quarta-feira, maio 10, 2006

TITANIC
por Jefferson Krüger
Capítulo XXIV – A Busca
Na biblioteca, madame Aubert que estava indo pegar um livro para ler no bote, encontra Arthur caído no chão. Preocupada ela o ajuda a levantar, o senhor Guggenhein aparece também.
MADAME AUBERT
- Arthur acorde! Ben venha aqui me ajudar.
GUGGENHEIN
- Tome um brandy, para acordar.
ARTHUR
- Não se preocupem estou bem. Baby!...
- Obrigado, mas tenho que ir.
GUGGENHEIN
- Vamos querida, vou levá-la ao bote.
Arthur corre contra o tempo para achar sua amada. Ele encontra Thomas Andrews na base da grande escadaria, e pede informações.
ARTHUR
- Senhor Andrews preciso de sua ajuda.
THOMAS ANDREWS
- O que posso fazer pra ajudá-lo nesse momento? Vá para os botes meu rapaz.
ARTHUR
- Estou procurando por Baby, minha mãe a levou para o fundo do navio. Por favor, estou desesperado.
Thomas Andrews o aconselha a pegar o elevador e descer o máximo possível de conveses do navio, mas com todo cuidado. Se Amanda planeja vingança será no mais perigoso local no navio... As caldeiras de popa.
No convés G, Francis continua presa em sua cabine, ela grita por socorro. A água está na sua cintura. William corre em busca da amada.
WILLIAM
- Fran onde você está?
(lembrando)
- Na cabine!
Ele corre, desce as escadas e encontra água.Ele arruma forças para arrombar a porta.
WILLIAM
- Abra! Abra porta desgraçada! Abra!
A porta cai com os chutes do pastor, libertando a senhorita Henderson.
FRANCIS
- Ah obrigada meu amor!
WILLIAM (surpreso)
- Meu amor? Claro por que não, eu não sirvo como pastor mesmo. (sorrindo)
- Vamos temos que sair daqui depressa.
FRANCIS
- Sim vamos, obrigada.
Já no convés E, os dois encontram Seal, que se irrita ao vê-los juntos.
SEAL (bêbado)
- Francis, sua cadela, o que está fazendo com este rapaz?
FRANCIS
- Eu o amo papai.
WILLIAM (indignado)
- Lave essa sua boca senhor!
Seal da um murro no pastor.
SEAL
- Seu pastorzinho medíocre, cresça e apareça!
WILLIAM
- O senhor não vai me impedir de salvar sua filha.
Ele da uma braçada em Seal que cai no chão de dor. Rapidamente eles pegam o elevador de serviço. Seal inconformado levanta e agarra na base do elevador e prende seus dedos, que são arrancados.
SEAL
- Não! Não!
Ele tenta subir as escadas, mas rapidamente uma porta estoura e uma onda o varre dali.
Em um bote Beatrix acorda assustada.
BEATRIX
- Onde estou? Baby? Onde está minha filha???
- Andrew?
MULHER
- Senhora Slavier sua filha deve de pegar algum bote. Acalme-se.
A senhora Slavier não se conforma de ir sem sua família e chora sem parar. Enquanto isso no convés, os cães tentam escapar do naufrágio.
O coronel Archibald Gracie acompanha uma senhora para o bote.
ARCHIBALD GRACIE
- Vamos minha senhora, por aqui.
Os oficiais apressam-se para encher os botes. O navio afunda rapidamente.

2 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns ao Jefferson pela ótima história.

Parabéns ao Mário pelo patrocínio e pelo belíssimo blog.

Um grande abraço para ambos.

Alencar disse...

Esqueci de colocar o nome, hehehe.