sexta-feira, dezembro 26, 2008

JACK E ROSE EXISTIRAM?

JACK E ROSE EXISTIRAM?
Muitas pessoas ainda hoje procuram a resposta a esta pergunta. Não constam de qualquer lista de passageiros do Titanic nenhuma Rose DeWitt Bukater ou Rose Dawson, Ruth DeWitt Bukater, Caledon Nathan Hockley, mordomo Lovejoy, empregada Trudy Bolt, nem os passageiros de terceira-classe Olaf e Sven (que não embarcaram), o amigo irlandês de Jack e Fabrizio de nome Tommy Ryan, Helga Dahl (a namorada de Fabrizio de Rossi) e sua família, Bert e Cora Cartmell (a menina que dança com Jack e seu pai) e obviamente Jack Dawson e Fabrizio não estiveram no Titanic. Cameron em entrevista há dez anos logo após o lançamento de sucesso do filme confirmou:
- Houve alguns elementos verdadeiros na história de Jack e Rose?
- Bem, Rose era o nome da minha avó materna o que a torna desligada do Titanic. Não, eles são personagens fictícios. Mas, por exemplo, Rose saltou do barco de salvamento de volta para o navio e isso aconteceu realmente - quando Ida Strauss saltou de novo para o Titanic para ficar com o seu marido. Sim, é seguido à risca deste ponto em diante.
Pegando neste comentário de Cameron, e para esclarecer várias questões às dezenas de comentários que um só post sobre a Rose recebeu e que se tornou quase numa espécie de fórum de discussão, o TitanicFans numa tentativa de colocar um ponto final no assunto deixa aqui uma lista de vários posts sobre o assunto.

sábado, dezembro 13, 2008

UM FINAL INFELIZ
Michel Navratil nasceu em Szered, Eslováquia, onde viveu parte da sua vida, mais tarde mudou-se para a Hungria, e por fim em 1902 foi para França onde se tornou alfaiate. Casou-se a 26 de Maio de 1907 no distrito de Westminster em Londres com a italiana Marcelle Caretto. Tiveram dois filhos, Michel Marcel que nasceu em 1908 e Edmond Roger nascido em 1910, (Lolo e Momon), entretanto, no ínicio de 1912 o negócio de família atravessava uma crise acabando por arrastar consigo o casamento. Michel dizia que Marcelle mantinha um caso extraconjugal. Com efeito o casal separou-se e os meninos ficaram com a mãe. No início de Abril de 1912, as crianças foram passar a Páscoa com o pai, quando Marcelle foi para os ir buscar de volta, eles tinham desaparecido. Navratil tinha decidido ficar com os meninos e levá-los com ele para a América. Após as férias em Monte - Carlo, antes que Marcelle lá chegasse, navegaram para Inglaterra onde permaneceram no Charing Cross Hotel, em Londres. Comprou bilhetes de segunda classe (bilhete No.230080, £26) e embarcou no Titanic em Southampton, os meninos foram registrados como Loto e Louis. O nome de Navratil por sua vez passou a ser “Louis M. Hoffman”, foi adoptado do seu amigo Louis Hoffman, que o ajudou a sair de França com as crianças.
No Titanic quando lhe questionavam pela mãe dos meninos ele dizia que a “Sra. Hoffman” tinha falecido. Ele raramente perdia os meninos de vista ou os deixava com alguém, excepto uma vez que, para descansar um pouco e ir jogar cartas com outros passageiros, pediu a passageira Bertha Lehmann, uma menina suíça que só falava francês mas nenhum inglês, para prestar atenção aos meninos por algumas horas.
A bordo, o Sr. Navratil escreveu a sua mãe na Hungria, perguntando se a sua irmã e o seu cunhado não se importariam de ficar com os meninos; se possivelmente como alternativa não podessem permanecer na América.
Na noite do naufrágio, Michel foi ajudado por um outro passageiro, vestiu os meninos e trouxe-os para o convés dos botes salva-vidas. Quando o segundo oficial Charles Lightoller organizou um cerco de marinheiros em volta do desmontável D para impedir que a multidão passasse e gritando que só mulheres e crianças podiam ir no bote, Navratil conseguiu fazer passar os meninos por entre esse cordão humano. Michel, Jr., recordou que imediatamente antes de o colocar no bote, o seu pai deixou-lhe uma mensagem final, “meu filho, quando a tua mãe te vier buscar, de certeza que virá, diz-lhe que eu a amei muito e ainda a amo. Diz-lhe que eu a vou esperar, e que vamos ficar todos juntos em paz e felicidade no Novo Mundo.”
Navratil morreu no naufrágio. Os meninos adormeceram durante a noite e só acordaram quando viram o Carpathia já pela manhã. Uma vez a bordo, eles só entendiam e falavam francês. A passageira Bertha Lehmann que tinha tomado conta deles no Titanic sobreviveu mas encontrava-se doente (sendo internada na chegada a Nova Iorque no St. Vincent's Hospital). Veio então Margaret Hays, sobrevivente no bote 7 e passageira de primeira-classe tomar conta deles. "Os órfãos Navratil" ficaram sobre a tutela dela em sua casa em Nova Iorque com a supervisão da comissão de imigração de menores até que algum familiar os reclamasse. Muitas mulheres reivindicaram serem as mães das crianças ou familiares próximas na tentativa de se tornarem conhecidas. Contudo, Marcelle Navratil, alheia à hipótese dos filhos terem qualquer ligação à maior tragédia da História da Navegação, reconheceu petrificada e incrédula as fotos dos seus meninos no meio de muitos artigos de jornal sobre a tragédia, e após vários contactos desesperados, foi levada de imediato para a América pela White Star Line onde se pode finalmente reunir aos seus filhos a 16 de Maio, um dia depois do enterro do marido. Mãe e filhos voltaram para França no navio Oceanic. Marcelle Navratil, a mãe dos meninos, faleceu em 1974. Edmond Roger faleceu em 1950, com 43 anos, por sua vez Michel, o mais velho, veio a falecer em 2001, não sem antes em 1996 ter ainda visitado pela primeira vez desde 1912 a sepultura do seu pai no cemitério. A história emocionou o mundo em 1912. A fasquia provocada pelo ciúme infundado de Navratil foi colocada demasiado alta e o preço pago foi a sua própria vida, colocou até em risco a vida dos seus próprios filhos, poderia até ter desvastado por completo a vida de uma mãe que, afinal, sempre lhe tinha sido fiel.

