quarta-feira, abril 19, 2006

TITANIC
Melissa - Esta seria a última noite que os passageiros do Titanic dormiriam.
Ducan - É impressionante como o Capitão Smith se deixou de alguma forma influênciar pelo director da companhia.
Clambes - Segundo a autoridade marítima, o chefe supremo máximo de um navio é o Comandante.
Melissa - Estamos perto do fim...

Richard - Após o jantar, como era habitual, fomos para a Palm Court, para o café do costume onde ouvimos a maravilhosa música tocada pela banda do Titanic. Nesta ocasião o traje era a rigor, e o facto de haver tantas mulheres bonitas, especialmente nestas alturas, isso era evidente. Era objecto de observação e admiração. Da Palm Court, os homens do círculo do meu pai passavam sempre para a Sala de Fumo e quase todas as noites se punham à conversa com alguns dos homens famosos que lá conheciam, tais como o Major Archie Butt (o título militar do presidente Taft) a falar de política ou com o Frank Millet (o famoso artista) a planear uma viagem ao ocidente.

John - Sempre que vimos aqui, dia ou noite, aqueles quatro estão sentados no mesmo lugar. Este navio podia virar-se ou explodir, que ninguém levantava os olhos das cartas.

Richard - São as cartas...

Acabado o concerto, muitos ficaram longo tempo nos salões e corredores. Ninguém tinha pressa para ir dormir.

Margaret - Não quer mesmo jogar mais?

Astor - Uma última bebida e cama. Prometi à minha mulher.

Margaret - Esqueci-me que era recém-casado. Um recluso.

John - Posso oferecer-lhe uma bebida?

Astor - Porque não? Já agora, aceita um charuto? Experimente um destes, são de Havana.

John - Não, Richard, não tens idade. Nem devias estar aqui. O teu pai está ali a ver-te.

Tudo tinha sido concebido até ao ínfimo pormenor para tornar mais cómoda e agradável a travessia. Para os fumadores tinham sido fabricadas caixas especiais de cigarrilhas «Titanic».

Astor - Sou um refugiado de meia-idade. Fugindo dum casamento falhado e apaixonado por uma mulher mais nova, condenado a interrogar-me o resto da vida.

John - Interrogar-se de quê?

Astor - Se elas nos querem por nós, ou pelo nome, posição, ou dinheiro? Boa noite, e obrigado pela bebida, mas tenho de ir.

John - Até uma próxima. Vai despedir-te do teu pai, vamos deitar, já está tarde para ti.

Astor - Acordei-te? Odeio envelhecer e ficar com barriga.

Madeleine - E a minha?

Astor - Gosto imenso dela. Gosto imenso de ti. Gostas de mim? É possivel amares-me?

Fraser tomou uns copos a mais e foi para o camarote onde encontrou a mulher.

David - Ainda acordada?

Hellen - Olha para ti! Estás bêbado que nem um cacho.

David - Se calhar estou mais lúcido do que julgas! Que foi aquilo de quereres mudar de camarote? Sem o meu conhecimento?

Hellen - Fala baixo, que vergonha! O meu marido perdido de bêbado por causa de outra mulher! Uma mulher casada!

David - A Camille, ela tem tudo o que eu poderia pedir. Dinheiro, amor, um filho meu...

A senhora Hellen olhou para ele com raiva, descontrolou-se e quebrou tudo o que havia solto no quarto, ela gritava e batia no marido e destruía tudo o que havia à sua volta.

Hellen - Eu odeio-a, eu odeio-a! Eu odeio essa mulher!

Ela chorou de raiva nos braços do marido...

Amanhã começa a última fase de TITANIC.

1 comentário:

Alencar disse...

Essa Hellen ainda vai dar trabalho. Esse David tem que morrer, o sujeito ordinário.

Estou ansioso para o término da história.

Parabéns.