sexta-feira, abril 07, 2006

TITANIC
Carpathia
Cottam - Até logo. É do Titanic? Receberam mensagens de Cape Race?
Titanic
Phillips - Um idiota qualquer quer saber dos correios dos passageiros. Venham imediatamente. Colidimos com um icebergue. Isto é um SOS, meu velho. Estamos a afundar-nos. Avisem o vosso capitão. Só temos uma hora. Posição 41, 46 N; 50, 14 W. Sim, depressa.
Carpathia
Dean - Quem é?
Cottam - Cottam.
Dean - Qual é o problema?
Cottam - Uma mensagem urgente.
Dean - A esta hora? Não saiu do turno à meia-noite?
Cottam - É o Titanic. O Titanic chocou com um icebergue. Está a afundar-se. Afunda-se dentro de uma hora.
Dean - Impossível. Não se afunda.
Cottam - O recado diz: «Venham imediatamente.»
Rostron - Que se passa?
Dean - É o Cottam. O radiotelegrafista.
Cottam - Tenho um comunicado urgente do Titanic.
Rostron - O quê?
Cottam - Um pedido de socorro.
Rostron - Tem a certeza?
Cottam - Enviaram SOS. Bateram num icebergue.
Rostron - Dean, dê meia volta, rumo nor-noroeste. Tem a certeza que disseram isso?
Cottam - Absoluta.
Rostron - Está a 58 milhas. A nossa rota é Norte 52, Oeste. Não sobrevivem 20 minutos nesta água gelada. Comunique ao Comandante Smith. Mesmo a todo o vapor, levamos 4 horas para os alcançar. Avise o homem do Titanic que vamos o mais rápido possível, mas devemos chegar dentro de quatro horas. Diga-lhes cerca de quatro horas.
Titanic
Bride - O que é que estás a enviar?
Phillips - SOS.
E o Phillips, operador de telégrafo, estava dobrado sobre o telégrafo a segurar o telégrafo e disse:
Phillips - Estou em contacto com o Carpathia.
Bride - É triste um navio com esta categoria ser rebocado por uma lata ferrugenta.
Wright - Se fosse eu pisgava-me. O um, o dois e o três estão a meter água, o squash está aficar cheio.
Crowe - Todos lá fora. Não chegam a ter meia-hora de vida. É o que diz o Sr. Andrews. Bico calado, não andem por aí a espalhar a notícia.
Harry - Senhores, enverguem os cintos de salvação, temos sarilho.
Arthur - Harriett, foi um acidente muito grave, é melhor que vás imediatamente para o convés.
Harry - Estamos no Norte e abalroámos um icebergue. Não é nada de grave, mas é provável que nos faça chegar o Nova Iorque com um dia de atraso. Mesmo assim, para cumprir o regulamento, o comandante mandou todas as senhoras para o convés. Toda agente no convés com os coletes salva-vidas, imediatamente.
Hellen - Onde está o meu marido?
Dorothy - Beba isto.
Camille - Não ponho os meus filhinhos num bote com este frio.
Richard - Vai ser divertido, talvez, vamos no barco.
Harry - Todos ao convés minha senhora.
Camille - Eu já vou! Emalou as coisas dos meninos? As fraldas, as meias, o biberão e a argola para os dentinhos? Não tenhas medo, Richard. Vamos beber água com açúcar.
George - Temos de ir já.
Camille - Traga a Catherine. Tem de levar o algodão para o ouvido da Catherine e a água com açúcar.
Richard - Vamos morrer afogados, pai?
George - Claro que não. É só um exercício.
Camille - Meu pobre pequenino.
Guggenheim - Isto vai-me magoar.
Harry - Prestem atenção às instruções. este grupo vai no bote 4 e este vai no bote 8. Estão quase prontos.
Margaret - O mais importante é agasalharmo-nos. Ainda bem que trouxe estas mantas. Ponha esse colete. Não é muito elegante mas... Não há espaço para bagagem. Deixe ficar tudo. Eu até deixei um maço de notas embrulhado numas calcinhas. E eram bordadas à mão.
Harry - Senhoras e senhores, façam uma fila junto à porta, ordeiramente. É o principal.
Bishop - Meu senhor?
David - O que é?
Hellen - Diga qual é o assunto?
Bishop - Por favor, dirijam-se ao convés, imediatamente.
McElroy - Vá depressa, minha senhora, já não temos muito tempo. Ainda bem que não pediu as suas jóias como muitas das senhoras fizeram.
Harry - Não se assuste, está tudo bem.
Harriett - Não estou assustada. Estou apenas enjoada.
Harry - Bem, acho que também devíamos arranjar um colete para o cãozinho. Experimente ste. São a última moda desta estação. Toda a gente está a usar isto. É um bom agasalho se não tiver de o utilizar.
Col. Gracie - Não seria melhor cancelarmos o encontro?
Sir Gordon - Muito bem.
Margaret - Já sabe que embatemos num icebergue?
Count. Rothes - Sei que embatemos em qualquer coisa.
John - A água já chega ao convés F e a sala dos correios já está inundada.
Bride - Comandante, o Carpathia está a fazer 17 nós. Vem a todo o vapor.
Capt. Smith - Foi o único a responder?
Bride - O único que estava perto. Chegam aqui dentro de 4 horas.
Capt. Smith - 4 horas? Obrigado, Bride. Meu Deus.
Carpathia
Rostron - Conseguiu falar com eles?
Cottam - Disse-lhes das 4 horas.
Rostron - E a resposta deles?
Cottam - «Despachem-se. A sala das máquinas está alagada. Vamos ao fundo.»
Titanic
Phillips - «Ok, aguentem-se»? Sim, depressa. Vêm ajudar-nos?
Frankfort - navio a 150 milhas
- Que é que se passa consigo?
Titanic
Phillips - Diga ao seu comandante para nos ajudar. Batemos no gelo.
As pessoas demoraram-se a ir buscar os coletes, de facto tivemos muito tempo para ficar no ginásio a conversar com um senhor e com a esposa dele. Ninguém estava muito assustado. A maioria das pessoas pareciam interessadas neste caso vulgar e muitos passavam 50 e 60 vezes para ver.
Não percebi o que se estava a passar, só que as pessoas começavam a correr e o meu pai disse:
George - Agora fica aqui junto a este salva-vidas e não deixes ninguém empurrar-vos.
Ele deixou-nos ao lado de um bote. Os botes salva-vidas estavam no tombadilho da 1ª classe. E ele disse à minha mãe:
George - Agora não saiem daqui.
Então eu fiquei ali com a minha mãe e irmã. Estava tanto frio. Estava imenso frio. Lembro-me de estar embrulhado numa manta. Ele voltou passado um pouco e disse:
George - Vão lançar os salva-vidas, mas voltamos para bordo à hora do pequeno-almoço, é apenas uma precaução estarem a lançar os salva-vidas.
Camille - Estás tão sério... Não há botes suficientes?