sexta-feira, dezembro 05, 2008

TEORIA PARA O NAVIO FANTASMA
No momento do lançamento dos fogos de ajuda observou-se ao horizonte uma luz que julgou-se ser um navio. Muitas pessoas imaginaram que em pouco tempo um vapor iria resgatá-las. Isso não aconteceu e observou-se o navio se afastando até desaparecer no horizonte. Por causa desses relatos o comandante do Californian, que se julgava ser esse vapor, foi execrado por não ter prestado ajuda aos náufragos. De facto, o Californian com o Carpathia e o Mount Temple foram os vapores que procuraram por sobreviventes na manhã seguinte. O Carpathia levou os sobreviventes até o porto de Nova Iorque. Vamos agora tentar explorar a possibilidade do navio fantasma ter sido algum objecto celeste. Para começar vamos observar o céu estrelado daquela fatídica noite. Quando o Titanic bateu no iceberg a Ursa Maior dominava o céu, Vega nascia, Procyon e Capela desciam para perto do horizonte. Marte estava a 11.5 graus acima do horizonte e se pondo. Jupiter nascia a apenas 5.1 graus acima do horizonte. Naquela noite Marte se poria no horizonte oeste exatamente as 00:54 do dia 15 de Abril. Brilhava com uma pálida magnitude 1.2 com 5 segundos de arco de diâmetro. Procyon se punha as 00:45 com azimute 280, magnitude 0.4 e cor branca. Vejamos o que se passava no navio...
45 minutos depois da colisão com o iceberg Rowe telefonou para a ponte e o oficial Boxhall respondeu. Rowe disse que ele havia visto o escaler 7 na agua. Boxhall ficou surpreso porque não sabia que a ordem de baixar escaleres havia sido dada. Ele instruiu Rowe para levar os fogos de artifício para a ponte. Boxhall teria visto as luzes de um barco nesse momento e o Capitão Smith deu permissão para o lançamento dos fogos. O primeiro fogo foi lançado as 00:45 e então de 5 em cinco minutos. Entre esses lançamentos Rowe e Boxhall tentaram usar uma lanterna morse. O navio teria sido visto na direção traseira direita do navio. Rowe afirmou que dois pontos indicavam a traseira de um navio a distância de 5 milhas "
Essa direção coincide com a posição do Californian se considerarmos a direção original do Titanic e o fato de que ele virou para o Sul cerca de 90 graus. Podemos perceber a enorme coincidência de horários entre o por do Sol de Marte, no azimute 305 graus, e o momento em que os tripulantes do Titanic teriam visto o navio desaparecendo no horizonte. Como sabemos hoje o Californian estava a mais de 20 milhas náuticas do Titanic e em um azimute de algo como 340 graus. Não podia ser ele, a distância era grande demais. O Titanic trafegava no azimute 266 graus a 21.6 nós. A posição de Marte era exatamente a frontal direita do navio. Visto do Titanic, Marte e o Californian estavam em posições próximas. O Californian estava atracado para aguardar o dia seguinte. Como os marinheiros do Titanic o viram sumir no horizonte ?
Pelo menos para mim estou convencido de que, no afã da situação desesperadora, os marinheiros confundiram o planeta vermelho que, naquele momento, estava se pondo no horizonte, levando com ele a esperança de milhares de pessoas.
O problema é, de fato, mais complexo, pois envolve testemunhas do Californian. O Comandante do Californian foi execrado. Parece que foi apenas um engano, ele estava longe demais para ver o Titanic ? O livro de Gardner "The Riddle of Titanic" explora bem os testemunhos. Serão só coincidências ? O que você acha ? A direcção do Californian era parecida com a de Marte... O horário batia exactamente com o ocaso do planeta.

sábado, novembro 29, 2008

video

TITANICFANS

Este post é dedicado a todos os que nos visitam, foi a realização de um post que há muito desejava fazer aliado a uma das minhas músicas favoritas, uma montagem feita por mim mesmo para contar uma história.

Frank John William Goldsmith Jr. era um rapaz de nove anos que viajava em 3ª classe com os seus pais, John William de 33 anos e Emily Alice de 31, e os amigos Thomas Theobald e Alfred Rush. A família Goldsmith ia com destino a Detroit ao encontro de uma nova vida, ainda sofriam com a perda do seu outro filho, Bertie, que faleceu de Difteria nos finais de 1911. Segundo o livro de Ken Marshall "Inside Titanic", o quarto de Frank era uma pequena cabine de terceira classe. Por sua vez, um outro menino de primeira-classe, Billy, e sua família viajavam em uma suíte luxuosa. Os dois meninos estavam emocionados por estarem na primeira viagem do maior navio então construído. E eles não podiam esperar para explorar cada detalhe deste fabuloso navio: "Nós os miúdos passavamos muito tempo nas salas das caldeiras do navio a ver os alimentadores de fornalha a trabalhar. Eles cantavam canções. Muitas vezes quando olhávamos para eles, eles batiam com as pás nas grades dos contentores de carvão ao ritmo da cantoria." Finalmente a potente sereia lançou o silvo de aviso da partida eminente. A lotação total final era de 2208 pessoas a bordo, 1317 passageiros e 891 tripulantes. Às treze e trinta o Titanic levantou a âncora de estibordo, que o mantinha fundeado na baía, e iniciou a travessia do Atlântico, seguindo a famosa North Atlantic Run, uma das principais rotas marítimas do mundo. A vista da coberta superior do Titanic era maravilhosa. Este era o reino do comandante e dos oficiais de coberta.
Cpt. Smith - Leve-o para o alto-mar, Sr. Murdoch. Vamos dar-lhe exercício.
Murdoch - Sim, meu comandante. A todo o vapor, Sr. Moody.
Moody - A todo o vapor.
Quando decidem aumentar a velocidade, já no alto-mar, e empurrar aquele colosso toda a força e centenas de fogueiros atiram carvão para as fornalhas e vemos subir e descer as enormes bielas daqueles motores gigantescos, então compreendemos. Vemos a força interior do navio, vemos o seu poder. Thomas Andrews observa atentamente os engenheiros e maquinistas que iam ajustando e rodando as válvulas, na sala das caldeiras os fogueiros cantam uma canção de incentivo ao trabalho quente e pesado.

Chefe Bell - A todo o vapor.
- A todo o vapor.
Barrett - Vamos encher as caldeiras. A todo o vapor.
É então que vemos a satisfação dos oficiais que comandam o navio e a sensação de domínio sobre os outros elementos.

Murdoch - 21 nós, meu comandante.
Cpt. Smith - Agora é que lhe demos um osso para os dentes, eh, Sr. Murdoch.
A impressionante fila de caldeiras instaladas no Titanic eram alimentadas por enormes bocas abertas em cada caldeira onde se deitava o carvão que devia proporcionar ao Titanic a sua energia. Foi então que reparamos que no cimo da quarta chaminé que servia de ventilação inteiror encontrava-se um fogueiro de rosto enegrecido pela fuligem, provocando sonoras gargalhadas nos passageiros. Outros acreditaram ver a materialização de um ser infernal surgido das entranhas do navio e empenhado em recordar que por detrás de todo aquele luxo e aquela segurança se escondiam forças obscuras e ameaçadoras. Qualquer que tenha sido o motivo dessa curiosa escalada até à boca da chaminé, o incidente alimentou os rumores sobre a singularidade do Titanic. "Na tarde de 11 de Abril a minha mãe e eu ficamos na popa do navio a ver a Irlanda a desaparecer, com o coração aos saltos gritei «MÃE! ESTAMOS NO ATLÂNTICO!»"
Frank gritava de contentamento, sentiu a brisa do oceano, sentiu-se o rei do mundo, sentiu-se voar... A Irlanda ficava para trás, muito iria acontecer às 2208 pessoas que estavam a bordo, só 705 voltariam a ver terra de novo, entre eles Frank e a sua mãe...

Créditos: Mário Silva - Textos de posts do TitanicFans, Música: Sirens' Whispering - Vangelis, Vídeo: Titanic Birth of a Legend, Livro: "Inside Titanic" - Ken Marshall.

sexta-feira, novembro 21, 2008

JOGOS TITANIC
O TitanicFans abriu uma nova secção de jogos do Titanic! Esta sopa de letras foi publicada em 1998 são ao todo 44 palavras alusivas ao filme. Por baixo do Mural de Recados existem jogos de memória, que têm como tema o filme Titanic. Imprima a imagem e procure as palavras, ou teste a sua mente virando as imagens no teste de memória Titanic! Seja o mais rápido e erre o menor número de vezes possível! O TitanicFans deseja que se divirta nesta nova secção feita especialmente para si!

sexta-feira, novembro 14, 2008

ERRO OU MITO
"Em que cena de Titanic é visto um dos figurantes usando relógio digital? Isso é verdade sobre erro? Ou é tipo só mito?" - assim como o nosso leitor Gleiton, muitos fazem essa pergunta também, tantos quantos aqueles caçadores de erros do melhor filme de todos os tempos, tido como "perfeito" para a sua época (1997) tal qual foi o Titanic de 1912. Depressa esses caçadores conseguiram achar erros no filme, alguns bem provados e comprovados, outros ainda levantam dúvidas se podem ser considerados erros ou não. Na lista já constam mais de 200 erros ou falhas do filme mais caro de sempre! Esta imagem é da cena em que Rose salta e cai no convés e é ajudada pelo padeiro Joughin. Por trás dela vemos um figurante de terceira classe, suposto pai de família que ajuda a sua esposa e filhos a pular para baixo. Vemos que ele usa um relógio de pulso. Pois bem, os primeiros relógios utilizados foram os relógios de bolso. No início eram muito raros e tidos como verdadeiras jóias, pois poucos tinham um. Os relógios de bolso eram símbolo da alta aristocracia. Comenta-se que foi Santos Dumont quem inventou os relógios de pulso. A amizade de Santos Dumont com Louis Cartier vinha do fim do século XIX. Uma noite, Alberto lhe disse que não tinha como ler a hora em pleno vôo em seu relógio de bolso, depois, com o auxílio do mestre relojoeiro Edmond Jaeger apresentaram uma solução para Santos Dumont, um protótipo do relógio de pulso, em Março de 1904, o qual permitia ver as horas mantendo as mãos nos comandos. Entretanto, relógios de pulso já eram conhecidos e usados anteriormente. O que acontecia é que eram adereços essencialmente femininos e eram geralmente feitos sob encomenda. Na verdade, a Santos Dumont coube a popularização do relógio de pulso entre os homens. A Primeira Guerra Mundial foi o marco definitivo no uso do relógio de pulso, já que os soldados precisavam de um jeito prático de saber as horas. Por isso não é de estranhar que este homem usasse um relógio de pulso em 1912, pois tanto os relógios de pulso como os relógios de bolso já estavam banalizados na época e fácilmente acessíveis pois haviam para todos os preços e qualidades. Se o que este figurante usa é digital ou não, cabe a cada um ver a cena e apostar de que marca seria o relógio.

