sábado, maio 28, 2011

 JOHN HUGO ROSS
O PASSAGEIRO ACAMADO 
John Hugo Ross nasceu em Glengarry Co., Ontário, 24 de Novembro de 1875, e mudou-se para Winnipeg, Manitoba com seus pais quando tinha dois anos de idade. Ele era filho de Arthur Wellington Ross, um membro do partido Liberal-Conservador do Parlamento do Canadá para a Manitoba Constituency of Lisgar e era corretor de imóveis, estando envolvido na construção da Canadian Pacific Railway, e em 1878 foi eleito membro da Assembléia Legislativa de Manitoba. Arthur Ross renunciou ao seu cargo em 1882 para concorrer a um cargo federal, e acabou por ser eleito deputado. Enquanto criança John Hugo foi descrito no Winnipeg Free Press como "um menino de faces rosadas vestido com umas  knickerbockers (calças curtas em voga na época), montado no seu trenó, ou saindo de patins. Aos domingos e ocasiões especiais, ele era um homenzinho de kilt". Durante a sua adolescência, o seu pai arranjou-lhe uma vaga de emprego para trabalhar com o tenente-governador de Manitoba, Coolbrook James Patterson. Trabalhou lá por um ano, e saiu de Winnipeg para Toronto, onde entrou no mundo dos negócios por si mesmo como corretor de mineração. A empresa faliu, e Hugo acabou por ter uma grande discussão com o seu pai e, em 1902, com 25 centavos no bolso, partiu para Klondike para se estrear na corrida ao ouro mas no momento em que chegou lá, percebeu que a corrida já tinha terminado. Quando o seu pai morreu, John Hugo Ross herdou a fortuna da família e voltou para Winnipeg para cuidar da sua mãe viúva. Elegante e extravagante, Ross tinha um humor sarcástico. Ele e o corretor de imóveis Thomson Beattie tinham escritórios de frente de um para o outro ao longo de todo o corredor do Merchants Bank Building. A secretária de Ross, Maud MacArthur, era na verdade, noiva de Beattie. Ross, Beattie e o banqueiro de Vancouver Thomas McCaffry partiram de Nova York no navio Franconia, em 20 de Janeiro de 1912. Depois de dois meses, no Egeu e no Egito Ross começou se sentindo mal, e o grupo decidiu encortar as suas curtas férias. "Estamos no último percurso pelas antigas terras e prontos para Winnipeg e os negócios", escreveu Hugo num postal aos amigos em Winnipeg. Ross cancelou a reserva no Mauritânia, e reservou a cabine A-10 no Titanic. Quando embarcou em 10 de Abril de 1912, ele estava tão doente de disenteria que teve que ser levado para o seu camarote em uma maca. A última pessoa a ver Ross vivo, provavelmente foi o Major Arthur Peuchen companheiro das regatas. Peuchen fez o seu caminho até a grande escadaria e viu Ross ainda de pijama. Quando foi dito a Ross que o navio tinha batido num iceberg e que ele deveria se vestir, Ross se recusou a acreditar que o problema era sério. "É só isso?" disse ele a Peuchen. "É preciso mais que um iceberg para me tirar deste navio". Presumivelmente, Ross se afogou deitado na sua cama. O seu corpo nunca foi recuperado, mas uma placa comemorativa com o nome dele pode ser encontrada em Winnipeg City Hall.