George - Primeiro vão mulheres e crianças por precaução.
Camille - Então eu vou contigo.
George - Tens de ir com as outras mulheres. Estaremos juntos daqui as umas horas.
Camille - No céu ou no Inferno? Quero saber a verdade.
George - Temos cerca de uma hora até o navio ir ao fundo. Eu levo-te ao salva-vidas e depois procuro-te. Dentro de horas, estaremos a tomar o pequeno-almoço num cargueiro.
Camille - Prometes? No momento em que todos os botes estavam a postos, o navio já estava bastante inclinado para a frente e a água estava praticamente ao nível do convés principal. Mesmo assim, ainda pensei que este não se ia afundar. Os materiais eram novos e sólidos e iriam suportar a pressão. Todas as portas estanques tinham sido fechadas automáticamente a partir da ponte. Por mais alto que gritássemos não se ouvia uma palavra. Quando os barcos foram destapados e desprendidos, desceram-nos até ao nível do tombadilho. O Sr. Lightoller foi ter com o capitão e perguntou-lhe, arrastando-o para a esquina, com a mão na boca, pondo as mãos em concha junto ao ouvido dele, e aterrorizado gritando em plenos pulmões, gritou muito alto: Lightoller - Os barcos estão a postos. Estamos prontos, Comandante. Não era melhor meter as mulheres e as crianças nos botes? Começo a evacuar as mulheres e as crianças?
Ele ouviu e acenou com a cabeça afirmativamente. Ele acenou que sim.
Capt. Smith - Sim, primeiro mulheres e crianças. Sim, embarque as mulheres e as crianças e faça descer os escaleres.Não há tempo para organizarmos as coisas como deve ser. O melhor que puderem e o mais depressa possível. Lightoller - Senhores passageiros, atenção. Por aqui, por favor. Isso mesmo. Venham na minha direcção. Obrigado. Muito bem. Por agora, quero apenas mulheres e crianças. E começaram a encher o primeiro barco. Por essa altura, graças a Deus, o barulho do vapor parara e os passageiros já se conseguiam ouvir uns aos outros e perguntaram:
- Por que estão a baixar os salva-vidas?
Apenas nos disseram que íamos sair do navio, devido às normas e regulamentos, mas que não havia perigo. Estaríamos de regresso para tomar o pequeno-almoço. E eu pensei que era uma estupidez abandonar um navio quente e confortável para voltar só à hora do pequeno-almoço.
Wallace - Aqui mesmo. Como disse o Capitão, com calma para não haver pânico. «Wedding Dance». Os primeiros salva-vidas não estavam cheios. As mulheres diziam:
- Não vamos andar à deriva no oceano. Preferimos ficar num barco que é seguro.
Californian 00:35
Lord - Já responderam?
Setwart - Parece que pararam durante a noite como nós.
Lord - Avisem de qualquer alteração. Estarei no sofá da sala dos mapas.
Setwart - Fique atento. Não ouviu o velhote? Quer saber se o navio se aproximar.
Gibson - O que mais quero é acordá-lo.
Titanic
Camille - O mar está tão escuro e parece tão frio...
George - São só algumas horas. Já vêm navios a caminho.
Camille - Preferia que ficassemos juntos.
George - Eu também. Mas o senhor Andrews foi inflexível e dei-lhe a minha palavra.
- Coletes postos. Ponham os coletes. Ponha o colete. Vire-o ao contrário.
Edward - Está fechada. Fecharam-nos aqui em baixo. Onde se meteram os camareiros?