sexta-feira, novembro 07, 2008

O SOBREVIVENTE DA FOTO
Hugh Woolner nasceu em 28 de Setembro de 1866 e com 45 anos, foi um dos sobreviventes do Titanic. O Sr. Hugh Woolner residia naa Rua Welbeck nº29, Londres e era o director de vários negócios. Comprou um bilhete da primeira classe e ocupou a cabine C-52 (possivelmente com Mauritz Björnström-Steffansson). Embarcou no Titanic em Southampton. De acordo com o seu testemunho “uma senhora (Sra. Churchill Candee) foi recomendada a meu cuidado por cartas de amigos em Inglaterra. Embarcou no navio em Cherbourg, mas eu não a tinha conhecido antes.”
Além de recordar algumas coisas do dia a dia a bordo do navio, recordava-se de coisas fora de comum...
“Eu observei que, tanto quanto minha memória me permite, que o número de milhas por dia ia aumentado enquanto nós navegávamos. Se eu bem me recordo, um dia eram 314 milhas, e no dia seguinte eram 356 milhas e aquele é o último número que me recordo (soube-se mais tarde que na realidade eram 514 e 556). Eu penso que era o último número por acima dos anúncios do navio.”

A respeito do capitão Smith mais tarde recordou: “Eu vi-o no pequeno almoço e, eu penso, no convívo uma noite no bar, mas eu não estou bem certo disso.”
Na altura da colisão, Woolner estava na sala de fumo da primeira classe com Mauritz Björnström-Steffansson e um “Sr. Kennett” (provavelmente Edward Austin Kent).
“Nós sentimos um estremecimento, uma pancada, não exactamente um choque, mas uma pancada lenta; e então nós sentimos um som de rasgo que percorria o navio inteiro. Todos, tantos homens quantos eu podia ver, foram lá para fora rapidamente através das portas giratórias no lado estibordo, e viram algo a percorrer até a popa. Eu comecei a escutar o que diziam. As pessoas suponham o que poderia ter sido, e um homem disse, 'um iceberg passou agora mesmo.” Mas quem esse homem era, eu não sei. Eu nunca mais o vi." Woolner recorda que foi procurar a Sra. Candee e encontrou-a na porta do seu quarto. E tranquilizou-a que tinha sofrido um pequeno acidente e foram para o convés. A caminho do convés num dos corredores do navio viram dois passageiros a envergar os coletes salva-vidas e foram questionar o comissário de bordo que confirmou que deveriam vestir os coletes. Retornaram ao camarote e vestiram os coletes. Woolner embarcou a sra Candee num bote e manteve-se sempre acompanhado do seu amigo Mauritz, assistiu à recusa da sra. Ida Strauss que persistiu a ficar com o marido e morrer com ele. Hugh afirma que quem disparou tiros para o alto foi Lightoller e Murdoch aí perceberam que o navio se ia afundar e saltaram do convés para o bote D. Mauritz saltou e ficou meio fora e meio dentro do bote, Woolner quase preferia perder os dedos a cair na água e foi içado. Ajudaram também um homem a içar-se para dentro. Havia agora 6 homens no barco salva-vidas e aproximadamente 30 mulheres e crianças. Viram o navio deslizar para dentro de água e não retornaram para recolher sobreviventes. O sol nasceu e Hugh pode ver os icebergues rosados e o Carpathia se aproximando. Hugh Woolner foi recentemente identificado nesta mesma foto na frente do bote salva-vidas. Morreu em 13 de Fevereiro de 1925 em Budapeste.

sexta-feira, outubro 31, 2008


OUTRO TITANIC 2
Outro filme apelidado de forma errada como Titanic 2 foi anunciado pela estação de televisão brasileira SBT. Esse filme concebido em 1996 com poucos gastos foi feito apenas para passar na tv e conta Catherine Zeta-Jones no principal papel. Na verdade esse filme nunca poderia ser o sucessor de Titanic de James Cameron porque foi produzido e entrou no mercado antes do filme mais famoso do cinema. Uma idéia infeliz da estação de televisão contra a guerra de audiências... A estação por motivos de marketing assim o entitulou, dizendo até que se trata daquilo que não vimos em Titanic 1 numa super produção. Mesmo apesar das evidências muitos acreditaram nessa idéia mas na verdade não existe nenhuma numeração do filme Titanic porque nunca houve nenhuma sequela. Hoje contamos com mais de 25 filmes do Titanic. Todos eles contam uma história diferente ficcional, na sua maioria, mas todos valem a pena serem assistidos.

sexta-feira, outubro 24, 2008

TITANIC 2
Quando este falso trailer foi publicado na internet muitos foram os que acreditaram no regresso de Jack, uma sequela de Titanic em que Jack congelado sobreviveu por quase 100 anos. O trailer deste filme que nunca existiu não passa de uma montagem de vários filmes na sua maioria protagonizados pelo Leonardo Di Caprio, alguns deles facilmente reconhecidos são The Beach, The Basketball Diaries, Romeo & Juliet, Catch Me If You Can, entre outros, associado a esse filme algumas montagens do rosto expressivo de Leonardo Di Caprio como no musical Titanic. Uma foto publicitária do actor foi colocada como "Wanted" (Procurado) e anexada à imagem do trailer. Até um cartaz foi anunciado. A montagem tanto do trailer como do cartaz merecem o nosso aplauso.

sexta-feira, outubro 17, 2008

ÚLTIMA HORA
Última sobrevivente do Titanic leiloa recordações amanhã
A única testemunha viva do naufrágio do Titanic vai vender as suas recordações do navio para pagar a mensalidade do lar. Segundo a BBC, Millvina Dean, de 97 anos, espera juntar três mil libras (3800 euros) no leilão que se realiza amanhã. Os coleccionadores poderão comprar cartas enviadas pelo Titanic Relief Fund - fundo de ajuda às famílias afectadas pela tragédia - para a mãe de Millvina. Nessa correspondência pode ler-se que a senhora Dean tem direito a uma libra, sete shillings e seis pences de indemnização por semana. Pinturas raras do Titanic - incluindo uma do navio da White Star a abandonar o porto de Southampton - são outros dos objectos disponíveis.Mas a peça principal do leilão é uma mala com roupas que foram dadas à família de Dean à chegada a Nova Iorque. "A mala é um objecto muito emotivo e raro e representa aquilo que o povo de Nova Iorque fez pelos sobreviventes do naufrágio," disse o organizador do leilão, Andrew Aldridge. "Mas também mostra a situação em que ficaram os sobreviventes quando desembarcaram nos Estados Unidos. Muitas pessoas perderam tudo, menos as roupas que traziam no corpo."Millvina Dean tinha nove semanas quando, no dia 10 de Abril de 1912, embarcou no Titanic. Com a sua família - pai, mãe e irmão - deixava para trás o Reino Unido. À frente, para lá do oceano, tinha o país das oportunidades e o Texas para onde planeava emigrar. O resto da história é conhecido: ao quinto dia de viagem em pleno Atlântico norte, o Titanic embateu contra um icebergue e afundou-se, arrastando para o fundo do mar cerca de 1500 passageiros que não cabiam nos botes salva-vidas. Colocada numa mala, Millvina salvou-se com a mãe e o irmão. Para trás ficou o pai, Bertram Dean, com outros homens que se sacrificaram pelas famílias.Nillvina Dean tornou-se na última sobrevivente do naufrágio do Titanic depois da morte de Barbara Dainton no ano passado. Do lar onde vive disse ao jornal Southern Daily Echo: "Eu vim para aqui depois de ter partido a anca, há dois anos. Não sou mais capaz de voltar para a minha casa. Estou a vender as coisas porque preciso de pagar a mensalidade do lar."

