quinta-feira, maio 04, 2006

TITANIC
por Jefferson Krüger
Capítulo XXXII – Reencontro
Ao amanhecer, os botes estão seguindo sua rota. A maioria das pessoas está dormindo. Os oficiais e marinheiros estão cansados já. A valente Condessa de Rothes também descansa um pouco ao remo. O 2º oficial se equilibra sobre o bote virado, e seus passageiros a sua volta, alguns estão até caindo para fora.
No bote 6, Molly Brown está dormindo, Helena Watts está em seus braços também dormindo. De repente ao acordar Helena avista um navio vindo pra cá.
HELENA (apontado)
- Olhem!
MOLLY (acordando)
- Um navio!
LOWE
- Rápido peguem panos e sacudam para que nos vejam.
BARBARA
- Aqui!
FRANCIS
- Aqui! Venham aqui!
No navio Carpathia, os oficiais ajudam as pessoas dos primeiros botes a subir.
OFICIAL DO CARPATHIA
- Eu lhe ajudo senhorita!
MADELINE
- Cuidado estou grávida! Obrigada.
OFICIAL DO CARPATHIA
- Agora a senhorita.
MADELINE
- Cuidado ela está muito fraca.
FRANCESCA
- Muito obrigada.
Outros botes vão chegando. Os oficiais continuam o resgate. No convés, os camareiros ajudam os passageiros a se aquecer, distribuem cobertas, café e sopas.
CAMAREIRA DO CARPATHIA
- Gostaria de beber uma sopa senhora?
BEATRIX
- Obrigada.
- Moça...Você por acaso viu minha filha?
CAMAREIRA DO CARPATHIA
- Me desculpe senhora, mas não posso ajudar, se quiser você pode dar seu nome ao oficial, quem sabe ele já tenha o nome de sua filha na lista de sobreviventes.
BEATRIX (desesperada)
- E onde ele está?
CAMAREIRA DO CARPATHIA (apontando)
- Por ali senhora.
No interior do navio.
MADAME AUBERT
- Moço... Preciso de ajuda aqui!
OFICIAL (vindo em sua direção)
- O que foi senhora? Estou ocupado com esta senhorita. (referindo-se a Helena)
MADAME AUBERT
- Esse moço está com um ferimento na cabeça, preciso de gases e remédios agora.
HELENA (surpresa ao ver o moço)
- Gabriel!
MADAME AUBERT
- O conhece?
Helena beijando Gabriel.
MADAME AUBERT (rindo)
- Bom já vi que conhece.
(para Helena)
- Calma garota, precisamos agora é cuidar dele.
HELENA
- Gabriel... Mas como? Eu vi ele cair do navio.
MADAME AUBERT (lembrando)
- Eu o achei caído na água, ele ainda estava consciente, e pedia ajuda.
- O oficial e eu o puxamos para dentro do bote.
HELENA
- Muito obrigada senhora Aubert.
No convés Harold Bride é trazido, com a ajuda de alguns oficiais. Sua perna está congelada, por ele ter ficado debruçado no bote. Outros passageiros vão chegando a bordo, Coronel Archibald Gracie, Condessa de Rothes,o casal Duff Gordon. Ismay também embarca. Os passageiros o olham tordo, vendo-o como um covarde a bordo. Violet Jessop embarca com o bebê em seus braços. Uma mulher se aproxima e toma a criança dela, sem uma palavra de agradecimento.
JESSOP (indo em direção a senhora, mas hesitando logo depois)
- Senhora?
O capitão decide depois de um tempo, continuar a viagem para Nova York, vendo que não mais acharia ninguém ali. As mulheres notam que agora estão viúvas. Nunca mais veriam seus maridos.
Capítulo XXXIII – New York
O Carpathia está quase chegando à Nova York, está um dia ensolarado. Os passageiros estão lendo no convés, as crianças estão brincando. Um menino está a brincar alegremente com sua bola. Ele chuta a bola e sem querer atinge os pés de uma mulher com um bebê ao colo. O bebê chora ao se assustar.
BERTRAM VERE (abaixado aos pés da mulher e pegando a bola)
- Desculpe senhora.
GEORGETTE
- O que é isso, não foi nad... (notando uma semelhança)... Filho? Meu filho ahaha. Que Deus seja louvado.
(abraçando o menino)
- Obrigado Meu Deus!
Milvina chora. Eles vão para dentro. A mãe feliz da vida vai dar uma sopa a seu filho.
Baby e Arthur estão sentados num banco, eles brincam com o pequeno bebê. Uma senhora com uma manta na cabeça caminha para o convés, vai em direção a eles.
BEATRIX
- Com licença! Eu estou procurando minha filha...
(interrompida pela voz da moça)
BARBARA (contente)
- Mamãe a senhora está aqui!
Uma lágrima escorre dos olhos de Baby. Beatrix corre para abraçá-la, mas para imediatamente. Ela nota um bebê ao colo de sua filha.
BEATRIX
- Que bebezinho lindo é esse Baby?
ARTHUR
- Nós o achamos na terceira classe, senhora Slavier. Ele estava sozinho.
BEATRIX
- Você não é Arthur Van...
ARTHUR
- Sim sou eu mesmo.
BEATRIX (contente)
- Que bom que se salvou, meu filho!
- Obrigada por salvar minha filha, mas vocês por acaso...
BARBARA
- Sim mamãe, nós nos amamos. E pretendemos ficar com o bebê se a mãe não aparecer.
BEATRIX (sorrindo para os dois)
- Que bom minha filha!
ARTHUR
- Que pena meu irmão não está aqui, sinto a falta dele. Meu irmão caçula, não merecia morrer.
GABRIEL (vindo)
- E quem disse meu irmão que eu morri? (rindo)
ARTHUR
- Gabriel seu safado! Devia lhe dar uns cascudos...
(rindo)
- Quem é a moça heim?
GABRIEL
- Essa é Helena lembra-se?
ARTHUR
- Quer dizer que meu irmão caçula já arranjou companhia? Hehe
Todos riem. A chuva começa a cair, eles decidem brincar no convés molhado. Beatrix leva o bebê para dentro. Os garanhões decidem correr atrás das moças.
HELENA
- Não!
BARBARA
- Arthur não! Não!
Eles fazem cócegas nelas.
Lá dentro Beatrix da um banho no nenê. Molly Brown chega para ajudá-la.
MOLLY
- Olá Bia!
BEATRIX
- Molly que surpresa! Que bom que está viva!
MOLLY
- Precisando de ajuda aí? Hehe
O navio chega à baia de Nova York. Pessoas estão a sua espera. Os passageiros finalmente desembarcam em seu destino.
FRANCIS
- Finalmente estamos em terra firme!
- Agora não tenho mais medo.
WILLIAM (sorrindo)
- Nem precisa, eu estou ao seu lado.
FRANCIS (rindo)
- Seu convencido. Hehehe (beijando-o logo depois)
No porto repórteres pegam o testemunho de vários passageiros do Titanic. E os botes são expostos no porto.

