remaram o tempo todo? - Eu não remei muito antes dele se afundar. 

Frederick Barrett, chefe dos fogueiros, bote 13, não foi questionado, mas apenas respondeu que viu o navio se afundar.
2199 Suponho, Barrett, realmente, que tivesse tanto frio que não se lembre muito bem? - Não, eu lembro-me que o barco afundou. 
2200 Você se lembra de o navio se ter afundado? - Sim, e então devo ter adormecido. 

Reginald Lee, vigia, bote 13, não viu o navio nos seus últimos momentos. 
2553 Você se afastou por um tempo nos botes. Quero dizer, a que distância do Titanic? - Estávamos a cerca de um quarto a meia milha de distância do navio, nos afastamos até que ele desapareceu. 
2554 Então conseguiu ver o que estava a acontecer? - Sim. 
2555 Então você viu-o afundar-se pela proa? - Ele afundou pela proa. 
2560 Viu a popa? - Não. Não posso afirmar que a vi a partir de onde eu estava no bote. Eu estava em pé no fundo do bote, e não queria realmente ver o seu último momento. Apenas o vi pouco antes disso, mas quando as pessoas disseram, "ele foi-se", "é o fim dele", realmente não vi. Não o posso afirmar. 
2561 Viu a sua popa no ar durante todo aquele momento? - Bem, eu não o vi pouco antes de seu final. Não vi esse momento, não o posso afirmar. 

John Poingdestre, marinheiro, bote 12, afirma ter visto o navio parti-se. 
3106 Você disse que viu o Titanic afundar-se? - Sim. 
3107 A que distância estava quando ele se afundou? - Cerca de 150 jardas. 
3108 Agora, pode descrever-nos o que viu acontecer quando ele afundou? - Bem, julgo que quando olhei, vi que o navio partiu na chaminé da frente. 
3109 O que o levou a essa conclusão? - Porque eu tinha visto essa parte desaparecer. 
3110 Se ele afundou pela proa você iria ver essa parte desaparecer, não? - Sim. 
3111 O que ocorreu no desaparecimento que o levou a pensar que se partiu? - Porque era uma parte pequena, a parte de trás endireitou-se após a maior ter desaparecido. 
3112 (O Comissário) Quer dizer que a parte dianteira do navio desceu até o fundo, e que, em seguida, o restante equilibrou-se? - Sim. 

James Johnson, empregado, bote 2, não foi questionado e não disse se o navio se partiu. 
3509 Agora, Sr. Johnson, disse-nos que remou para longe e voltou. Viu o Titanic afundar-se? - Eu vi-o ir ao fundo. 
3510 A que distância estava o seu bote dele? - Presumo que estávamos a três quartos de milha, ou um pouco menos. 

Thomas Patrick Dillon, fogueiro, bote 4, não estava na melhor posição para ver a quebra, dado que estava na água durante esse tempo. 
3858 (Raymond Asquith) Antes de o navio realmente afundar, viu-o fazer algum movimento? - Sim, ele deu um mergulho final e se endireitou novamente. 
3859 Ele deu um mergulho e se endireitou de novo? - Sim. 
3860 Reparou alguma coisa na chaminé? - Não até esse momento. 
3861 Mais tarde reparou em alguma coisa na chaminé? - Sim. 
3862 O quê? - Quando ele afundou. 
3863 Isso foi depois de deixar o navio? - Antes de sair do navio. 
3864 O que você notou? - Bem, a chaminé parecia dirigir-se para mim. 
3865 Parecia cair para a frente? - Sim; parecia cair dessa forma. 
3866 Foi a chaminé de trás? - Sim. 
3867 Ficou com a ideia de que o navio estava se partindo em dois? - Não. 
3868 A chaminé parecia cair na sua direcção? - Sim. 
3869 (O Comissário) Era a chaminé traseira? - Sim, meu Senhor. 
3882 (Raymond Asquith) Quando você veio ao de cima, depois de ter sido sugado para o fundo - disse-nos que foram sugados para baixo e voltou a emergir, o navio ainda flutuava então? - Não. 
3883 Ele tinha afundado quando veio ao de cima? - Bem, eu vi o que pensei ser a parte de trás dele subindo e descendo novamente no fim. 
3884 Então ele não tinha afundado? - Ele se elevou e desceu novamente. 
3885 Você viu o que pensou ser a parte de trás do navio voltar? - Eu pensei que era o navio de volta novamente. Ele subiu e desceu de novo - fim. 