quinta-feira, outubro 16, 2008

DUAS HISTÓRIAS IGUAIS
Esta matéria encontra-se originalmente publicada no TITANICMOMENTOS
No filme, Leo é um passageiro que viaja em terceira classe, de condição humilde, que embarca no barco dos sonhos rumo à América onde espera ter sorte e conseguir fortuna. Numa hábil jogada de pôquer consegue o bilhete para a viagem que iria mudar a sua vida para sempre. Ele nunca poderia imaginar, embora tivesse o coração repleto de esperanças e emoções, que iria encontrar nesta viagem a paixão da sua vida, a mulher pela qual ele seria capaz de tudo, até de dar a vida. E muito menos poderia sonhar que essa mesma vida iria escapar-se-lhe para sempre nessa ida sem regresso. Para Joseph Dawson, a história foi tragicamente, semelhante. Joseph era um marinheiro de 23 anos cheio de sonhos. A viagem rumo à América não estava nos seus planos mas ficou super feliz quando, poucas semanas antes da partida do barco, conseguiu que o contratassem para fazer parte da tripulação. Ele, tal como o Jack do filme, estava bem abaixo do nível da diversão e das festas, na casa das máquinas, e a esperança foi a sua melhor companheira de jornada de trabalho. Queria chegar à América e começar uma nova vida. Joseph trazia consigo uma dor muito grande. A sua família tinha-se dividido, pois não aceitavam a mulher por quem ele se tinha apaixonado. Ele era católico e ela protestante e, na época, isso era motivo suficiente para que o amor deles fosse proibido. Mas a religião não foi entrave suficiente para deter Joseph. O amor que sentiam um pelo outro era maior que tudo, mais forte que credos, religiões ou intolerâncias. Tal como o Jack, Joseph lutou pelo seu amor contra tudo e todos, enfrentou inimizades e batalhas familiares que destroçaram toda a paz e convivência.-Mas não se deixou abalar e casou com ela. Embora a raiva da família fosse tanta que até a foto do casamento foi rasgada justamente onde se encontrava a cara da noiva. Apesar disso, condenados por tudo e por todos viveram um amor super intenso. O único problema era econômico e por isso Joseph partiu sonhando dar uma vida melhor à família. E, tal como Jack, Joseph morreu nas frias águas do Atlântico. A mulher de Joseph, não viu o seu amor afogar-se no Atlântico como Rose, mas nem por isso a sua dor foi menor quando a White Star Line lhe enviou uma carta revelando-lhe a terrível desgraça.-A semelhança entre as duas histórias é incrível. E a forma como o verdadeiro Joseph Dawson foi descoberto, também. Pouco tempo depois da estréia do filme Titanic,um jornal inglês publicou que tinha sido descoberta em Halifax, Nova Escócia, entre outras campas de vítimas do Titanic, uma lápide cujo nome inscrito era J.Dawson. Nesse momento milhares de admiradoras do filme começaram a ir visitar a campa. A única informação que havia sobre ele era que fazia parte da lista de pessoa mortas no afundamento do Titanic. Nada mais. Só que, pouco a pouco as informações foram começando a surgir e conseguiram descobrir a verdadeira história de Joseph. A família dele ainda continua a juntar peças para poder reconstruir este puzzle do passado mas ainda não conseguiram descobrir o nome e origem da sua bonita mulher. E o resto da família foi apanhada de surpresa. Cecília Whelligan, sobrinha de Joseph Dawson, que nunca foi ver o filme, ficou boquiaberta quando soube que um dos protagonistas de Titanic se chamava Jack Dawson. E que era Leonardo DiCaprio que interpretava o papel do seu querido tio Joseph. E imagina como ficaram os netos Oliver e Thomas de 8 e 11 anos ao saberem da história. O Leo DiCaprio estava a interpretar o papel do seu tio avo. Uauuu! Que emoção! Devem ter sido a maior sensação da escola, de certeza! E devem sentir-se super orgulhosos claro! Têm motivos de sobra para isso. É que romances tão grandes como o do seu tio-avô não acontecem todos os dias.
Com base em um texto retirado da Revista Portuguesa - Super PopTeen

sexta-feira, outubro 10, 2008

ACERVOS TITANIC

ACERVOS TITANIC RODRIGO PILLER
É sem dúvida um acervo invejável o do nosso titanico Rodrigo. Natural de Curitiba / Paraná, Brasil, com 22 anos de idade, Rodrigo Aparecido Piller é um verdadeiro artista uma parte valiosíssima do seu acervo foi feita por ele. Sem mais palavras deliciem-se com as fotos cedidas gentilmente pelo próprio e vejam a vasta lista de items que lhe pertence.

Nota: para verem as fotos em ponto maior cliquem sobre elas com o mouse.

FilmesTitanic 1943
Titanic 1953
Somente Deus por Testemunha (1958)
O Túnel do Tempo
SOS Titanic
Titanic, Alpha filmes
Titanic 1997 VHS e DVD Edição de colecionador
Titanic o desenho
A Camareira do Titanic
Titanic ( espisódio Futurama)
Raise the Titanic
No Greater Love
DocumentáriosOs Segredos do Titanic ( National Geographic )
Titanic, a anatomia de um desastre ( Discovery chanel)
Titanic, a história contada pelos sobreviventes
Fantasmas do Titanic
Titanic the Mistery and the Legacy
Titanic: End of an era
Titanic remembered
Captain of the Titanic
Echoes of Titanic
Irmãos de cina do titanic
Titanic, death of a dream
Titanic, the legend goes on
Maravilhas Modernas, Titanic
Fantástico 30 anos. Grandes reportagens ( dvd com 3 entrevistas das décadas de 70, 80 e 90 com três diferentes sobreviventes do naufrágio)
Fantasmas do abismo
Times of Terror – Terror on the Titanic
Titanic, final moments, missing pieces
Titanica, the scientific expedition on a lifetime
Titanic, histórias inéditas (Discovery channel)
Titanic's Tragic Sister
Titanic.Answers.From.The.Abyss
Titanic, seconds from a disaster
Titanic - Una Meraviglia Tecnologica
La Maledizione del Titanic
A Lenda do titanic
Cazadores de Mitos, el hundimiento Del Titanic.
O Segredo nuclear do Titanic ( National Geographic – TV a cabo)
Titanic, untold histories
Livros
Amor sem igual – Danielle Still
Por dentro do Titanic
Descubra o Titanic (com maquete de papel para montar que mostra como era o navio por dentro)
Titanic, James Cameron (livro pôster)
Titanic James Camron (livro making off)
A Maldição do Titanic
Resgatem o Titanic
Titanic Boulogne, a canção de Ana e Antônio
Titanic, o naufrágio da soberba
O naufrágio do Titanic, uma comédia
Cada um por si, Titanic, um romance
Titanic, o naufrágio
O Crepúsculo da Arrogância, RMS Titanic – Minuto a Minuto
Sobrevivente do Titanic, as memórias de Violet Jessop
O Último Herói do Titanic
Coleção em fascículos SALVAT – Titanic, suas histórias, mistérios e lenda
Down with the old canoe, a cultural history of the Titanic disaster.
Revistas

