terça-feira, abril 18, 2006

TITANIC

Barrett - É um puro-sangue, Sr. Lightoller.

Lightoller - Não havia um exercício esta manhã?

Barrett - Se bem conheço o comandante não vai haver. Marcaram-no para a hora da missa de Domingo. O comandante não passa sem as horações.

Ismay - Chefe! Estou aqui. Não fique tão espantado, venho muito à casa das caldeiras. Quantas caldeiras estão a funcionar?

Barrett - Estão 24 das 29.

Ismay - É 80%, não é?

Barrett - É 84%. E as hélices estão a 75 revoluções por minuto.

Ismay - E a nossa velocidade?

Barrett - Vamos a 21,5 nós.

Ismay - Mande os homens acender mais duas caldeiras.

Barrett - Não recebi ordens do comandante.

Ismay - Recebeu as minhas. Quero uma velocidade de 22,5 nós até ao meio-dia. Voltem ao trabalho.

O esplendor dos salões, a comodidade das suites e a elegância da decoração constituíam um marco natural na qualidade do serviço prestado pelos empregados do navio. O espaço a bordo de um navio era sinal tangível da escala de poder: A classe social a que se pertencia definia-se em função do espaço atribuído. Na primeira-classe do Titanic a sala para refrescar-se depois do banho turco era duas vezes e meia maior que a sala de jantar de segunda-classe. No ponto culminante encontrava-se o comandante do navio, «único senhor depois de Deus».

Capt Smith - Os que descem ao mar em navios, mercando nas águas, chamam ao Senhor na sua tribulação e Ele os livra das suas angústias. Em Salmo 107.29, Ele faz cessar a tormenta, e acalmam-se as ondas. E Ele assim os leva ao porto desejado.

Harriett - Aquele homem, o Fraser, dá-me arrepios.

Camille - Xiu...

Capt Smith - Este é Aquele que veio pela água e pelo sangue, Jesus Cristo. Não só pela água, mas pela água e sangue. Ámen. Cantemos «Eternal Father Strong to Save»

Todos cantamos os versos.

- Pai Eterno, forte para nos salvar;

Que com o braço deténs a onda inquieta;

Tu que mandas no oceano profundo;

E o obrigas a manter-se nos limites por ti assinalados;

Escuta-nos quando a ti elevamos a nossa voz;

Por todos aqueles que estão em perigo no mar...

A minha mãe foi comigo ao camarote quando de repente apareceu o Fraser...

David - Camille! Olá, Richard, como estás? Posso dar-te uma palavrinha, Camille?

Camille - Richard, avisa o pai que a mãe já vai ter para o almoço.

David - O teu filho...

Camille - É um rapaz lindo. Detesta roupas de cerimónia. É muito esperto e curioso. Adora cães e cavalos. Anda horas a cavalo com o pai.

David - E quanto à minha proposta?

Camille - Só queres o Richard porque sabes que podes tirar partido do nosso dinheiro. Esqueçe-me de uma vez!

David - Começo a perder a paciência. As cartas estão comigo, posso apresentá-las já hoje a toda a gente. Tão bonito que foi o nosso romance! O Richard vai adorar saber do novo pai!

Condessa - A sua filha! Com um homem! É uma senhora casada.

John - Com licença. Algum problema, Camille?

Camille - Não, obrigado. O senhor Fraser está de saída.

David - Com licença.

John - Vou andando, espero lá por vocês.

Camille - John! Obrigado...

John - Não foi nada. Até já.

O momento foi muito consternador para todos, havia um silêncio de desgaste pela situação que agonizava ainda mais.

Harriett - O David é o teu pesadelo. É um alvo a destruir antes que ele nos destrua a nós.

Camille - Mãe, ele é perigoso.

Harriett- Não podes deixar que esta situação se arraste! Estás sujeita a perder tudo e ao teu marido que te ama.

Camille - Não é fácil...

Harriett - Minha querida....

A minha mãe chorou nos braços da minha avó, ela estava transtornada com a situação. Estavamos no salão de jantar na hora de almoço quando um criado de bordo entregou um bilhete ao comandante que visitava a nossa mesa.

Arthur - Más notícias?

Capt Smith - Não, Sr. Morgan. Mera Rotina. Tome o seu almoço descansado com a sua esposa, Harriett.

Richard - Hoje vamos conhecer o navio, o senhor Andrews vai levar-nos numa visita guiada.

Capt Smith - Passem pela ponte de comando como vos convidei, terei muito gosto em recebê-los por lá. Com licença.

Capt Smith - Sr. Ismay.

Ismay - Sim? Mais um dia perfeito. Um mar mais chão é impossível.

Capt Smith - Uma mensagem do navio Baltic respeitante à existência de gelo. Tivemos informações deles de várias fontes.

Ismay - A que distância estão?

Capt Smith - Perto. Devemos tê-los já passado por volta da meia-noite.

Ismay - Tem planos para alterar a velocidade ou a rota?

Capt Smith - Até agora nunca tive, nesta rota, a posição é sempre a mesma para um navio grande.

Ismay - Com tempo limpo e boa visibilidade, viajamos a todo o vapor, para passarmos o perigo o mais depressa possível.

Capt Smith - Há normas básicas de segurança.

Ismay - Quero aproveitar o navio ao máximo.

Richard - Viva, Sr. Andrews.

Andrews - Sempre vieram, fico contente por terem aceite o convite.

Camille - Ora essa, é um enorme prazer estar aqui consigo, senhor Andrews.

Andrews - Vamos então para a ponte.

George - Sempre tive curiosidade em conhecer a ponte de comando.

Música: Dreams Of Surf - Compositor: Vangelis - Álbum: Oceanic.

Para a semana o Titanic embate no icebergue e a tragédia começa a tornar-se numa luta pela sobrevivência! A não perder.

2 comentários:

Alencar disse...

Nossa, hoje foi maior o episódio. Vamos esperar o desfecho disso na próxima semana.

Como sempre, muito legal a história. Isso é que é imaginação.

Parabéns, Oficial Mário, hehehe.

lorenna disse...

Não perco mesmo...
Sensacional...
parabéns mais uma vez!!!!!!
beijos