Thomas Ranger, lubrificador, bote 4, descreveu que o Titanic parecia partir-se. 
4090 (O Procurador-Geral) Você viu o navio afundar? - Sim. 
4094 Pode contar-nos o que viu do navio ir ao fundo; pode descrevê-lo para o Tribunal? - A extremidade dianteira do navio foi para o fundo e parecia partir-se, e a parte traseira voltou ao nível da quilha. 
4095 Então, quando ele voltou ao nível da quilha, o que aconteceu então com a parte dianteira? - Virou-se e foi para baixo de forma directa. 
4096 Dessa forma, a popa para cima. (gesticulando) - Sim. 
4097 Permaneceu assim todo esse tempo? - Não. 
4098 Pode descrever o que acabou de nos dizer? - Ele subiu lentamente apenas para depois descer. Podiam-se ver as três hélices no ar. 
4099 A parte maior do navio começou a afundar? - Sim. 
4100 E a popa subiu? - Sim. 
4112 Você viu o navio dar o mergulho para o fundo? - Sim. 
4113 A parte da frente dele? - Sim. 

Alfred Shiers, fogueiro, bote 5, foi questionado sobre o que viu, mas não deu detalhe algum. 
4661 Viu o navio afundar-se? - Sim. 

Charles Hendrickson, chefe dos fogueiros, bote 1, fez a mesma afirmação que Shiers, sem detalhes. 
5016 Viu o navio afundar-se? - Sim. 

Frederick Scott, lubrificador, bote 4, viu o navio partir-se ao meio. 
5673 Nos afastamos do lado do navio e ainda não nos tínhamos afastado muito quando o navio começou a partir-se, e a sua popa subiu no ar, e podia ver as três hélices quase do mesmo modo que se pode ver numa maquete. 
5674 Fugiu? - Sim, tinha acabado de chegar na popa quando começou a quebrar-se. 
5675 Diz que ele começou a se partir? - Sim, ele partiu-se na chaminé traseira, e quando terminou, no fim a popa subiu no ar e ficou ao nível da quilha e desapareceu. 
5676 Ele subiu no ar e ficou ao nível da quilha? - Sim. 
5677 Então ele emergiu novamente antes de desaparecer? - Não. 
5678 Simplesmente afundou? - Ele simplesmente afundou. 
5679 (O Comissário) Onde ele se quebrou? - Depois da chaminé. 
5680 (O Procurador-Geral) Você quer dizer entre a terceira e a quarta chaminé? - Não, logo a seguir à chaminé. A partir da chaminé após a popa. 
5681 Você quer dizer que a ruptura foi à popa, perto da sua última chaminé? - Sim, logo atrás da última chaminé. 
5682 (O Comissário) Atrás da chaminé de ventilação? - Sim, isso mesmo. O Comissário: Está de acordo com as outras provas? O Procurador-Geral: Não. 
5684 Poderia ver qual o comprimento da parte da frente que se pariu? - Não. 

Charles Joughin, pasteleiro, bote B, ao contrário de outras testemunhas, o padeiro Joughin descreveu ter escutado os primeiros sinais da quebra, enquanto estava na despensa do convés. No entanto, ele não descreveu que viu o navio partir-se. 
6040 Diga-nos o que aconteceu? - Eu fui até ao convés da despensa, e enquanto estava lá pensei em tomar um copo de água, e enquanto estava a beber o copo de água, ouvi uma espécie de som como se algo se tivesse dobrado, como se parte do navio tivesse dobrado, e então ouvi um rasgo a correr o navio. 
6049 Diz que ouviu o som de fundo ou crepitação. Era alto, poderia alguém no navio ouvi-lo? - Poderiam ter ouvido, mas realmente não sabia o que era. Não foi uma explosão ou qualquer coisa assim. Era como se, como se o ferro se dobrasse. 
6050 Como o metal quando se parte? - Sim. 

Samuel James Rule, empregado, bote 15, não viu o navio afundar no fim. As suas declarações não são claras se minutos depois viu ou não o navio se partir. 
6609 Viu-o ir para o fundo? - Bem, sim, vi-o. 
6610 As suas luzes eléctricas estavam acesas até ao fim, até ao último momento? - Muito perto do fim. 
6611 Viu-o realmente afundar? - Na verdade não o vi ir para o fundo no último momento. 