Revista Seleções - abril de 1956 (compilação do livro Noite Inesquecível de Walter Lord)
Revista Veja – 16 de janeiro de 1998 ( Titanic, a tragédia que ninguém esquece vira o grande filme do verão)
Revista Set – janeiro de 1998 (Paixão e tragédia se misturam no épico mais aguardado da década)
Revista Set –outubro de 1997 (Os super filmes que vem aí, Titanic e mais 17 novas produções)
Revista grandes Naufrágios
Revista Navios e Veleiros (1° fascículo ) com artigo com a história do Titanic e um super-pôster
Cinemateca Revista Veja - fascículo nº 1 - Titanic, vencedor de 11 Oscar, a maior bilheteria do planeta.
ApostilasApostila ( 52 páginas ) com fotos, artigos e reportagens a respeito do filme.
Apostila ( 61 páginas ) com fotos, artigos e reportagens a respeito da história real.
Apostila (51 páginas) com artigos de jornal e de revistas, lista de passageiros, histórias e mais de 300 fotos retiradas da Internet
Apostila (87 páginas) dividida em : construção, exterior, interiores (áreas públicas 1ª, 2ª e 3 classes), Interiores (suítes), resgate e visões gerais dos decks.
CD

Trilha sonora do filme
And the band played on.
Objetos

Maquete do Titanic com 2,24 m de comprimento
Maquete montada da coleção Salvat – Titanic, suas histórias, mistérios e lenda
Réplica do relógio (A coroação da Honra e da Glória ) da escadaria principal do navio com 80x100 cm
Réplica do relógio da suíte de Rose no filme Titanic de 1997
Quadro do navio em alto-mar ( pintura minha ) 70x100 cm
Quadro do navio em alto-mar ( pintura minha ) 20x25 cm
Réplica de cadeira de deck em tamanho natural ( trabalho meu )
Quadro 50X 96 trio de fotos reais ( construção, dia da partida, Olympic decadente pós naufrágio )
Quadro 50X 78 dupla de fotos ( desenhos meus que mostram ele em alto mar - reprodução de cena do filme - desenho mostrando a inclinação momentos antes do naufrágio.
Réplica de um lustre da Grande Escadaria do Titanic
Jogos
Titanic, adventure out of time
Starship Titanic
Titanic , the lost mission
Titanic, dare to discoverCd roomTitanic, an interactive journey
James Cameron’s, Titanic explorer.
Assuntos complementaresLivros A grande aventura de Cousteau , O Enigma do Britannic (fascículo 29).Filmes O Destino do Poseidon (1972), O Dramático reencontro no Poseidon, Velocidade Máxima II, Tormenta, Brittanic, Afundem o Bismark, Navio Fantasma, News Radio – episódio 22 – sinking ship ( sátira do filme de 1997 ), Poseidon ( versão 2007 ), Poseidon ( versão TV )Documentário Fantásticos Transatlânticos (National Geographic), A Expedição de James Cameron ao Bismark, Transatlânticos – a história dos super-navios ( Discovery Channel ), A Odisséia de Cousteau , Calypso em busca do Britannic, Lusitânia, murder on the Atlantic, The sinking of the Wilhelm Gustloff, Os transatlânticos ( Maravilhas Modernas - TV a cabo ), O Incêndio do Morro Castle ( Sea Tales – TV a cabo ), Flying Interprise ( History Channel – TV a cabo), The Ocean Liner ( Mundo – TV a cabo ) 3, O Naufrágio do Lusitânia ( Mundo – TV a cabo )Reportagens Reportagem do Fantástico sobre o naufrágio da balsa Al Salan Bocaccio, Reportagem do Jornal do SBT sobre o maior navio do mundo em 2006.Novela Os dois primeiros capítulos da novela Terra Nostra que mostram a vinda dos imigrantes italianos para o Brasil no início do século em um navio.Revistas Navios e veleiros (fascículo II), Revista Set junho de 2006 com reportagem sobre lançamento do remake do filme Poseidon de 1972.

sexta-feira, outubro 03, 2008

O RAPAZ DO JORNAL
Esta é talvez uma das fotos mais emblemáticas da tragédia do Titanic, o rapaz que vendia as últimas do Jornal Evening News à porta dos escritórios da White Star Line, na Oceanic House, na Cockspur Street em Londres, chamava-se Ned Parfett. A sua história acaba por ser tão trágica quanto foi a do Titanic. Ele morreu muito jovem com apenas 22 anos num bombardeamento em França, a duas semanas do fim da Grande Guerra Mundial. De acordo com uma familiar, assim como os seus três irmãos, Ned alistou-se em 1916 na artilharia inglesa primeiro como mensageiro, uma designação extremamente perigosa, uma vez que isso envolvia atravessar muitas vezes grandes distâncias debaixo de fogo cruzado sem qualquer tipo de protecção, mais tarde foi designado para reconhecimento de áreas. Tais funções mereceram-lhe até o reconhecimento através de uma condecoração pelo seu desempenho exemplar. Todos os seus irmãos sobreviveram as batalhas sangrentas, só Ned não conseguiu. Ele morreu no dia 29 de Outbro de 1918, a apenas 13 dias do fim da guerra, em Valenciennes. Ele estava na sua caserna arrumando as roupas para retornar a casa quando se sucedeu um bombardeamento inimigo que o vitimou. Se ele tivesse sobrevivido, ele teria assistido ao fim da guerra em sua casa, com seus irmãos. Ned encontra-se hoje sepultado no cemitério de guerra inglês em Verchain-Maugré na França.

sexta-feira, setembro 26, 2008

O NOME DA MÚMIA

LA MOMIE FATALE
O TitanicFans publicou no seu histórico: A MÚMIA DO TITANIC uma matéria sobre o mistério da múmia da vidente que vivera na época de Amenófis IV e cujo túmulo fora descoberto em Tell el Amarna. A foto em cima, é a única foto que se conhece dela, e que leva alguns a acreditar que foi da sua autoria o naufrágio do Titanic, por ter sido transportada no navio a pedido de um Lord Canterville. A notícia foi editada no jornal francês "Nos Loisirs" em 14 de Janeiro de 1912, precisamente três meses antes do naufrágio. A múmia, que serviu ao deus Amen-Ra chamava-se Tcheser-Ka-Ra e o jornal refere-se às mortes que ela causou durante as suas viagens a todos aqueles que a viram, tocaram ou se aproximaram dela. A lenda começou quando ela foi encontrada por quatro jovens exploradores em 1890, antes que estes a transportassem para a Inglaterra morreram todos em vários acidentes. Contudo, ela acabou por ser transportada para terras de sua Majestade, um determinado milionário a comprou mas meses depois, de forma misteriosa suicidou-se. Um jornalista sabendo dos seus mistérios, fotografou-a e quando fez a revelação da foto, surgiu a foto demoníaca de uma mulher, poucos dias depois o mesmo jornalista morreu de acidente de carro. Daí até ao Titanic foi um pequeno passo para lhe darem a responsabilidade da morte de 1496 pessoas no Atlântico Norte. Antes que se alimentem idéias erradas: Não havia nenhuma múmia a bordo do Titanic. A múmia que se falou nas notícias ter estado a bordo pode hoje ser vista no British Museum no salão 62.

sexta-feira, setembro 19, 2008

MONTAGEM PÉSSIMA
O site brasileiro Unificado tem uma matéria muito interessante sobre o Titanic mas peca em muito na imagem colocada do jornal The New York Herald. A foto do centro oval é do Jack Dawson, uma montagem muito mal elaborada mas muito apreciada para quem insiste que a personagem do filme existiu mesmo, vejam até o artigo mencionando o pobrezinho da terceira-classe. Para aqueles que infelizmente gostam do filme mas desconhecem que aqueles são apenas personagens de ficção e que não existiram no Titanic, este pode tornar-se um bom engano. Mas aqui ficam duas questões: Se Jack e Rose existiram mesmo, não se soube só em 1996 da existência do Jack a bordo e que Rose Bukater afinal estava viva como Rose Dawson? Como um jornal de época se iria referir a um perfeito desconhecido? Em 1912 pouco destaque se deu aos passageiros de terceira-classe. A foto da montagem faz parte do acervo de fotos do filme para fins publicitários no seu lançamento. Lado a lado vejam as diferenças do original e da montagem descuidada e tirem as vossas conclusões. Vejam também a foto da esquerda, uma montagem feita pelo nosso titanico-fan Célio, pelo menos esta ficou bem mais real, quase perfeita. Cliquem com o mouse sobre ela para a poderem ver mais ampliada.