Carl - Voltem para trás.
Muller - Não devem ir ainda para os botes. Por favor, tenham calma. Vejam se trazem os coletes Deixem passar para a frente as mulheres e crianças. Empurrar não resolve nada. Vai buscar ajuda. Lee - Andem. Depressa. Não temos o dia todo.
Harriett - Estamos aqui mais seguros, do que nesse barquito.
Dois oficiais vieram e disseram:
Lowe - Bom, está na altura de entrar para os salva-vidas.
Arthur - Quando regressares precisas de um passe! Amanhã não te deixam entrar sem mostares um passe!
Bride - Lindo, afogamo-nos com música.
Phillips - Boas notícias da ponte?
Bride - A proa está a afundar-se. Vão carregar os salva-vidas. E o Carpathia?
Phillips - A horas daqui, mas é a única salvação.
Barrett - As bombas não dão conta do recado.
Capt. Smith - Precisamos de luz e energia para o rádio.
Barrett - Vamos tentar.
Capt. Smith - Façam o que puderem. Apagaram completamente a 6? E a 5?
Barrett - Está completamente alagada.
Murdoch - Não percamos tempo, se não quer entrar deixem-na ir-se embora!
Ismay - Porque não enchem este bote?
Murdoch - Não nos mandaram. Vá para junto dos outros.
Ismay - Sou o director da linha de navegação e quero esta gente no bote já. Não há tempo a perder.
Murdoch - Espero ordens do comandante.
Ismay - Despache-se!
Murdoch - Vamos embora, minhas senhoras!
Boxhall - A lista de distribuição dos botes?
Lightoller - Nunca houve lista nenhuma. Não podemos encher os botes. Com 65 pessoas, vão ao fundo. vamos descê-los meio cheios. Depois vai mais gente dos portalós.
Boxhall - É muito arriscado. Quanto tempo resistiam na água? Está dois graus abaixo de zero.
Lightoller - É melhor arriscar que matá-los já. Sabem remar?
Billy - Acho que sim.
Lightoller - Confio-lhe esse bote. Vá receber mais passageiros ao portaló da popa.
Murdoch - Podem baixá-lo, esquerda e direita ao mesmo tempo. Os dois lados ao mesmo tempo. Devagar. Devagar. Alto, alto! Parem à esquerda! Só à direita! Só à direita! À direita! Parem à esquerda! Baixem à direita! Ao mesmo tempo! Devagar, rapazes.
Boxhall - Avistámos o que parece ser um vapor a umas dez milhas.
Capt. Smith - Óptimo. Já respondeu?
Boxhall - Ainda não.
Capt. Smith - Continue a fazer sinais. Diga que o Titanic está a afundar-se e que venham imediatamente.
Quando o barco se aproximou, fizeram sinais com uma lanterna Morse, uma potente lanterna Morse que tinham.
Californian
Gibson - Se está a responder, eu não vejo.
Setwart - Está muito longe. Não nos vê.
Titanic
Capt. Smith - Alguma resposta?
Boxhall - Nenhuma resposta. Pareceu-me ver qualquer coisa, mas era só a luz do mastro.
Capt. Smith - Dispare foguetes. E faça sinais de morse com a lanterna. O Carpathia vem aí, mas está a mais de 50 milhas. Se o contactar diga-lhes que venham depressa.
Estavam a lançar foguetes. Sim, lembro-me bem. Ao presenciar isto, a multidão aterrorizada pronunciou a palavra «foguetes». Todos sabemos o que significam foguetes no mar. Desceram os botes e o meu pai ajudou. Percebia de barcos.

1 comentário:

Alencar disse...

Esse foi o maior episódio até então.
Muita pressão e suspense.
Parabéns.
Estou ancioso para o próximo episódio.