segunda-feira, setembro 25, 2006

TITANIC CENA IX

ROSE PROCURA JACK

DIÁLOGOS EXCLUÍDOS EM MAIÚSCULAS

(quando Rose vai procurar Jack na terceira-classe para falarem em privado e se dirigem para o convés de primeira-classe dos botes, Jack deveria só aí perguntar o nome de Rose, mas James Cameron preferiu alterar essa situação para a noite em que ela tenta o suicidio)

Jack - BOM, VOCÊ TEM UM NOME, SUPONHO?

Rose - Rose. Rose DeWitt Bukater.

Jack - PARECE UMA SÓ PALAVRA. Tenho de lhe pedir que escreva isso num papel.

Rose - Sr. Dawson.

Jack - Jack.

Rose - JACK... SINTO-ME COMO UMA IDIOTA. PASSEI TODA A MANHÃ TENTANDO TER CORAGEM PARA VIR VER VOCÊ.

Jack - BEM, AQUI ESTÁ VOCÊ.

Rose - AQUI ESTOU EU... Quero agradecer-lhe pelo que fez. Não apenas por me ter puxado para cima. Mas pela sua descrição do que aconteceu.

Jack - Não tem de quê.

Rose - Sei o que deve estar pensando. Pobre moça rica. O que sabe ela sobre miséria?

Jack - Não. Não era nisso que estava pensando. Estava pensando o que poderia ter acontecido aquela moça para achar que aquela era a única saída.

Rose - EU NÃO... NÃO FOI SÓ UMA COISA. FOI TUDO. FORAM ELES, E AQUELE MUNDO FANTASIOSO DELES. E EU ESTAVA PRESA NAQUELE MUNDO, COMO UM INSECTO COLADO AO AMBAR. EU APENAS TIVE QUE ME AFASTAR... APENAS CORRER E CORRER E CORRER... DE REPENTE DEI POR MIM NA POPA E NÃO HAVIA MAIS NAVIO... NEM O TITANIC FOI GRANDE O SUFICIENTE. O SUFICIENTE PARA ME MANTER LONGE DELES. E ANTES DE ME APERCEBER EU ESTAVA DO LADO DE FORA DA AMURADA. EU ESTAVA TÃO FURIOSA. EU IA MOSTRAR-LHES COMO ERA! AÍ ELES IRIAM PEDIR PERDÃO!

Jack - UH HUH. ELES IRIAM PEDIR PERDÃO. MAS AÍ VOCÊ JÁ ESTARIA MORTA.

Rose - OH DEUS. SOU COMPLLETAMENTE LOUCA.

Jack - AQUELE PINGUIM ONTEM, É UM DELES?

Rose - PINGUIM? OH, O CAL! SIM É ELE!

Jack - É SEU NAMORADO?

Rose - PRESUMO QUE SEJA.

(Rose mostra-lhe o anel)

Jack - Olhe para isso! Teria ido logo para o fundo. POR TANTO, VOCÊ SE SENTE COMO EM UM TREM QUE VAI CHOCAR DE FRENTE E VOCÊ NÃO CONSEGUE PULAR FORA PORQUE ESTÁ NOIVA DESSE EMPROADO.

Rose - SIM, EXACTAMENTE!

Jack - ENTÃO NÃO CASE COM ELE.

Rose - SE FOSSE ASSIM TÃO SIMPLES.

Jack - É SIMPLES.

Rose - OH, JACK... POR FAVOR NÃO ME JULGUE ANTES DE VER PRIMEIRO O MEU MUNDO.

Jack - BEM, CREIO QUE VOU FAZÊ-LO ESTA NOITE.

(Rose então verifica a pasta dos desenhos de Jack)

Rose - O QUE É ISSO?

Jack - ALGUNS ESBOÇOS...

Rose - POSSO?

(esta é uma pergunta retórica pois ela já os estava abrindo)

Rose - JACK, SÃO MUITO BONS! A SÉRIO QUE SÃO.

Jack - Bem, não foram da mesma opinião em Paris.

(alguns dos desenhos estavam soltos e voaram com o vento. Jack corre atrás apanhando dois deles, mas os restantes se perderam borda fora)

Rose - OH NÃO! PEÇO DESCULPA. A SÉRIO.

Jack - NÃO SE PREOCUPE COM ISSO. TENHO MAIS DE ONDE ESSES VIERAM.

(gabando-se de si próprio Jack rasga os desenhos que apanhou e atira-os fora)

Jack - APENAS VEJO-OS COMO UMA EXTERIORIZAÇÃO. ALÉM DISSO, ELES NÃO SÃO VALORIZADOS EM LADO ALGUM.

Rose - VOCÊ É PERIGOSO!

(Rose volta a ver os desenhos e depara-se com as mulheres despidas)

Rose - ORA, ORA... E ESTES ERAM DESENHOS DE QUOTIDIANO?

Jack - Sim. Isso é uma das coisas boas de Paris. Muitas moças estão dispostas a tirar a roupa.

(a cena prossegue tal como a conhecemos)

1 comentário:

Alencar disse...

Nossa isso é que é empenho de fã.
Parabéns...