sexta-feira, novembro 18, 2005

NARRAÇÃO DO DOCUMENTÁRIO - PARTE FINAL

OS SEGREDOS DO TITANIC

- 1996 National Geographic -

NARRADOR: 13 de julho de 1986, a primeira tentativa para alcançar o Titanic utilizando-se um submarino, esta marcada para esta manha. Bob Ballard e dois companheiros vão mergulhar até o fundo no submarino de pesquisa Alvin, no seu entusiasmo Bob Ballard talvez tenha feito as coisas parecerem muito fáceis, nesta manha ele tem muitas promessa a cumprir.
O compartimento da tripulação do Alvin é uma esfera de titânio fechada de dois metros e treze centímetros, lotada de equipamentos e três seres humanos em desconforto. O Alvin é uma maquina comprovada é confiável, ele mapeou montanhas submarinas, localizou uma bomba de hidrogênio perdida e agora paira sobre o mais celebre navio naufragado dos tempos modernos. Uma vez lançado ao mar, Alvin é independente da nave mãe, a tripulação pode-se comunicar com a superfície, mas nas profundezas eles estão longe de socorro como se estivessem na lua. Para economizar energia elétrica, o Alvin terá de descer ao fundo do oceano apenas pela força da gravidade, o lento mergulho levara duas horas e meia, um tempo de tédio e crescente suspense.
Ballard informa que as baterias do Alvin estão vazando e seus sistema sonar falhou, ele só pode contar com as diretivas imprecisa da superfície e não poderá ficar lá embaixo por muito mais tempo.

BALLARD: Atlantis II, aqui, Alvin, estamos no Titanic, câmbio.

NARRADOR: Tão logo o Titanic foi encontrado, o mergulho teve que ser suspenso, são necessárias outras duas horas e meia para Ballard voltar o superfície. Alvin é rapidamente reparado mais o animo no dia seguinte é incerto. Todos haviam se lembrado que problemas técnicos, mau tempo, ou uma combinação de ambos, poderia liquidar a expedição. Desta vez tudo corre de acordo com o planejado.
Titanic, não mais desaparecido, não mais lendário, há pessoas a bordo do grande navio mais uma vez depois de setenta e quatro sombrios e silenciosos anos.
Agora como astronautas recém-chegados a um planeta distante, a tripulação do Alvin esta aprendendo algo novo a cada segundo. Um desapontamento, os convés do Titanic que se pensava estar intactos foram consumidos por organismo perfurados de madeiras. O que parecia ser prancha eram na realidade sucos de calafetação. Uma revelação, em pé, solitário, ergueu-se o pedestal de bronze onde o timão do Titanic estava fixado, ele brilha como se fosse novo em folha.
Na volta a superfície um quase desastre, o robô submarino Jason desalojou-se de sua garagem localizada na frente do Alvin e quase foi perdido, somente o trabalho rápido dos mergulhadores salva o robô de um milhão de dólares. Os reparos continuam por toda a noite, enquanto Ballard relata o que viu e se prepara para o mergulho de amanha.

BALLARD: O Titanic é um local assustador para se explorar, em todo o lugar a fio, a muradas e tubulações que podem prender o Alvin, mas o robô Jason pode chegar perto destes obstáculos e aventura-se nos escombros sem arriscar vidas humanas.