sexta-feira, setembro 12, 2008

ACERVOS TITANIC
Há dois anos atrás tivemos uma mega apresentação de acervos do Titanic, conheça agora a colecção de filmes do nosso amigo Titanico Luiz Vieira Alves Junior, de Curitiba. O Luiz tem sido um passageiro assíduo no site e é dos privilegiados que recebe os nossos telegramas de aviso de novas postagens. Ele nos enviou o seu acervo de VHS e DVD sobre o Titanic e temos o privilégio de o publicar aqui hoje. Se tiverem acervos mandem-nos também e ele será publicado aqui no TITANICFANS. Obrigado pela imagem e listagem amigo Luiz. Façam clique com o mouse sobre a imagem e vejam em ponto grande.
DVDs:
TITANIC (1943)
TITANIC (1953)
SOMENTE DEUS POR TESTEMUNHA (1958)
S.O.S. TITANIC (1979)
TITANIC (MINISSÉRIE COMPLETA) - (1996)
TITANIC (1996)
TITANIC (1997)
BRITANNIC (2000)
VHS:
TERROR NO TITANIC (1997)
Luiz Vieira Alves Junior, de Curitiba.

sexta-feira, setembro 05, 2008

JACK DAWSON VIVO
James Cameron não poderia ter escolhido melhor nome para a sua personagem nem melhor actor para a representar. Esta fotografia antiga foi-me indicada pela Pâm de São Paulo que achou esta foto na internet no blog Neatocoolville cujo autor é o sr. Mayor Todd Franklin. Ele próprio diz que esteve vasculhando algumas fotos antigas (possivelmente pessoais) e que achou esta foto de dois jovens, e que o rapaz se parece com Jack Dawson, ou melhor Leonardo Di Caprio. Lógico que os amantes do filme, sempre loucos para provarem inútilmente que o roteiro do filme aconteceu de verdade apesar de já ter sido desmentido pelo próprio James Cameron, não perderam tempo em anúnciar a sobrevivência da sua personagem tão querida... É certo que o jovem da foto realmente é parecido com Leonardo Di Caprio, mas o próprio Leonardo Di Caprio tem sósias hoje em dia e já os teve no passado, como Alexandre o Grande, o jovem poeta Rimbaud que Leonardo Dicaprio interpretou no filme Eclipse Total, ou o russo Lenine enquanto jovem. Ao analisar com atenção a foto em questão podemos ver que este jovem, de cigarro entre os dedos, aparenta ter 20 anos de idade, idade essa com que o fictício Jack embarcou no Titanic, por isso a foto teria de ter sido tirada antes ou pouco tempo depois de 1912. A amiga da foto poderemos dizer ser parecida com Janis Joplin. No entanto ela usa cabelos curtos, antes de 1912 as mulheres não usavam cabelo garçonette, essa moda só apareceu depois da Primeira Guerra Mundial já em plenos anos 20, pelo que Jack já teria cerca de 30 anos... o rapaz não aparenta ter 30 anos... Mais um mistério desfeito.

sábado, agosto 30, 2008

ONZE ANOS DEPOIS JUNTOS
Onze anos após trabalharem juntos em "Titanic", Leonardo DiCaprio e Kate Winslet voltaram a gravar uma cena mais íntima em "Revolutionary Road", o que a britânica achou "estranho", já que o diretor do filme é Sam Mendes, seu marido. "Eu não parava de dizer: Isto é muito estranho", afirmou a atriz, de 32 anos, à publicação "Entertainment Weekly", ao que seu companheiro de elenco respondia, segundo Kate: "Vamos, precisa superar isso". "Claro, deixe-me lembrar: você é meu melhor amigo. Ele é meu marido. Isto é um pouco estranho", brincou a candidata ao Oscar em cinco ocasiões, que, no entanto, gostou do resultado final do filme."Não tinha pensado em como funcionaria minha química com ele desde 'Titanic'", explicou a intérprete."É genial descobrir como encaixamos, como uma memória muscular", disse. Para Kate, o fato de voltar a trabalhar com DiCaprio após arrasar em "Titanic" e transformar o filme no de maior sucesso da história, requeria uma história "grande e emotiva". "Joguei esta espécie de jogo do gato e rato para ter meu marido e meu melhor amigo juntos", acrescentou. Mendes, de 43 anos, casado com a atriz desde 2003, explica à revista que ele também achou "estranho" dirigir a mulher em cenas mais íntimas. "Mas, é difícil tanto se você está casado com alguém quanto se não está", lembrou.

sábado, agosto 23, 2008

UM TITANIC DE PALITOS
Há cerca de três anos atrás publicamos no TitanicFans sobre UM TITANIC DE GELO , UM TITANIC DE FÓSFOROS e também UM TITANIC DE CHOCOLATE. No final de cada um deles perguntavámos sempre: "O que mais vão inventar a seguir?" - A resposta é: Um Titanic de Palitos! Pois é, a réplica em escala, medindo 5,8 metros e pesando quase 1 tonelada, consumiu 3,5 milhões de palitos! Mark Colling entrou para o livro dos records com esse feito. Nessa réplica, Mark gastou cerca de 8 horas diárias de trabalho. Até mesmo pequenos detalhes, como botes salva-vidas e espreguiçadeiras foram colocadas no Titanic. A réplica é utilizada para shows e exibições. “Eu amo ver as pessoas olhando para a réplica em exposição. Vejo pessoas rirem, e outras chorarem”, diz Mark. Afinal, o que mais vão inventar a seguir?

segunda-feira, agosto 18, 2008

TITANICFANS 3 ANOS
"Bem-vindos a bordo do 'Ship of Dreams'." - Assim começava na tarde do dia 18 de Agosto de 2005, quinta-feira, nesta mesma hora (18:33) o nascer desta idéia, à partida apenas para «passar o tempo». Não tinha noção alguma da repercursão que iria ter na minha vida e na vida de quem participou e participa ainda neste blog. O TITANIC FANS abriu caminho para se conhecerem pessoas novas, a dismistificar assuntos que muitos tinham como verdadeiros, abriu caminho para novos blogs nascerem como o TITANIC MOMENTOS, fizeram-se parcerias, aprimorou-se a imagem e funcionalidades, juntamos famílias de passageiros, entre tantas outras coisas... hoje é um dos raros blogs de língua portuguesa mais completo sobre o Titanic e o único em Portugal. Agora, depois de duas semanas experimentais demos início oficialmente a newsletter do TitanicFans, quem desejar receber avisos das actualizações na hora que elas acontecem basta para isso indicar-me que o pretende e entraremos em contacto de imediato, também se desejar, pedindo de forma expressa, poderemos reunir vários usuários fazendo-se conhecerem uns aos outros para trocas de idéias e informações sobre o Titanic. Mais informações serão dadas. Que continuemos a apostar forte nesta iniciativa! Contamos para isso com a colaboração de todos!
Para relembrar o primeiro post de inauguração clique aqui.

sábado, agosto 09, 2008

URSO TITANIC
Já aqui foi falado do urso Gatti que Luigi Gatti levava consigo quando morreu no Titanic que lhe tinha sido dado pelo seu filho Vittorio. Após o desastre, esse urso foi feito em uma ediçao especial escura propositada pelo naufrágio do malogrado navio. O urso foi inventado por Richard Steiff um alemão sobrinho de Margarethe Steiff que possuía uma fábrica de brinquedos. Richard era o sobrinho preferido de Margarethe, tinha estudado artes em Estugarda e passava os seus dias no zoológico desenhando o seu animal preferido, o urso. Foi aí que surgiu a ideia e convenceu a tia a aceitar o projecto de um urso de peluche. Em 1902, Richard fica durante horas fechado a produzir o primeiro exemplar feito com pernas e cabeça móvel dando-lhe o nome de Urso PB 55 (55cm). Richard apresentou os seus peluches e o seu urso na feira de Leipzig em 1903, mas ninguém parecia ter muito interesse nos seus objectos e muito menos no seu Urso PB 55. Quando já sem sucesso algum, no final da feira, resignado, Richard arrumava as suas coisas, um comerciante americano gostou tanto do urso que decidiu encomendar 3000 exemplares. Theodor Roosvelt, presidente dos Estados Unidos na época, chamado carinhosamente de Teddy, deu o nome aos ursos de Richard Steiff ficando assim conhecidos pelos Teddy Bears. O sucesso foi tão grande que, em 1904, na Feira Global de St. Louis, foram vendidos 12000, sendo dado o prémio Grand Prix à família Steiff. Em 1907 foram produzidos 974000 exemplares. Após o naufrágio do Titanic, Richard Steiff produziu uma edição limitada de 494 ursos escuros chamados Mourning Bear, para homenagear o naufrágio. Foram colocados nas vitrines das lojas de Londres e rapidamente todos foram vendidos. Em 1994 um desses ursos de 1912 do Titanic foi vendido por 22000 £ e em 1996 outro exemplar atingiu o valor de 94000 £.