sábado, maio 21, 2011

TITANIC 3D TRAILER

video
TITANIC 3D DIA 6 DE ABRIL DE 2012
Parem as máquinas! Icebergue mesmo à frente! Vem aí o novo Titanic! Sim, caros amigos: O clássico filme "Titanic" estará de volta aos cinemas. "TITANIC 3D" é a novidade que será lançada no dia 6 de Abril de 2012. Este coincidirá com o aniversário dos 100 anos da partida do navio "Titanic" a 10 de Abril até o seu destino trágico no naufrágio do dia 15 de Abril, que inspirou o filme. O cineasta James Cameron já se encontra no trabalho de conversão para 3D de um de seus maiores sucessos. Um trabalho conjunto entre a Paramount Pictures, 20th Century Fox e Lighstorm Entertainment vai relançar este mega sucesso. A nova linguagem de "Titanic", para a versão 3D, conta com o comando de James Cameron, o diretor que brilhou com o primeiro sucesso 3D mundial, o filme "Avatar". James Cameron escreveu, dirigiu e produziu o filme "Titanic", em 1997. Lançado em Dezembro desse ano, Titanic foi protagonizado pela dupla Leonardo DiCaprio e Kate Winslet. Titanic foi um dos recordistas do Oscar, indicado a 14 Oscars como um fenômeno em 1997, "Titanic" perdeu em apenas três categorias, conquistando 11 estatuetas, incluindo melhor filme e direção para James Cameron. Teve um custo de US$ 200 milhões mas arrecadou mais de US$ 1,8 biliões em bilheteiras. James falou sobre o relançamento: "Há uma geração que não teve a oportunidade de ver 'Titanic' como ele deve ser visto, que é no cinema. Com o poder emocional intacto e imagens mais poderosas do que nunca, isso será uma experiência épica para fãs e novatos", contou o diretor. Prevê-se que o mesmo tenha mais dez minutos de cenas completamente desconhecidas do público. Cliquem nos links para assistir:

sábado, maio 14, 2011

CULPADOS
Teria culpados o naufrágio do Titanic?
O surpreso naufrágio do Titanic foi uma polêmica que se estende até hoje. Inúmeras perguntas, exemplificações de naufrágio, teorias, relatos. Mas será que este naufrágio foi tão simples assim? O que fez o Capitão Smith se esquecer de medir a temperatura da água, e não checar se os binóculos estavam a bordo? Por qual motivo ignorariam os relatórios de presença de Icebergs na região? Não creio que Ismay apostasse suas melhores cartas numa máquina feita pelo homem ainda desafiando a natureza, ele não poderia ser tão ingênuo assim, afinal, problemas acontecem, principalmente numa viagem inaugural.
Fatos
- O Titanic era equipado com 20 botes salva-vidas, 16 botes fixos e quatro desmontáveis. A quantidade era suficiente apenas para pouco mais da metade das pessoas a bordo (cerca de 1 300). O que fez com que a Lei que regiam a construção de transatlânticos permitisse a conclusão de um navio com botes apenas para a metade dos passageiros? (metade superior, complementando).
