sábado, maio 13, 2006

TITANIC
por Jefferson Krüger
Capítulo XX – O Desertor
No lado bombordo do navio, Bruce Ismay apressa muitas pessoas para entrar nos botes, ele entra em desespero pela demora e grita com o oficial Lowe.
ISMAY
- Vamos! Vamos logo! Abaixem essa porcaria de bote!
LOWE
- Ei pare com isso! Você quer que o bote vire!!!
ISMAY
- Olha aqui rapazinho você sabe quem eu sou?!
LOWE
- Sei sim. Você é apenas um passageiro, aliás, muito do maluco. Agora saia de perto do bote!
ISMAY (espantado)
- Desculpe-me! Com licença.
No bote 6, Molly Brown ajuda a remar. Os marinheiros não tiveram um bom preparo para isso. Sob o comando de Hichens eles tentam se afastar do navio.
HICHENS
- Vamos remem! Remem!
Um foguete explode no céu. Na ponte, começa-se a ouvir chamados. O capitão e o oficial Wilde chamam o bote 6 de volta ao navio para encher com mais pessoas.
THOMAS ANDREWS
- Ali está ele.
CAPITÂO SMITH
- Voltem! Bote 6 volte ao navio!
HICHENS
- Remem! Temos que ficar longe da sucção que o navio provocará.
MOLLY
- Temos de voltar, são seus homens que estão lá.
HICHENS
- Nããooo!!! Agora reme!
WILDE (com o apito)
- Esses idiotas não nos ouvem.
CAPITÂO SMITH (abaixando o megafone)
- Idiotas! Vamos, eles não voltaram.
No convés B, o padeiro Joguin está lançando cadeiras do convés ao mar para as pessoas se agarrarem. De vez em quando ele “cheira o alambique”.
JOGUIN (bêbado)
- Igh!
BERTRAM VERE (chorando)
- Mamãe!!! Mamãe!!!
JOGUIN
- O que fooi meninoo!?
BERTRAM VERE (subindo ao escadas)
- Mamãe!!!
Voltando a Ismay, o mesmo não suportou mais esperar. Notando a distração do 1º oficial Murdoch, ele entra no bote, que por sinal está cheio de outros homens. O bote é baixado.
ISMAY
- Ufh!
No convés E, Violet Jessop ajuda muitos estrangeiros que não entendem o inglês e tem dificuldades de se locomover até o convés superior.
JESSOP
- Por aqui senhora! Siga-me.
CAMAREIRA (amiga de Jessop)
- O que foi Violet?
Ela vai em direção a escada, mas nota que no poço do elevador está saindo uma substancia avermelhada, é sangue. Ela vê um homem caído lá, ela o reconhece.
JESSOP (chorando)
- Senhor Slavier!? Ou não, coitado!
Ela segue seu caminho em direção ao convés dos botes.
Em frente ao bote 3, Beatrix Slavier sente um aperto no coração. Ela nota que o marido está demorando a voltar com a filha, desesperada ela desmaia. O oficial e outras mulheres a colocam no bote, que é baixado.
Na cabine dos Van Shelstter, o camareiro tenta levar Amanda para cima.
CAMAREIRO
- Senhora venha comigo até os botes, você precisa embarcar.
AMANDA (com uma taça de vinho na mão)
- Deixe-me espero por meus filhos.
CAMAREIRO
- A ordem é para que levamos todas as mulheres e crianças aos botes.
AMANDA (dando um tiro)
- Não enche!
POW!!!
Ela atira na testa do camareiro e sai.

2 comentários:

lorenna disse...

OI MÁRIO...
MUITO BOA HISTÓRIA...
OBRIGADA PELA VISITA...
BEIJOS

Alencar disse...

Parabéns ao Jefferson pela ótima história.

Parabéns ao Mário pelo belíssimo blog.