segunda-feira, abril 17, 2006

TITANIC


Andrews - O fogo das caldeiras transmite 50 000 cavalos-vapor às hélices. E aqui, o painel de controlo das portas-estanque.


Capt Smith - Com um simples toque neste botão, todas as portas-estanque fecham-se imediatamente tornando-o inafundável.


Arthur - A tecnologia está tão avançada que daqui a 100 anos ninguém se lembrará do Titanic.


Camille - Nada será como o Titanic, eu acredito que será sempre lembrado.


John - Vamos chegar um dia mais cedo?


Capt Smith - São boatos.


Bride - Perdão, Comandante. Outro aviso de gelo, desta vez do Noordam.


Capt Smith - Obrigado, «Faísca».


A minha mãe perguntou:


Camille - Se há correntes geladas, não poderá haver icebergues?


Capt Smith - Não há problema. É normal nesta altura do ano. Na verdade vamos aumentar a velocidade. Mandei acender as restantes caldeiras. Dêem-me licença. O dever chama-me, fiquem à vontade.



Entretanto David e a sua esposa Hellen não estavam muito longe dali, estavam numa sala Eduardiana, o fabuloso ginásio, lá encontravam-se alguns equipamentos fácilmente reconhecíveis e outros menos. Uma mulher pedala numa bicicleta fixa com um longo vestido, parecendo ridícula. Um homem usava os remos para se exercitar. O instrutor do ginásio o senhor McCauley, um homem pequeno e redondo vestido em flanelas brancas, muito alegre e profundo conhecedor dos seus equipamentos dava uma pequena aula aos passageiros que se atreviam a entrar.


McCauley - O cavalo eléctrico, muito popular. Também temos o camelo eléctrico. Gostaria de experimentar os remos, senhora Fraser?


Hellen - Não seja absurdo, não vou experimentar algo que nunca virei a precisar.


O comandante passa pelo ginásio...


Hellen - O que é isto?


McCauley - O Comandante inspeciona de cima abaixo o navio aos Domingos. É um tradição da White Star Line.


Hellen - Obrigado pela aula, senhor McCauley, mas eu e o meu marido vamos passear pelo deck.


David - Está um dia demasiado bonito para ficar fechado.



Edward - Dorothy, não estás com os teus patrões hoje?


Dorothy - Estão em visita pelo navio com o construtor.


Edward - Como é na primeira-classe?


Dorothy - Bem, posso dizer que uma sala de convívio de terceira-classe é quase tão grande quanto a suite dos meus patrões, tens tapetes para te afogares neles... És muito curioso quanto à primeira-classe...


Edward - Ahhh, um dia hei-de retornar... Mas lá em cima.


Dorothy - Não queiras ser lá de cima...


Edward - Porquê?


Dorothy - Porque não passam de gente superficial que só querem manter as aparências... Não queres vir comigo lá acima?


Edward - À primeira-classe?


Dorothy - Sim. Vá, anda daí, és o novo mordomo da família Barks, vai ser fácil passares por um mordomo particular. Vamos.



Andrews - Não fizemos o projecto duas vezes. Fizemos o projecto do protótipo, que é o Olympic. E nesse projecto fizemos as alterações que queríamos introduzir no Titanic com uma caneta vermelha grossa. Que vamos reentroduzir num novo super navio o Gigantic. Já reparou nesta maravilhosa decoração?


Richard - Sr. Andrews... peço desculpa mas, não é costume haverem exercícios aos Domingos com os salva-vidas?


Andrews - É verdade.


Richard - Vai havê-los hoje?


Andrews - Não sei de nada.


Richard - É importante, não é? Toda a gente deve saber qual é o seu salva-vidas.


Andrews - Não lhe escapa nada. Normalmente, eu diria que é muito importante! Mas falando do Titanic, ele próprio é um salva-vidas. Fique descansado, pequeno Richard, o Titanic é o navio mais seguro que já algumas vez sulcou os mares. A viagem está a terminar, aproveitem-na ao máximo, podemos dizer até que foi um sucesso. Vou só tirar alguns apontamentos. Sigam em direcção à popa, vamos à sala das máquinas.



O casal Fraser passeia-se pelo deque ao mesmo tempo que os meus pais se dirigiam para a popa. Um criado apróxima-se de Hellen...


- Aceita um chá, ou um caldo quente?


Hellen - Sim. Obrigado. Está um dia maravilhoso.


David - Frio, mas melhor impossível.


Camille - Richard, não corras, ainda tropeças.


Fui contra a senhora Hellen e entornei um caldo quente sobre mim.


Hellen - Que é isto?


Camille - Sujaste-te todo. Não tenho mãos a medir. Hellen, David.


David - Que coincidência.


George - Vamos.


David - Não, não, esperem. Tenho algo a dizer.


Camille - O que há a dizer, David?


Este encontro inesperado iria marcar-me para sempre.

1 comentário:

Alencar disse...

Que dia, heim, hehehehe.
Vamos ver o que esse cretino do David tem a dizer.
Bela história.
Parabéns.