- O “insubmersível” apelido, foi dado ao Titanic devido aos quatro compartimentos frontais que resistiriam se estivessem cheios d’água, no caso de colisão frontal. As portas estanques eram automáticas, e na presença de água, elas eram fechadas. O Titanic flutuaria com os quatro compartimentos cheios, mas acontece que não deixaram colidir de frente, ao invés disso tentaram reverter a estibordo, causando danos de noventa metros no casco abrindo o quinto compartimento. Se fosse colisão frontal, poucos sairiam mortos. O fato é que seria um ato (ousadamente) heróico, por parte de Willian Murdoch, que tentou salvar o navio todo (ou passava pela cabeça ainda a idéia de chegar à Nova Iorque independente do que se faça?) 
CONTROVÉRSIA: Ninguém havia dito que nem Deus afundaria o navio. O que aconteceu é que, os engenheiros da embarcação ao apresentar as comportas à prova d’água, disseram que tal tecnologia o tornaria PRATICAMENTE insubmersível. As falas e boatos desafiando a lei divina vieram originados do povo (se é que veio), que após saber da notícia, circulariam pelas ruas que nem Deus o afundaria, e não que o pessoal da White Star Line/Harland anad Wolff tivera dito isso de fato.
- Alguns dizem que o SS Californian, viu o Titanic e não prestou socorro. Outros dizem que os tripulantes do navio estavam dormindo, outros dizem que ele estava ancorado, devido à presença de icebergs, e só retomaria rumo no dia seguinte. De todos os pedidos enviados, o único que recebeu foi o Carpathia, quatro horas de distância do Titanic. Não havia outros navios na área? Qual a real distância que os falados telégrafos Marconi era capaz de transmitir ondas? Não há indícios de possíveis problemas de interferência ou falhas de comunicação?
- Abril é o pior mês do ano. Seria azar mesmo, a viagem inaugural logo neste mês. Ou proposital, afinal, era praticamente insubmersível. Que iceberg iria afundá-lo?
- A colocação de passageiros nos botes foi maneirada por, 1º os tripulantes não sabiam manejar os botes, principalmente com a inclinação do navio, 2º acreditavam que o bote poderia rachar com muitas pessoas, por isso alguns saíram com pouco mais de dez passageiros. O resultado foi um tumulto jamais visto, pessoas no desespero fizeram coisas que jamais fariam (alguns homens se arriscaram a se vestir de mulher, para entrar nos botes).
Vamos culpar quem?
A manhã do dia 15 de abril de 1912 foi bastante confusa. A maioria dos sobreviventes no Carpathia não sabia seus destinos dali em diante. Eles viram ao vivo e a cores o naufrágio do navio (uns assistiram, aqueles que aguardavam nos botes e outros viveram quem ficou na popa até descer). O prédio da White Star Line estava repleto de jornalistas e todos, muitos “bravos” com Ismay. Algumas imediatas notícias saíram dizendo que o Titanic fora salvo. A realidade bateu na porta quando os sobreviventes chegaram à Nova Iorque, e disseram o que passara na naquela noite. Particularmente, eu diria que o naufrágio do Titanic foi conseqüência de uma grande ambição, que foi projetada rápida demais. A vontade de chegar a Nova Iorque um dia anterior foi consentida, mas com 1,500 vítimas e 700 traumatizadas.Um exemplar engenheiro chefe, morrer enclausurado dentro do navio, um capitão à beira da aposentadoria, e inúmeras vidas que só elas para dizer o que foi de fato, o naufrágio do Titanic.
Fonte: A maldição do Titanic, A Night to remember, Titanic survivor – Violet Jessop