sábado, agosto 02, 2008

DESENHO DO TITANIC
Poderia ser a pasta de retratos de Jack Dawson... mas este desenho foi feito pela passageira Laura Marie Cribb e encontra-se numa das páginas do seu diário onde também se pode encontrar um poema. Laura nasceu em 24 de Julho de 1895 e viajava em terceira-classe com o seu pai John Hatfield a caminho de Newark em New Jersey, mas apenas ela sobreviveu a bordo do bote 12. Esta peça, motivo de cobiça para muitos coleccionadores esteve exposto em leilão pela Christie's em Nova Iorque juntamente com mais outras 80 peças do malogrado navio.

sábado, julho 26, 2008

MISTERIOS DO TITANIC III

O NAVIO SEM NOME
Muitas fotos foram tiradas ao Titanic, algumas verdadeiras raridades de valor incalculável, outras deixam-nos em discussão, como neste caso. As fotos foram tiradas ao Titanic ainda na sua construção nos estaleiros em Belfast e numa fase posterior ele foi fotografado sendo lançado ao mar. Na foto ainda em construção nos estaleiros, o nome TITANIC já se encontra escrito na proa, ao passo que depois no seu lançamento à água, o nome simplesmente não existe. Porque razão? Terá sido apagado? Se sim, por que o apagaram? Terá sido isso que deu azo a que se dissesse que o Titanic não afundou mas que na verdade era o Olympic? Terá realmente havido uma troca de nomes entre os navios? Para o TitanicFans a resposta mais conclusiva baseia-se simplesmente numa ampliação de fotos. Talvez para não haver enganos entre os trabalhadores que trabalhavam lado a lado nos dois navios idênticos se tenha escrito o nome em cada um, contudo nesta fase de construção o Olympic tinha o casco branco enquanto o do Titanic já era negro. Mas se repararmos nas letras do nome TITANIC elas não estão escritas de forma correcta, o primeiro T parece mais grosso que o segundo o primeiro I não têm o mesmo tamanho que o segundo, o A parece mais manchado num dos lados, o N parece defeituoso nas pernas, o C mais aberto e todo o nome completo não se encontra em linha recta mas sim aos altos e baixos. Talvez seja esta a razão porque apagaram o nome?

sábado, julho 19, 2008

MISTERIOS DO TITANIC II

A SILHUETA
O Titanic alimenta a nossa imaginação, com os seus mistérios especulamos com o que poderia ter ocorrido com determinado passageiro na noite do naufrágio, mas já antes, na própria construção do navio começaram a surgir os primeiros mitos e lendas. Esta foto foi tirada durante a construção do Titanic, até aqui aparentemente é mais uma foto normal de época, mas... notem no trabalhador mais a direita da foto, entre ele e o outro homem que se vê apenas a cabeça e o seu chapéu, aparece uma estranha silhueta de um oficial, ou de algum chefe de obras... O que pode ter ocorrido é que por alguma razão alguém estaria realmente na foto mas foi apagado na sua revelação, seria talvez um Protestante (relembro que na Irlanda nesta época existia um conflito entre os católicos e protestantes) ou um sindicalista? O mistério permanece.

sábado, julho 12, 2008

MISTÉRIOS DO TITANIC

A CONDESSA DE ROTHES
No passado o TitanicFans colocou alguns mistérios do Titanic como o rosto enegrecido no alto da chaminé número 4 na fotografia tirada pelo padre Browne na partida de Queenstown, e desvendou outros como a identificação de alguns passageiros em algumas fotos, como a pequena Annie Jessie Harper. Nas próximas semanas apresentremos alguns Mistérios do Titanic. Assim numa nova pesquisa encontrei a resposta para a identificação de uma passageira. A senhora da foto debruçada para ver o embarque de passageiros provenientes de Queenstown é na verdade a Condessa de Rothes. Apesar de algumas fontes contestarem a veracidade da mesma afirmação, pelo rosto e vestimentas estarem demasiadamente escuras, o curioso é que se realmente é a Condessa, ela encontra-se exactamente perto do local onde umas noites mais tarde iria entrar para o seu bote, o número 8.

segunda-feira, junho 30, 2008

Os Duff-Gordon

 OS DUFF GORDON
O casal de britânicos Sir Cosmo e Lucy, Lady Duff-Gordon, foram dos passageiros que atraíram maior atenção mediática e continuam a ser alvo de interesse por parte de historiadores e entusiastas da saga do Titanic. Sir Cosmo era um notável desportista, que tinha representado o Reino Unido na modalidade de esgrima nos Jogos Olímpicos de Londres de 1908, e um conhecido propriétário rural na Escócia. Tinha um particular interesse e talento para as artes de auto-defesa, tendo treinado com o famoso pugilista suíço Armand Cherpillod no exclusivo Bartitsu Club de Londres, do qual era um ávido frequentador. Sir Cosmo era detentor do título de barão Halkin e a sua família possuía uma companhia de vinhos de elevada qualidade em Espanha. No entanto, Duff-Gordon saltou para a ribalta após o desastre do Titanic, quando surgiram rumores de que este tinha manipulado a tripulação do bote nº1 de modo a não regressassem para recolher os sobreviventes que se debatiam nas águas geladas, tendo até sido sugerido que Cosmo teria oferecido dinheiro aos tripulantes para que estes guardassem segredo acerca do assunto. Apesar de tudo, quando Sir Duff-Gordon testemunhou na Câmara Britânica do Comércio, no subsequente inquérito para apurar as responsabilidades do naufrágio, o seu discurso mostrou-se mais coerente e consistente do que o da sua esposa. Lady Lucy Duff-Gordon tinha um passado bem antagónico. Nasceu em Londres mas cresceu no Canadá. A sua irmã mais nova, Elinor Glyn, era uma controversa autora de livros de ficção erótica. Em 1884, Lucy casou com James Stuart Wallace, de quem teve um filho. O divórcio, altamente condenado à época pela conservadora sociedade vitoriana, sobreveio seis anos depois. De maneira a sustentar-se, Lucy abriu uma casa de costura na capital britânica. Isto seria o primeiro passo para o negócio que se iria transformar num dos maiores impérios de alta costura do início do século XX. Em 1900, depois de se casar com Sir Cosmo Duff-Gordon, rebaptizou a sua empresa para Maison Lucille e passou a ter uma clientela requintada, que incluía os altos círculos da aristocracia britânica e a própria realeza. Lucy ganhou fama devido às suas criações de roupa interior atrevida e de vestidos de noite pouco convencionais, tendo servido a rainha de Inglaterra, a rainha da Roménia e muitas das estrelas de Paris e Hollywood da altura. Fabricou ainda o vestuário de muitas das peças teatrais em voga no West End e os críticos da moda atribuem-lhe a criação dos primeiros desfiles de alta costura. Lucy escrevia ainda artigos sobre moda para as colunas sociais das revistas Tatler e Harper's Bazaar. Rapidamente abriu filiais das suas lojas em Paris, Nova Iorque e Chicago. Aliás, quando os Duff-Gordon embarcaram no Titanic em Cherbourg, Lucy tinha sido chamada ao outro lado do Atlântico por causa do negócios. Lady Duff-Gordon carregava, até certo ponto, uma dose de excentricidade, pois não era comum uma senhora de classe alta possuir um emprego à época, quanto mais criar um dos maiores impérios comerciais de moda, como Lucy fez. Era irónico, de certo modo, o facto de Duff-Gordon ser a estilista oficial da realeza britânica quando lhe era barrada a passagem em Buckingham, por ser divorciada.
Meses antes da viagem inaugural de Abril de 1912, os Duff-Gordon tinham ido passar uma temporada à sua mansão de Paris e pelo Natal de 1911 andavam a passear de gôndola em Veneza. Pouco se sabe das actividades do casal ao longo da curta estadia a bordo do maior navio do mundo, à excepção das suas acções na trágica noite da catástofre, que levantaram muita polémica. Contudo, não devem existir dúvidas que Lucy deve ter feito um sucesso ao envergar as indumentárias do último grito da moda. Só a título de curiosidade, Lady Duff-Gordon transportava consigo um colar de pérolas avaliado em 50 mil libras, que se perdeu quando o Titanic afundou.

