sexta-feira, abril 21, 2006

TITANIC
Camille - Bom dia.
George - Olá, meu amor.
Camille - Não conseguiste dormir?
George - Porquê?
Camille - Eu não.
George - Algum problema?
Camille - Estive acordada a pensar em ti e nos nossos filhos...
George - Não há nada o que temer... hoje vamos passear pelo deque de cabeça erguida, está na altura de fazermos a nossa vida no mar e desfrutar de tudo o que de melhor tem este navio.
Camille - Sim... vamos enfrentar as feras...

Os passageiros do Titanic dispunham de uma gama ampla de instalações de luxo. Não se tinham regateado esforços para oferecer aos passageiros uma viagem inolvidável. Os que queriam manter a forma física tinham à sua disposição um magnífico ginásio dirigido por T. W. MacCawley. O Titanic e o Olympic foram os primeiros navios a terem piscinas a bordo. A piscina coberta estava situada sobre uma das casas das caldeiras, um recurso que proporcionava uma temperatura agradável. Tinham uma divisão de banho turco fantástica, ao mais puro estilo oriental, com quarto de refrigeração e sauna, isto era único na época. Cada divisão do Titanic de uma ponta à outra, convés após convés, tinha um tema diferente, atmosfera própria, acabamento diferente, madeiras diferentes. Podia começar-se no convés A e nessa escadaria magnífica, vaguear pelo corredor até à sala de leitura e escrita de 1ª classe que era em branco com tons de cinzento chumbo e castanho. Caminhando em direcção à popa, chegava-se à sala de fumo da 1ª classe em mogno e com encrostações de mármore pérola e uma lareira. As duas escadarias principais destes dois navios são incomparáveis. Julgo que nada construído naquela época tivesse tanta elegância. Era uma época maravilhosa, as pessoas comiam muito bem e de manhã, depois de tomado o café da manhã, passeavam-se no convés. Às onze serviam um caldo quente e, claro, à tarde serviam chá. Havia uma orquestra a tocar e as pessoas divertiam-se, jogavam cartas, escreviam cartas e era muito agradável ouvir-se a orquestra emquanto se lanchava. Era luxuoso. Para os passageiros haviam prospectos onde se pormenorizavam as características do transatlântico, dos camarotes e seu mobiliário, e das plantas das diversas cobertas, até mesmo um cartaz que anunciava a orquestra do Titanic. A elegância pelo menos em primeira-classe, era acompanhada da opulência e tudo contribuía para fazer do barco um grande hotel flutuante.

Harriett - Acho que já estou cozida...

Maud - Mais dez minutos. Coragem. Senhora Brown, acabou o seu tempo.

Margaret - Maud, tens uma aspirina?

Maud - Vamos ver. Venha.

Margaret - Mais meia-hora...

Maud - Para quê?

Margaret - Por causa dos meus pecados.


Marvin - Este é o meu passatempo. O meu pai está no negócio do cinema.

George - Bem, diga-lhe que guarde o seu dinheiro e invista em algo com futuro...

Camille - O George só entende de hotéis...

George - Um conselho. Eu arranjo sempre investidores para os meus projectos. É melhor usar o dinheiro dos outros.

Marvin - Levarei isso em conta.

George - Sou George Barks, como está?

Marvin - Dean Marvin. Madame...

George - Tenho a certeza que vai dar-se bem na América decida o que decidir. Ainda é um jovem.

2 comentários:

lorenna disse...

OI MÁRIO...
PARABÉNS PELA BRILHANTE HISTÓRIA...
AMEI DE VERDADE...
BEIJOS
ADORO SUAS VISITAS...
E CONTINUE A VER ALMA GÊMEA...
É IMPERDÍVEL...

Alencar disse...

Olá Mário, parabéns pela história, ta emocionante.

Hoje já foi mais tranquilo, também depois de um jantar muito tumultuado.

Abraços e até o próximo capítulo ou post.