sábado, maio 07, 2011

video
 O NAUFRÁGIO DO LUSITANIA
O Lusitania saiu de New York no dia 1 de maio de 1915 com destino a Liverpool. No dia 6, quinta-feira o comandante foi informado de que havia submarinos alemães no seu percurso. No dia 7, sexta-feira, dia do naufrágio por volta das 14h10 da tarde o Lusitania foi atingido por um torpedo no seu lado de estibordo (lado direito do navio) pelo submarino alemão U-20. O navio possuía botes para todos os passageiros, mas como o navio se manteve em movimento depois do choque, muitos botes não foram lançados. O Lusitania afundou em apenas 18 minutos, ou seja por volta das 14h28. Hoje questiona-se o motivo do Lusitania se ter afundado com apenas um torpedo e tão rápidamente. Alguns sobreviventes mencionam outras explosões do interior do navio que se acreditam ser desde munições a armas de guerra que, escondidas, seguiam a bordo. Esta tragédia ao largo de Kinsale na Irlanda, que vitimou 1198 pessoas, das 1959 a bordo, foi motor de arranque para dois anos mais tarde os Estados Unidos da América entrarem na Primeira Grande Guerra Mundial.

domingo, maio 01, 2011

NEARER MY GOD TO THEE 
A versão Bethany de Nearer My God To Thee tocada no filme de James Cameron e que nos acostumamos a ouvir, pode não ter sido tocada por Hartley na noite do naufrágio. Para se entender melhor esta afirmação, é necessário contar-se um pouco da história deste hino religioso.
"Nearer My God To Thee" (Mais Perto de Ti Meu Deus) é um hino cristão do século XIX criado por Sarah Flower Adams, e baseado em Gênesis 28:11-19, que conta a história do sonho de Jacó. (Tradução do Novo Mundo) "11 Com o tempo atingiu certo lugar e se preparou para pernoitar ali, visto que o sol já se tinha posto. Tomou, pois, uma das pedras do lugar e a pôs como apoio para a sua cabeça, e deitou-se naquele lugar. 12 E começou a sonhar, e eis que havia uma escada posta na terra e seu topo tocava nos céus; e eis que anjos de Deus subiam e desciam por ela. 13 E eis que Jeová estava parado acima dela e passou a dizer: “Eu sou Jeová, o Deus de Abraão, teu pai, e o Deus de Isaque. A terra em que estás deitado, eu vou dá-la a ti e à tua descendência. 14 E tua descendência há de tornar-se como as partículas de pó da terra, e tu te hás de espalhar para o oeste, e para o leste, e para o norte, e para o sul, e todas as famílias do solo hão de abençoar a si mesmas por meio de ti e por meio de tua descendência. 15 E eis que estou contigo e vou guardar-te em todo o caminho em que andares, e vou retornar-te a este solo, porque não te abandonarei até que eu tenha realmente feito o que te falei.” 16 Jacó acordou então do sono e disse: “Verdadeiramente, Jeová está neste lugar e eu mesmo não o sabia.” 17 E ficou temeroso e acrescentou: “Quão atemorizante é este lugar! Não é senão a casa de Deus e este é o portão dos céus.” 18 De modo que Jacó se levantou de manhã cedo e tomou a pedra que tivera ali como apoio para a sua cabeça, e erigiu-a como coluna e despejou óleo sobre o topo dela. 19 Ademais, chamou aquele lugar pelo nome de Betel; mas o fato é que o nome da cidade era anteriormente Luz."
Os versos baseados na bíblia foram escritos pela poeta e escritora Sarah Flower Adams (1805-1848) em sua casa em Sunnybank, Loughton, Essex, Inglaterra, em 1841. O hino teve a sua primeira sonoridade associada através da irmã de Sarah, a compositora Eliza Flower, que compôs para a editora William Johnson Fox's collection Hymns and Anthems. No Reino Unido, o poema Nearer My God To Thee está associado à melodia do hino de 1861 chamado "Horbury" de John Bacchus Dykes, que se mudou para uma aldeia perto de Wakefield, Inglaterra, onde ele e sua família haviam encontrado "paz e conforto". No resto do mundo, o hino é cantado geralmente na melodia de 1856 "Bethany", de Lowell Mason. Os Metodistas preferem a música "Propior Deo", de Arthur Sullivan (de Gilbert e Sullivan), de 1872. Sullivan escreveu um segundo ajuste para o hino, uma música denominada "St. Edmund". Outras versões do século XIX são as realizadas pelos Rev. Godfrey, WH Longhurst, Herbert Columbine, Frederic N. Löhr, Thomas Adams, e um conjunto composto por William Bennett Sterndale e Otto Goldschmidt. Em 1955, o compositor e musicólogo inglês Sir Jack Westrup compôs uma versão na forma de um hino para quatro solistas, com acompanhamento de órgão. "Mais perto, de Ti, Meu Deus" é associado ao RMS Titanic, devido a vários passageiros que relataram que a banda do navio tocou o hino quando o Titanic afundou e o cantaram. A versão Bethany foi usada no filme Titanic de 1943 e no filme de Jean Negulesco de 1953 Titanic, enquanto a versão "Horbury" foi tocada no filme de Roy Ward Baker, de 1958 sobre o naufrágio, A Night to Remember. A versão "Bethany" foi novamente utilizada no Titanic de James Cameron em 1997. Wallace Hartley, líder da banda, que, tal como todos os músicos a bordo afundou com o navio, sempre expressou o desejo de que Nearer My God To Thee fosse um dia tocada no seu funeral. Ele era britânico e metodista, e estaria de certo familiarizado com as versões "Horbury" e "Propior Deo", mas não com "Bethany". O seu pai, um maestro Metodista, usou a versão "Propior Deo" na sua igreja por mais de 30 anos, porque a sua família estava certa de que Hartley teria usado a versão "Propior Deo", e é esta música que aparece na pauta inscrita no memorial de Hartley. No entanto, o que levou ao erro de se considerar a versão errada da história do Titanic foi uma gravação de Edison lançada em 1913, que quando vendida tinha como nota que a versão Bethany ouvida naquele disco era "a música que quando o "Titanic", o grande navio a vapor afundou no meio do oceano, em Abril de 1912, estava sendo tocada pela banda e cantada pelos passageiros, mesmo quando o barco mergulhou no oceano em seus momentos finais.