domingo, junho 29, 2008

PARTO A BORDO
Entre as 29 deleted scenes colocadas na edição de lux do Titanic temos esta imagem de uma passageira grávida com a sua filha na terceira-classe. Seria a passageira Gerda Lindell que não sobreviveu. Cameron até esse cuidado teve nas suas gravações. Muitas mulheres emigrantes na época, escolhiam viajar quando estavam em fase final de gravidez para que pudessem ter os seus filhos a bordo em melhores condições de higiene no parto, condições essas que dificilmente teriam em terra com a vantagem ainda acrescida de que era um serviço gratuito com a qualidade e tecnologia de ponta. Não era portanto de se espantar que algumas dessas mulheres que tinham os seus filhos a bordo baptizassem os seus recém-nascidos com o nome do médico ou da enfermeira de bordo ou até lhes dessem o próprio nome do navio. Contam-se 2208 pessoas a bordo do Titanic, dentro deste número encontravam-se algumas mulheres grávidas, algumas destas crianças quando nasceram já não tinham os seus pais porque eles foram para o fundo com o navio juntando-se assim ao número de orfãos de pai do Titanic. Outras, infelizmente, contaram-se entre as vítimas cujas mães mesmo grávidas não tiveram lugar num bote para sobreviverem perecendo com elas os seus filhos dentro das suas barrigas. Sendo assim o número de mortes do Titanic tem por trás ainda o acréscimo desta terrível marca que passa quase despercebida. Aqui fica a lista de mães grávidas a bordo, os nomes a branco são das mulheres que pereceram:

Astor, Madeleine 1ªclasse
Backstrom, Maria 3ªclasse
Beane, Ethel*(ver nota) 2ªclasse
Bishop, Helen 1ªclasse
Corey, Mary 2ªclasse
del Carlo, Argene 2ªclasse
Doling, Ada 2ªclasse
Karnes, Claire 2ªclasse
Kenyon, Marion*(ver nota) 1ªclasse
Laroche, Julliette 2ªclasse
Lindell, Gerda 3ªclasse
Marvin, Mary 1ªclasse
Nasser, Adele*(ver nota) 2ªclasse
O'Brien, Hannah 3ªclasse
Phillips, Kate*(ver nota) 2ªclasse
Smith, Mary Eloise 1ªclasse
West, Ada 2ªclasse

*Nota: Ethel Beane e Kate Phillips conceberam os seus bebés ainda durante a viagem inaugural a bordo do Titanic. No caso de Ethel Beane, infelizmente veio a dar à luz um bebé morto. Marion Kenyon veio a abortar. Adele Nasser deu à luz mas o bebé veio a morrer poucas horas depois. A 11 de Janeiro de 1913, Kate Phillips tem uma menina a quem dá o nome de Ellen Mary (Betty). Kate Phillips era a amante de Henry Samuel Morley, homem casado e pai de um filho com quem ela fez a travessia em segunda-classe. Eles viajaram em secreto com os nomes falsos de Mr e Mrs Marshall.

domingo, junho 22, 2008

SORRISO NA ESCURIDÃO
Uma das imagens mais marcantes do filme Titanic é sem dúvida a face de uma boneca sorrindo no meio de destroços do naufrágio. Essa face encontra-se de verdade no Titanic e quando os homens da expedição de Robert Ballard depararam-se com aquela imagem levaram um grande susto. A face da boneca, segundo especialistas, é feita de porcelana e pertencia a uma boneca de origem francesa ou alemã de olhos verdes cujo corpo era flexível permitindo a cabeça rodar, tornando-a assim mais real. A boneca teria uns 60cm de tamanho valendo mais ou menos 40 dólares um preço considerável para 1912. Certamente esta boneca pertenceria a alguma menina de primeira-classe talvez fosse da pequena Lorraine Allison a única criança de primeira-classe a morrer no Titanic, ou talvez da jovem Eva Hart de segunda-classe que assim como na foto passava os dias brincando com a boneca na sala das crianças. Outra hipótese colocada vem do facto da face da boneca estar próxima à popa do navio, local onde muitos passageiros de terceira-classe se encontravam nos momentos finais do navio. A passageira sueca de terceira-classe Elin Ester Maria Braf de 20 anos, que ia visitar a sua irmã a Chicago fazia-se acompanhar de uma amiga Helmina Josefina Nilsson. Elin ao embarcar fez questão de separar da sua bagagem e levar consigo para o camarote, uma boneca de porcelana para oferecer a sua sobrinha Mabel. Após a colisão com o icebergue Helmina subiu imediatamente para o convés, enquanto Elin ficou a arrumar alguns pertences numa mala. Helmina embarcou no bote 13, enquanto Elin que tinha medo de embarcar em barcos pequenos ficou para trás acabando por morrer no naufrágio. O corpo de Elin nunca foi encontrado. Provavelmente nunca saberemos a quem pertenceu a boneca, mas todos estes objectos de crianças dão testemunho da vida a bordo daquele que foi o maior e o mais luxuoso navio de sempre.

domingo, junho 15, 2008

CRIANÇAS NO TITANIC III

UMA PARTIDA DIVERTIDA
Washington Dodge Jr tinha apenas 4 anos seis meses e 23 dias quando o Titanic afundou. Nascido em San Francisco no dia 23 de Setembro de 1907, era o único filho entre o Dr. Washington Dodge e Ruth Vidaver Dodge, contudo o seu pai tinha um outro filho nascido em 29 de Novembro de 1891 de um primeiro casamento, chamado Henry, que veio a falecer em Agosto de 1967 em San Francisco, do mesmo modo a sua mãe Ruth também já tinha sido casada anteriormente do qual tinha uma filha chamada Vida, nascida em 1900 e que veio a falecer em 1990 em Nova Iorque. O pequeno Washington Jr estava no mesmo camarote que os seus pais, A-34, e passava os dias a brincar com berlindes (bolinha de gude) de argila. Na noite do naufrágio ele e a sua mãe embarcaram no bote 5. O seu pai ficou no Titanic, só conseguindo embarcar mais tarde no bote 13. A chegada ao Carpathia foi agonizante devido em parte a uma partida do próprio pequeno Washington, o Dr. Dodge não deu pela entrada da mulher e do filho no convés e procurava por notícias da esposa e do pequeno filho que tinha ajudado a embarcar, e Ruth Dodge não viu o marido no convés e procurava saber dele desesperadamente, mas o pequeno viu-o, e decidiu que não dizer nada seria uma boa piada. Não disse nada à mãe e escondeu-se do pai. Foi preciso que o criado Ray sempre fiel a bordo do Titanic lhe estragasse o jogo e acabasse por reunir a família. Família essa que iria ficar despedaçada em 1919. Na noite de 21 de Junho desse ano o seu pai tenta o suicídio devido a calúnias e dívidas, disparando contra si mesmo um tiro de revólver, essa semana foi muito difícil para o jovem agora com apenas 12 anos, as notícias do estado de sáúde do seu pai eram notícia diária nos principais jornais de São Francisco, os médicos já tinha feito tudo o que podiam, passados dias foram informados que não haveria recuperação e grandes esperanças, depois souberam que não mais iria recuperar do coma profundo, e por fim que estava morrendo lentamente, acabou por sucumbir aos ferimentos no dia 30 de Junho, 9 dias depois do disparo. Washington Dodge Jr. casou-se duas vezes primeiro com Helen Hubbard e mais tarde com Helen Brown nascida em 10 de Julho de 1904 e faleceu em Julho de 1983. Ele foi pai de três filhos, Jonathan, Kent e Arthur. Todos eles ainda são vivos. Washington veio a falecer em 3 de Dezembro de 1974 de ataque cardíaco.