REPORTER
- O que realmente aconteceu na noite passada? MOLLY
- Bom, eu estava já deitada em minha cama, lendo um livro, de repente fui jogada ao chão. As pessoas lá fora diziam que o Titanic bateu num iceberg. Ao sair lá fora vi o convés cheio de gelo e pessoas brincando com ele. O casco do Titanic estava rasgado, e entrava água por todos os lados.
No outro lado, fotógrafos presenciam um oficial do Titanic homenageando uma incrível mulher.
OFICIAL (arrancando o número 8 do bote)
- Ofereço essa recordação a essa maravilhosa mulher, que lutou contra as águas para nos salvar. Ela remava bravamente em direção ao navio resgate.
CONDESSA DE ROTHES
- Fico eternamente grata pelo elogio senhor.
A senhora Slavier e os jovens casais seguem para casa.
Tempos depois do naufrágio, os quatro oficiais sobreviventes escrevem uma carta em depoimento no jornal para a senhora McMaster Murdoch, esposa do 1º oficial William McMaster Murdoch, revelando que ele foi um verdadeiro herói naquela fatídica noite e que salvara muitas vidas. Ela fica entristecida, mas ao mesmo tempo se orgulha muito de seu falecido marido.

4 comentários:

Anónimo disse...

Your website has a useful information for beginners like me.
»

lorenna disse...

NEM TODOS SE REENCONTRARAM...
TRISTE D+
BEIJINHOS
OBRIGADA PELA VISITA!!!

Alencar disse...

Mesmo sabendo do ocorrido é sempre doloroso ler os momentos após o acidente.
Parabéns a ambos.
Um forte abraço.

Anónimo disse...

Greets to the webmaster of this wonderful site. Keep working. Thank you.
»