domingo, julho 18, 2010

JACK PHILLIPS O HOMEM QUE TENTOU SALVAR O TITANIC
George John Phillips, conhecido por "Jack" ganhou fama depois de morrer, como o homem que tentou salvar o Titanic e todos o que nele se encontravam a bordo. Como operador-chefe do rádio marconi, ele transmitia corajosamente os pedidos de ajuda até aos momentos finais em que o navio perdeu a energia eléctrica. Por ter feito isso sem sequer pensar em embarcar num barco salva-vidas e salvar-se, deu-lhe todo o mérito. Acabou por morrer na tragédia e o seu corpo nunca foi recuperado, ou se o foi, nunca foi possível identificá-lo. Um memorial em sua homenagem foi construído e erguido na sua cidade natal em 1914. Jack Phillips nasceu em Farncome perto de Godalming, em 11 de Abril de 1887. Cresceu ao lado das suas irmãs gémeas mais velhas, Elsie e Ethel, num apartamento que se situava por cima da loja High Drapers Street, da qual os seus pais eram proprietários. George e Ann Phillips baptizaram-no de John George na Igreja St. John the Evangelist. Como um jovem rapaz da sua cidade, começou os seus estudos na escola da igreja e cantou no coro. Hoje, uma placa no corredor norte de St John's relembra os seus vínculos com a paróquia. Jack terminou os seus estudos em 1902, com 15 anos, na Godalming Grammar School, actual Red Lion. Ao passar nos exames do ensino público, ingressou na cidade como empregado dos correios onde aprendeu o ofício de telegrafista usando o código Morse para transmitir mensagens. Muitos telegrafistas da Marinha tinham vindo de algum posto de correios e 'Jack' não foi excepção. Em Março de 1906, deixou Godalming e partiu para Liverpool, juntando-se a Companhia Marconi e à escola de treinamento de telegrafia sem fios em Seaforth Barracks. Cinco meses depois, foi destacado para a White Star Line, uma companhia de navegação de grande prestígio, como radiotelegrafista junior no RMS Teutonic. Ao longo dos 24 meses seguintes operou no RMS Oceanic, bem como para o Mauritânia, Campania e Lusitania estes da Cunard Line. Como qualquer empregado Marconi, era obrigatório embarcar em navios de longo curso, de acordo com o contrato que assinavam (nas condições de serviço) os operadores de rádio eram considerados membros da tripulação durante a travessia. Como parte da tripulação, recebiam um pequeno salário da própria companhia de navegação, mas a maior parte da remuneração vinha da Marconi. Em 1908, voltou para terra, juntando-se a primeira operação transatlântica sem fios, trabalhando a partir da base Marconi em Clifden na Irlanda. Após três anos no envio de mensagens através do oceano para a estação irmã em Glace Bay, Nova Escocia, voltou para o mar, primeiro para o mais rápido dos navios da White Star Line, o RMS Adriatic e, em seguida, para o RMS Oceanic. Em Março de 1912, foi promovido a operador senior e foi enviado para os estaleiros da Harland and Wolff em Belfast para ingressar no mais novo navio da White Star Line, o RMS Titanic. O navio tecnologicamente mais avançado da sua época, era também o maior navio de passageiros no mundo. Juntou-se assim ao seu mais novo companheiro de viagem de 22 anos, Harold Bride, de Bromley, que tinha sido contratado como Operador Junior para a viagem. Juntos, eles instalaram o equipamento Marconi sem fios no navio, que acabou por ajudar a salvar as vidas das 705 pessoas que sobreviveram ao desastre. O seu papel no navio foi crucial e vital na retransmissão de mensagens entre o navio e terra, bem como transmitir os avisos entre os outros navios ao redor. A todo vapor para New York, o RMS Titanic zarpou do cais de Southampton em 10 de Abril de 1912 com bastante pompa levando 2208 passageiros e tripulantes a bordo. Apenas quatro dias depois na sua viagem inaugural, bateu num iceberg no Atlântico Norte. O grande navio demorou menos de três horas para afundar, levando quase 1500 passageiros e tripulantes consigo. Jack tinha comemorado o seu 25º aniversário no navio, dois dias antes do desastre. Naquela noite, Phillips trabalhou até mais tarde para acabar com o acúmular de mensagens dos passageiros ricos que tinham ficado atrasadas devido a uma avaria no rádio, enviando-as através de Cape Race, na Terra Nova. Antes dessas mensagens já tinha recebido e distribuído inúmeros avisos de gelo a partir de outros navios da área, incluindo um do mais próximos do Titanic, o SS Californian. Quando o iceberg atingiu o navio às 23:40, Jack e Harold começaram a enviar sinais de socorro, com base nas instruções do capitão, e com Bride a transmitir para a ponte a informação sobre os navios que estavam próximos para ajudar. Por uma infeliz e cruel coincidência, o operador do Californian tinha ido para a cama, depois de desligar o equipamento, e por isso não recebeu a primeira mensagem SOS da História. Phillips continuou a transmissão dos pedidos de ajuda até que o navio perdeu a energia às 02:17, altura em que o Capitão os ilibou das suas funções. Depois de se lançarem ao mar, Bride subiu para um barco salva-vidas, mas os relatórios e testemunhos variam quanto ao que aconteceu com Jack. Infelizmente o que se sabe é que ele morreu antes de ser resgatado e o seu corpo nunca foi recuperado. No memorial de família, num cemitério em Godalming, existe ainda uma lápide em forma de iceberg em sua memória, os jornais da época anunciavam a sua edificação. Os chefes do governo local de Godalming, receberam inúmeros pedidos vindos de todo o mundo a oferecem ajuda financeira para o memorial. A sua edificação deveu-se assim a contribuições voluntárias de pessoas sensibilizadas, até mesmo o seu companheiro Harold Bride doou uma parte do seu salário para a construção. O claustro do memorial e os terrenos à sua volta foram desenhados pelo arquitecto local Hugh Thackeray Turner e pelo famoso jardineiro Gertrude Jekyll, que também residia em Godalming. Em 15 de Abril de 1914, dois anos depois do navio afundar, o memorial foi aberto ao público. Depois de ter sido sujeito a negligência e vandalismo ao longo dos anos, finalmente existem planos para restaurar o memorial a tempo do 100 º aniversário do naufrágio do navio, em 2012.

3 comentários:

Alencar Silva disse...

Eu acho que ele agiu desta maneira porque sua prepotência em mandar o telegrafista Evans do Californian calar a boca, justamente quando alertava sobre o campo de gelo, fez com que ele subconscientemente tentasse de qualquer forma salvar aquelas vidas.

Ana Lucia disse...

ei achei muito injusto ele morrer assim mais a vida sempre vai ser assim

Mário disse...

É verdade Ana Lucia, um jovem talentoso que se perdeu...