terça-feira, abril 04, 2006

TITANIC
Lightoller - Não precisamos do moitão, o bote fica no convés.
Californian
Stone - Um navio não se põe a disparar foguetes no meio do mar sem ter uma razão para isso. Chama o capitão e diz-lhe que o navio está a desaparecer com rumo sudoeste e que disparou um total de oito foguetes.
Capt. Lord - Todos os foguetes foram brancos?
Gibson - Sim.
Capt. Lord - Que horas são?
Gibson - O relógio da ponte marca duas da manhã..
Capt. Lord - Qualquer coisa voltem a informar-me.
Carpathia
Capt. Rostron - Doutor, peça que tragam uma dúzia de cadeiras de convés para baixo. Preparem-nas para amarrar pessoas. Pode haver casos de histeria. Providencie gelo e sacos de lona. Ponha-os no porão para os mortos.
Vigia Puvis - Um icebergue a vante!
Capt. Rostron - Vira 10 graus para bombordo. Manter a velocidade. Olhos bem abertos rapazes. Não ajudaremos o Titanic nem a nós se sucumbirmos ao mesmo destino.
Dr. McGhee - Talvez fosse mais prudente parar.
Capt. Rostron - Não podemos dar-nos a esse luxo. Cortem o aquecimento e a água quente. Canalizem o vapor para as máquinas. Temos de ir mais depressa.
Titanic
Wallace - É tudo.
Hume - Adeus, Wally. Boa sorte.
Clark - Adeus Wallace.
A banda começou a tocar Nearer My God to Thee. A taça de brandy do meu pai que ele deixara no convés cai ao chão, convés abaixo o brandy escorreu em direcção ao oceano. O Sr. Andrews limitava-se a olhar em frente. Na parede forrada de mogno, na frente dele, estava pendurado um quadro grande, com o nome de A Chegada ao Novo Mundo. O capitão encontra-se isolado na ponte de comando. Uma mãe encontrava-se com a sua filha no salão de terceira-classe a tocar piano. Uma mulher com o filho ao colo chega à escadaria de primeira-classe, está sem forças e acaba por cair. A música ouve-se em toda a parte do navio. A senhora Hellen encontra-se apoiada sobre uma mesa e tenta sair do salão. Guggenheim vê com assombro a água que se aproxima.
Wild - Não há tempo! Cortem as cordas! Cortem-nas se for preciso!
- Preciso de uma faca! Uma faca!
Lightoller - Cortem as cordas! Cortem-nas!
Wild - Cortem o raio das cordas!
Sinceramente, nunca vou esquecer aquela água fria e esverdeada a irromper pela escadaria. Algumas luzes reflectiam-se na água. As outras, já submersas, davam-lhe uma espécie de transparência fantasmagórica. Eu via pelo nível que atingia a escada quanto é que já tinha submergido e a que velocidade se afundava.
Quando o Lightoller e Hemming olharam do cimo dos alojamentos dos oficiais onde estavam, o navio deu uma guinada repentina. E o mar irrompeu por ali, levando toda a gente com ele. Muitos afogaram-se logo. Lightoller acabaria por ser puxado para o fundo, e não demoraria muito. Começou a nadar para longe, mas foi abaixo algumas vezes. Na verdade, esteve muito perto de não conseguir resistir. Finalmente a água içou-o até junto do bote desmontável B e aí se aguentou.
Wallace - Cavalheiros... foi um privilégio tocar convosco esta noite.

1 comentário:

Alencar disse...

Que momento mais triste.
Vê a morte de perto e não poder fazer nada.
São verdadeiros heróis, todos, sem exceção.
Parabéns.....