NARRADOR: A tripulação do Alvin é cética a respeito de robôs em geral e de Jason em particular, mas Ballard ignora os problemas de hoje e planeja manda Jason lá embaixo no interior do Titanic no próximo mergulho. Em sucessivos mergulhos, câmeras especiais a bordo do Alvin atravessam a escuridão e revelam vistas aéreas dos escombros, pegando a parte de traz, passando sobre o compartimento de carga e guindastes, a área da ponte onde o pedestal do timão permanece solitário, o buraco onde a primeira chaminé esteve um dia, grande o suficiente para permitir a entrada de uma locomotiva. Agora na terceira submersão Alvin ancora na borda da grande escadaria do Titanic. Jason e lançado ao mar com Martin Baldwin no comando. Como um animalzinho amedrontado, Jason parece querer mergulhar de volta a sua garagem e ir para casa. Ganhando controle e confiança Martin manda Jason para baixo em direção à grande escadaria. Setenta e quatro anos tiveram o seu preço, é isto que a câmera de Jason vê, isto é o que ela foi um dia. Aparentemente não a nada reconhecível aqui, entretanto pilares define uma sala. Um destes lustre ainda pende do teto suspenso tanto no tempo como no espaço.
O primoroso relógio ornamental foi consumindo pelo tempo, deixando apenas seu esboços na parede. Jason se choca com alguma coisa, causando uma avalanche de ferrugem, alarmados Ballard e Martin decidem-se retirar. Agora, a mais de 4.500 metros de profundidade Jason saúda seu criador, para o homem e a maquina é um momento de extraordinária vitória.
Em teste posterior, Jason desliza sobre os escombros como inquisitivo beija-flor, ele pode mover-se com mais segurança, mais rápido do que Alvin e chegar bem perto para captar pequenos detalhes.
Algumas partes do navio parecem quase novas, a pintura ainda aderem a estes batentes da janelas, maçanetas e dobradiças ainda funcionam, e as impressionantes ancoras de aço ainda pende da proa do Titanic. Breve o trabalho de Ballard para o marinha, poderá da origem a robôs tão sofisticados que tudo poderá ser visto e controlado da superfície, em algumas tarefas submarinas tripulados como Alvin poderão não ser mais necessários, o sucesso de Jason no Titanic é um passo importante para se alcançar este objetivo. Sucesso!!!
Em um mergulho espetacular Ballard e Martin conseguiram realizar todos os seus maiores objetivos. Agora por nove dias, o Atlantis II reunirá informações sobre o Titanic. Usando um grupo de instrumentos automáticos a cada noite, o Atlantis II tira cerca de cinqüenta e sete mil fotos do local do naufrágio.
Ballard e seu colega o Dr. Elisar, começam a esboçar o mapa detalhado dos restos do Titanic. Ele revela novas informações e as vezes contradiz relatos do desastre. um aspecto notável, o barco naufragado esta dividido em duas partes principais, distantes cerca de 600 metros uma da outra. Isto confirma alguns testemunhos oculares de que o navio partiu-se em dois quando afundou, entre as duas partes a um vasto campo de destroços e espalhados por toda parte, objetos de uso cotidiano. Uma garrafa de champanhe ainda fechada e uma xícara pousada sobre uma caldeira de 57 toneladas aonde veio suavemente descansa há 74 anos atraso Ballard nada retirou do Titanic e havia prometido não mexer nos destroços, mas isto foi antes do Alvin, encontrar o cofre do comissário de bordo. A maçaneta gira, mais a porta não se abre. De qualquer maneira os peritos dizem que ele foi esvaziado pela tripulação antes que o Titanic afunda-se, enquanto o barco naufragado e explorado, a historia do Titanic e revivida e revisada para se adaptar as novas provas.
São 23:40 do dia 14 de abril de 1912, do posto de vigia um iceberg e identificado, logo a frente pelo marinheiro Frederick Fleet, imediatamente, Fleet toca um sino de alarme e chama a ponte, onde o Primeiro Oficial William Murdock ordena ao timoneiro firme a estibordo e as maquinas a toda força para traz. O Titanic roça o gelo possivelmente apenas amassando algumas chapas do casco, no entanto isto é suficiente para revelar ao capitão Eduard Smith que seu navio esta condenado. O Capitão Smith dirigi-se pessoalmente da ponte para a sala de radio, onde logo após a meia noite o primeiro chamado de socorro e enviado. O rádio esta ainda na sua infância e o novo sinal adotado S.O.S. é uma novidade para o operador Jack Phillips. Ordem são dadas para que mulheres e crianças embarquem nos botes salva-vidas, próximos os barcos alguns passageiros da primeira classe reúne-se no ginásio um deles é o multimilionário John Jacob Astor, em lua de mel prolongada com sua jovem segunda esposa Madeleine. A mulher de Astor embarca no salva vidas, aqui no lado esquerdo do Titanic, um oficial, no entanto não deixa Astor entrar no barco, e ele então com humildade, escolhe se posto de lado e morrer. Alguns já compreende que por força de leis inadequadas, a salva vidas apenas para metade das pessoas a bordo. Foguetes de socorro são disparados do lado direto da ponte.
Ao norte esta um navio, o vapor britânico Californian, seu capitão Stanley Lord é informado sobre os foguetes disparados pelo Titanic, mas nada faz, volta a dormir e passara o resto de sua vida tentando explicar-se. Muitos barcos salva-vidas continuam sendo baixado meio vazios, poucos compreende que o Titanic esta realmente afundando. Os pequenos guindastes que prende os salva-vidas ainda estão suspensos. Aqui na estação de barco numero dois onde o segundo oficial Lightoller esta no comando. Lightoller manda meia dúzia de tripulantes para abrir as portas e ajudar a encher os barcos dos convés inferiores, estes homens nunca mais foram vistos, mas o conjunto de portas ainda permanecem abertas. Aqui um pequeno guindaste torcido que uma vez prendeu o barco numero oito, e aqui também ficou um casal idoso e distinto o Sr. e Sra. Isadora Strauz, tendo lhe sido oferecido o lugar em um dos barcos, o Sr. Strauz, recusou, em seguida o Sra. Strauz recusou-se a deixar o marido e assim eles pereceram juntos. Numa cabine individual de primeira classe, havia uma mulher muito rica que viajava só, ela tinha um caráter rígido e simples não precisava de assistência. entrou em um barco assumiu atrevidamente o comando e ficou conhecida desde então como a indestrutível Molly Brown.
E agora, finalmente, 1.500 pessoas começam a compreender que logo vão morrer. No entanto no convés perto da entrada para a grande escadaria, a banda continuava a tocar, ninguém pôde dizer mais tarde quais musicas haviam sido tocadas e todos os músicos se afogaram, mas a banda do Titanic e seu maestro Wallace Hartey tornaram-se heróis imortais desta tragédia no mar.
Poucos louvaram o capitão Smith que tinha ignorado muitos avisos quando navegou atrevidamente para dentro da historia. Ele afundou com o seu navio havendo duvidas sobre suas últimos palavras, para alguns ele disse a sua tripulação "sejam britânicos", para outros disse "cada um por si".
Quando a expedição do Titanic terminou Bob Ballard deixou atrás de si uma placa reverenciando aqueles que morrerão aqui.
O Titanic é monumento a mais de 4.5000 metros abaixo da superfície do mar.
BALLARD: É um monumento aquela época, aquele engano de arrogância e, uma coleção de objetos todos empacotados e, agora no fundo do oceano. Ele é um lugar muito calmo, um lugar muito quieto. Ele jaz ereto nas profundezas, nobre e em paz.

2 comentários:

LORENNA disse...

Oi...Muito legal esse post...
GRANDE....Mas valeu a pena...
Que bonita homenagem às vítimas do Titanic...
Obrigada pelas visitas
BEIJOS

Anónimo disse...

MEU DEUS, a narração completa, muito show, valeu galera.....