Albert Victor Pearcey, despenseiro, bote C, não diz se o navio ficou intacto ou não. 
10452 Viu o navio ir para o fundo? - Sim. 
10453 Estava de frente para ele, quando ele foi para o fundo? - Sim. 
10454 Estavam as suas luzes acesas? - Sim, as luzes estavam acesas. 
10455 Até ao fim? - Sim. 
10463 Pode dizer ao Tribunal o que você viu? Explique ao Tribunal o que você viu quando o navio afundou? - É claro que, quando ele afundou ele desceu. Ele desceu desta forma (gesticulando). Eu não sei dizer exactamente. Eu tenho a imagem na mente, e não consigo descrevê-la. 
10464 Vamos ver se podemos ajudá-lo. Parecia estar afundando pela proa ou pela popa? - Ele estava mergulhando pela proa. 
10465 Você viu a sua popa totalmente fora de água? - Sim, senhor. 
10466 Afundou-se na íntegra a popa? - Sim. 
10467 Então a popa estava na água assim (gesticulando)? - Sim. 

Edward Brown, empregado, bote A, parece um pouco inseguro sobre o que viu, ele não descreve a quebra. 
10551 Ouviu algum som do navio enquanto ele se afundava debaixo de si - algumas explosões? - Eu acredito ter ouvido uma explosão, Senhor - um grande barulho, um grande estrondo. 
10553 Poderei ajudar em relação a isso, já que não consegue dizer: Notou se o navio se partiu? - Com o primeiro som dessa explosão vi a parte de trás do navio dar um tremor como este (mostrando), e eu pensei que pela parte de trás estar a subir assim (mostrando), e dando um ligeiro tremor, que a proa só se poderia ter separado. Posso estar errado. 
10554 Mas foi a conclusão a que chegou por causa disso? - Sim. 

Charles Donald MacKay, empregado, bote 11, não foi questionado, e não deu qualquer detalhe sobre o estado do navio durante o naufrágio. 
10800 A que distância? - De acordo com a minha capacidade de medida, um quarto de milha. 
10801 Você estava num bom ângulo de visão quando o navio afundou? - Nós assistimos a todos os factos. 
10849 Você viu o navio afundar? - Sim. 

George Symons, vigia, bote 1, descreveu o navio partir-se ao meio.
11510 Então, quando o viu assim, o que aconteceu a seguir? - Eu remei um pouco mais para longe para escapar, caso houvesse alguma sucção. Levantei-me e vi-o até que ouvi duas explosões grandes no navio. O que eram eu não sei dizer. Então de repente ele deu um solavanco para cima, a popa veio para fora da água, em seguida. 
11511 Um solavanco para cima? - Sabe o que quero dizer, ele deu uma estocada forte e a sua proa afundou-se bastante. 
11512 A proa para baixo? - A proa para baixo, e foi nesse momento que vi as luzes se apagarem, todas as suas luzes. A próxima coisa que vi foi a sua popa. Quando ele afundou a sua popa endireitou-se e eu pensei para comigo mesmo, a popa vai flutuar. Não demorou mais do que dois ou três minutos para depois a sua popa subir de imediato; houve um som como um trovão ao longe, algo que não se ouve normalmente numa noite e logo ele desapareceu de vista. 
11513 Vamos ver se entendo bem o que você está a dizer sobre isto. Suponha-se que isto é a proa e que é a popa. (Descrevendo) Você viu em primeiro lugar a sua proa afundar? - Sim. 
11514 Entendo que quer dizer que viu a proa ir para o fundo? - Sim. 
11515 Viu a proa indo bem para o fundo? - A proa dele estava indo bem para o fundo. 
11516 E viu a popa fora de água assim? (Descrevendo) - Sim, a popa estava bem fora de água. 
11517 Entendo que quer dizer que, num determinado momento viu a própria popa direita? - Ele endireitou-se, sem a proa; na minha opinião ele deve ter-se partido ao meio. 
11518 Pode dar uma ideia de que parte do navio apareceu para depois se endireitar? - Diria que era a popa a partir da placa de expansão. 
11722 E depois que embarcamos no bote 1, vi essa luz ainda brilhando na mesma direcção e mais ou menos à mesma distância. Não vi luzes vermelhas ou verdes em todo este momento. Então, o castelo de proa do Titanic estava todo inundado; e quando estávamos a cerca de um quarto de uma milha de distância, ouvi duas explosões altas uma após outra rapidamente. O Titanic parecia-me dividido em dois, a proa a desaparecer completamente, e a popa emergindo parecendo endireitar-se por um momento, todas as luzes de repente se apagaram, e ele pareceu afundar de novo, levantando-se enfim, e com um rugido ele desapareceu. 

Albert Edward James Horswill, fogueiro, bote 1, não viu o navio no seu mergulho final. 
12336 Você viu o Titanic afundar? - Não. 
12337 Ficou de costas para ele? - Não, contudo nunca o vi ir para o fundo. 

Sir Cosmo Duff-Gordon, passageiro de primeira classe, bote 1, afirmou ver o navio, mas não deu detalhes sobre o que viu. 
12543 Você não sabia onde estava? - Eu estava a ver o Titanic, é claro, até o último momento, e depois disso, é claro, não sabia onde estava. 

Samuel Collins, fogueiro, bote 1, também não deu detalhes. 
12988 Depois de um tempo você viu-o afundar? - Eu vi-o afundar. 

Robert William Pusey, fogueiro, bote 1, mais uma vez, nenhum detalhe foi dado. 
13100 Você viu o navio afundar a partir dali? - Sim, mas não de forma muito clara. 

Charles Herbert Lightoller, segundo-oficial, bote B. A descrição de Lightoller do final do Titanic, não está de acordo com muitas das outras testemunhas, nele é muito claro que a parte de trás não voltou a emergir. Ele estava convencido de que o navio afundou intacto. 
14074 (O Procurador-Geral) Não sei como nos pode ajudar na descrição do que aconteceu com o navio. Você foi intimado e tinha outras coisas em que pensar; mas o que aconteceu com o navio? Pode nos contar tudo? - Está a referir-se aos relatos de que o navio se partiu em dois? 
14075 Sim? - É absolutamente falso. O navio não se partiu e não se poderia ter partido em dois. 
14076 (O Comissário) Se o viu - se você viu o que aconteceu, diga-nos o que foi? - Após a chaminé cair houve um período de tempo que me escapou. Eu não sei exactamente o que foi ou o que aconteceu, mas a coisa a seguir que me lembro é que eu estava ao lado deste bote desdobrável novamente, e havia cerca de meia dúzia em pé em cima dele. Subi para cima dele, e então voltei a minha atenção para o navio. A terceira, se não a segunda chaminé ainda era visível, certamente a terceira chaminé ainda era visível. A popa estava, então, fora da água. 
14077 Quais são para si a segunda e terceira chaminé? - Numerando-as a partir da frente, meu Senhor. 
14078 A segunda era visível? - A terceira era visível. Eu não tenho a certeza se a segunda era visível, mas estou certo de que a terceira era visível, e ele foi subindo gradualmente a sua popa para fora da água. Mesmo naquele momento, acho que as hélices estavam fora de água. Mas não tenho a certeza disso. 
14079 A chaminé caiu? - Só a da frente. 
14080 Mas não tem a certeza sobre a segunda? - Não tenho a certeza se isso foi de baixo de água ou não, isso não sei dizer. 
14081 É isso que eu quero dizer. Eu quero saber o que viu. Estava de baixo da água, no sentido de que o navio ao ter afundado submergiu-a, ou estava solta à deriva? - Não, a segunda chaminé estava imersa. 
14082 Parece-me, olhando para este modelo, que se foi assim, então a popa deve ter estado muito no ar? - Bem, diria que sim, meu Senhor; estava. 
14083 E as hélices todas visíveis? - Sim, fora de água. Essa foi a minha impressão. 
14084 (O Procurador-Geral) Quando diz que a terceira chaminé era visível entendo que deve querer dizer parte dela? - Sim, uma parte da chaminé. Na verdade, tenho um pouco a impressão de que toda a terceira chaminé estava visível. 
14084a (O Comissário) Parece-me que o navio estaria quase na perpendicular? - Ele acabou por atingir totalmente a perpendicular. 
O Procurador-Geral: Talvez este modelo possa ajudá-lo. (Entregando o mesmo à testemunha.) 
14092 (O Procurador-Geral) Consegue continuar a observar a parte traseira o suficiente para ser capaz de nos dizer se a parte traseira estava direita na água? - Ela não estava direita na água. 
14093 Está convicto de que não se endireitou? - Perfeitamente convicto. 
O Procurador-Geral: Vossa Senhoria sabe que muitas testemunhas disseram que a sua impressão foi a de que a parte traseira se endireitou na água. 
14094 (O Comissário) Ouvi-o dizer vez após vez. (Para a Testemunha). O que você diz não é verdade? - Isso não é verdade, meu Senhor. Estava a vê-lo atentamente o tempo todo. 
O Comissário: Tive dificuldades em perceber como isso pode ser possível que a parte traseira do navio se endireitou por momentos. 
14095 (O Procurador-Geral) A sua percepção é de que o navio permaneceu intacto? - Sim. 
14096 Continuando, continuou a observá-lo até ele desaparecer? - Continuei. 
14097 Basta que nos descreva o que aconteceu, como viu isso? - Depois que ele chegou a um ângulo de 50 ou 60 graus, ou algo assim, houve um som estrondoso, que achei serem as caldeiras a deixarem os seus lugares ou se esmagando contra as anteparas. O navio a pouco e pouco foi ficando na perpendicular, até que finalmente ficou totalmente na perpendicular - algures nesta posição (descrevendo), e depois foi lentamente para baixo. Ele desceu lentamente até ao fim, e, em seguida, depois de ter subido tanto (descrevendo), a partir do segundo convés afundou-se muito mais depressa. 

Herbert John Pitman, terceiro oficial, bote 5, tal como Lightoller, também disse que a popa não se equilibrou de novo na água. Ele também afirmou que o navio afundou intacto. 
15071 Bem, isso deve tê-lo esgotado. Agora, viu o navio ir para o fundo? - Sim. 
15072 Como foi que ele afundou; você era um oficial, talvez possa nos dizer. Outros já foram questionados. Como afundou? Afundou pela proa, sabemos isso? - Sim. 
15073 Descreva-o no seu ponto de vista - Essa foi a posição em que o vi enquanto saíamos. Ela desapareceu gradualmente assim; ele foi direito, em pé assim e desceu assim (demonstrando). 
15074 Esteve a sua parte de trás sempre direita? - Não creio, não vi nada disso. 
15075 Nem antes dele desaparecer? - Não. 
15076 Poderia tê-lo visto se tivesse acontecido? - Acho que sim, eu estava a apenas 100 jardas de distância. 
15077 Estava com os seus olhos nele? - Estava. 
15078 Tem conhecimento que isto foi indicado - supondo que isto é a parte da frente do navio a ir para o fundo deste modo, com a parte de trás subindo desta forma; várias testemunhas disseram que antes ele se partiu, mergulhou no mar, e a parte de trás endireitou-se assim e, em seguida, ela foi para o fundo. A questão é se você acha que é verdade que ele se partiu em dois, de modo a trazer a parte de trás ao nível da água novamente e, em seguida, afundar dessa forma. Terá se partido ao meio? - Não creio. Se a parte de trás se tivesse partido ela teria permanecido à tona. 
15079 Não partida na totalidade, mas rachada, de algum modo? - Não. 
15080 Em todo o caso, o ponto é este: Você viu a última parte do navio - viu-a no ar - direita alinhada com a água de novo? - O navio não fez isso. 
15081 E você diz que o viu, e se tivesse acontecido, teria visto isso? - Certamente. 

Joseph Groves Boxhall, quarto oficial, bote 2, disse que não viu o navio afundar. 
15467 A que distância estava do navio quando ele afundou? - Aproximadamente, meia milha. 
15468 Isso significa que não conseguia ver o que aconteceu? - Não, não conseguia. 

Harold Godfrey Lowe, quinto oficial, bote 14, concordou com Lightoller e Pitman, que no fim a popa do Titanic não se endireitou. No entanto, ele não disse nada sobre o navio afundando-se intacto. 
16015 Você viu o Titanic afundar? - Vi. 
16016 Pode me dizer alguma coisa sobre este endireitar a parte sua traseira, viu isso? - Não, eu não vi de todo ele endireitar-se. Você quer dizer que ele endireitou-se na sua quilha? 
16017 Sim, a sua parte traseira? - Não, meu Senhor, não o vi. 
16018 Você viu ele realmente ir para o fundo? - Vi. 
16019 Se ele se endireitou, dessa forma você teria visto? Sim, porque eu estava a menos de 150 jardas dele. (P) E não viu isso? - (R) Eu não vi. 

George Thomas Rowe, contramestre, bote C, afirmou que não estava em boa posição para ver se a popa se endireitou, e não lhe foi perguntado se afundou intacto ou não. 
17700 (O Comissário) Você viu o Titanic afundar? - Sim. 
17701 Você sabe como o naufrágio foi descrito para nós por algumas testemunhas; que dizem que ele foi ao fundo pela proa. Supomos que esta é a proa (indicando), que estava a afundar pela proa dessa forma e, em seguida, antes dele afundar, a parte traseira endireitou-se e ficou equilibrada, no sentido em que a quilha ficou na superfície da água. É assim mesmo? - Eu não lhe sei responder. Eu estava a olhar para ele praticamente petrificado - o que eu chamo de vazio.